Sobre a delicadeza do seu toque por Luah


[Comentários - 209]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

 

O que somos afinal?

 

Tive horário vago. Então lá estava eu na arquibancada olhando a garota de olhos amarelados correndo em volta da quadra. De onde estava não podia ser vista por ela. Mas eu podia muito bem admira-la.

 

-Acho melhor você fazer alguma coisa o quanto antes. - Pri diz me assustando.

-Ficou maluca! - Digo com as mãos sobre o peito.

-Estou falando sério. – Fala se acomodando ao meu lado. –Ela está mais irritada que nunca. Ela até mandou a professora de educação física procurar uma lavagem de roupa. - Olho espantada para a morena ao meu lado.

-Como é que é?!

-Estávamos jogando vôlei e Sam estava um pouco aérea. A professora foi bancar a corajosa, e lhe chamou a atenção. Então...

-Ela está de castigo?!

-Cinquenta voltas. - Faço uma careta. –Acho que ela já deve está acabando.

-O que você está fazendo aqui mesmo? - Priscila faz uma careta engraçada. –Não tem aula não?

-E você? - Me devolve a pergunta.

-Horário vago. Meu professor de química faltou. Não tinha substituto. Então, olha eu aqui! - Olho para a garota de olhos verdes. –E você, qual é a sua desculpa?

-Aula de matemática. - Diz baixinho.

-Tá explicado. - Dou um sorriso e logo depois balanço a cabeça. Matemática nunca foi o forte de Priscila.

Meus olhos são atraídos para o lugar onde a garota de olhos amarelados corria. Mas ela já se preparava para ir para o vestiário.

-Vai lá. - Olho novamente para Priscila que me pisca um olho. Lhe dou língua e me levanto.

 

E sem olhar para trás desço as escadas indo em direção ao vestiário feminino.  Em passos lentos e precisos adentro aquele ambiente. Meus olhos vasculham em volta a procura de Sam. Então lá estava ela. Distraída. Me aproximo devagar para não fazer barulho e lhe abraço por trás. Seguro firme a sua cintura. Sam apenas suspira saudosa.

-O que quer Liz? - Sua voz sai baixa.

-Como você sabe que sou eu? - Pergunto timidamente.

-Por que o meu corpo sempre reconhece o seu. – Ela diz sem muito animo. –Então, o que você quer?

-Você! - Digo em um fio. -Estou com saudade, Sam.

-Estou cansada disso. - Ela se vira em minha direção me encarando. –O que somos afinal?

-Eu não sei. - Sussurro contrariada.

-Ah, você não sabe?! - A garota já se irritava. –Quer sabe?! Eu estou cansada. Estou cansada de ter que esconder o que sinto. Não somos mais crianças, Liz. 

-Sam...

-Nem vem. - Ela se afasta. –Não entendo. Porque esse medo todo Liz? Estou cansada de esconder nosso relacionamento. - Ela volta a se aproximar de onde estou, segura delicadamente o meu queixo me encarando com profundamente. –Relacionamento que nem você e nem mesma eu sabemos o que é.

-Nem tudo precisa ser nomeado Sam.

-Engano seu minha linda. - Ela sorri.  -Eu quero é que todos saibam! - Ela grita. -Eu não sou só sua amiga. Eu jamais serei só sua amiga. - Então avança em minha boca possessivamente.

As coisas começaram a esquenta. Minhas mãos adentram por baixo de sua camiseta procurando desesperadamente por sua pele. Sam me empurra até a parede mais próxima me fazendo gemer com o impacto. Como sentir saudade. Ficamos naquele amasso gostoso por alguns minutos.

-Eu estou suada pequena. - Sam sussurra tentado se afastar.

-Não me importo. - Digo lhe prendendo ao meu corpo. Seguro seu pescoço com força evitando a sua fuga.

-Liz... - Ela geme quando mordo sua orelha. –Assim fica difícil. 

-Estou com saudade. - Reclamo manhosa.

-Eu sei meu anjo. - Sam segura a minha cintura e se afasta sobre os meus protestos. –Preciso de um banho.

-Será que posso ir junto? - Pergunto mordendo os meus lábios. Sam estreita perigosamente os olhos.

-Não faça isso. - Ela me repreende.

-Por que não? - Insisto.

-Você sabe muito bem que não é assim que eu quero que aconteça a sua primeira vez. - Ela me beijo com carinho. –Não quero que você se lembre apenas como uma transa rápida em algum lugar qualquer. Quero que seja especial.

-Se for com você, já será especial Sam. - Digo lhe contornando os lábios delicadamente. –Então não seja tão exigente. - Digo brincando.

-Não me provoque. - Ela segura a minha mão a virando e depositando um beijo castro em meu pulso. Samantha amava fazer isso.

-Eu adoro te provocar. - Digo com um olhar travesso. –Adoro te ver sair do controle. Adoro quando você me pega com força e me domina. – Sussurro ofegante. –Adoro as sensações que só você provoca em meu corpo.

Sam não resiste e me beijo com urgência. Ela segura com firmeza os meus cabelos acobreados. Sua língua pede passagem, algo que lhe dou com prazer. Minhas mãos já tocavam o seu corpo com curiosidade. Em um movimento rápido, Samantha retira a minha camiseta branca. Suas mãos descem afoitas até meus seios, os apertando. Arrancado gemidos descontrolados de minha boca. Seus lábios já estavam em meu pescoço, o marcando. Quando Sam descia com a boca, um barulho alto nos assusta.

Os olhos amarelados me encaram receosos. Sem que eu possa impedi-la. Sam se afasta rapidamente indo atrás de quem ou o quer fez aquele barulho. Recolho a minha camiseta do chão e a visto. Momentos depois Sam volta a adentrar o ambiente com uma expressão de duvida.

-Acho que vi alguém correndo para a lateral das quadras. - Seus olhos amarelados estavam indecisos. –Mas não sei quem era.

-Vem aqui? - Digo lhe chamando com o dedo indicador. Sam ergue uma sobrancelha, divertida. E não tarda a se aproximar.

-O que você quer Liz? - Ela sussurra ao meu ouvido.

-Eu quero um beijo.

-Hum. Só um beijo? - A garota pergunta mordendo delicadamente o lóbulo de minha orelha.

-Só pra começar. - Digo segurando o seu rosto. Suas mãos vão até minha cintura.

-Acho melhor você ir. - Sam diz se afastando o suficiente para olhar em meus olhos. –Não sabemos quem estava nos espionando.

-Mas eu quero ficar aqui um pouquinho com você. – Reclamo. –Eu estou com saudade de te beijar. - Digo e logo depois lhe roubo um selinho. –De te morder. - Desço a minha boca até seu queixo mordendo-o com um pouco de força. Fazendo a garota apertar a minha cintura. –De conversar. - Dou um sorriso travesso. –De...

-Já entendi. - Sam diz sorrindo. –Eu também estou morrendo de saudade de tudo isso é um pouco mais. - Seus olhos me encaram amorosos. –Mas agora a senhorita precisa voltar pra sala. E eu tomar o meu banho. Depois aproveitamos.

-Ah não Sam! - Reclamo.

-Podemos sair mais tarde. Que tal? - Faço uma careta engraçada ao me lembrar que tenho compromisso.

-Tenho aula de piano. - A garota dar um suspiro decepcionada. –Mas que tal eu te fazer uma visitinha quando acabar?

-Vou adorar. - Ela responde sorrindo. –Mas agora some daqui. - Diz me soltando.

-Eu não ganho nenhum beijinho?! - Reclamo ao vê a garota se afastar.

-Depois eu te dou quantos você quiser. - Samantha diz se virando em minha direção. -Mas só depois que você me disser o que somos.

 

 

 

 

Nome: patty-321 (Assinado) · Data: 01/03/2018 02:27 · Para: Capítulo 16 – O que somos afinal?

Lindas!



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.