A executiva e a acompanhante de luxo por Naahdrigues

Henrico liga para Carlão

- Boa tarde Carlão, como esta?

- Boa tarde patrão, o que manda de bom?

- Preciso te dizer, aquela garota de ontem que você me arrumou é um espetáculo tanto fora, como na cama, irei precisar dela amanhã para mais um servicinho.

- Por que hoje não chefe?

- Estou quebrado, ela acabou comigo.

- Então fica a seu critério caso mude de ideia só me ligar. Ele gargalha por ver a situação que Henrico ficou por Julianne.

- Fechado, até mais.

 Gabi chega em casa e diz.

- Mamãe, um louco quase me atropela, fiquei super nervosa.

- Aí minha filha ainda bem que minha Virgenzinha te defendeu.

-Amém, o que temos para comer?

- Estou fazendo aquele cozidinho que você ama.

- Que maravilha mamãe, só vou banhar e já volto. Segue para seu banho.

Enquanto isso Ana para em um dos shoppings onde tem suas lojas e entra na joalheria e escolhe um cordão com um pingente delicado de rubi, aquele presente seria para uma pessoa importante e que de alguma forma estaria lhe atingindo com um encanto que ainda não tinha entendido o que seria, volta para seu carro e vai para casa, precisava descansar, não tinha parado um minuto depois do porre de ontem. Joice passará seu dia todo atrás da moça que sua patroa falou, mais nada tinha descoberto, estava difícil achar a pessoa sem ter melhores características apenas com nome. Passado alguns dias Gabi recebe uma ligação de Carlão.

- Oi morena, tudo bem? Queria levar um lero contigo pode ser?

- Pode falar, fiz algo de errado? Algum cliente reclamou?

-Não é nada disso, eu queria desenrolar uma parada contigo o lance é que eu quero um serviço teu morena.

-Como é Carlão? Acho que não entendi bem.

-Você entendeu sim, deixa de doce, diz logo morena quanto você cobra pra deitar comigo?

-Carlão você tá misturando as coisas, não deito com chefe.

-Por eu ser chefe que você deve mesmo deitar comigo, preciso saber se o produto é bom, deitei com todas as minhas putas, contigo não seria diferente.

-Pois me recuso.

-Morena, morena, estou querendo pagar e você me recusa, sabe bem que eu poderia te comer de graça.

-Carlão não sou um pedaço de carne, e eu me vendo por necessidades, não por brincadeira, prazer ou qualquer outra coisa, você como patrão devia me respeitar.

-Lhe respeito tanto que quero pagar, mais se não aceita ok. Ele sorri cinicamente no meio da ligação e desliga.

-Vou descobrir se ela é tudo isso que os clientes estão dizendo mesmo, ah minha doce Julianne não queria lhe fazer mal, mas pelo visto foi escolha sua.

Dias depois Carlão liga para Gabi lhe informando sobre um programa em um sítio vizinho a cidade, ela estranha mas concorda e vai no dia marcado, mal ela sabia que nada não passava de uma armação dele próprio para satisfazer a vontade que tinha de ir para cama com ela, o local era muito estranho, a casa era uma cabana caindo aos pedaços, Gabi foi como deveria, quem abriu a porta do local foi um homem grisalho, esperou que ela entrasse e ficasse de costa para surpreende-la por trás com um pano em seu nariz com um produto que a faria dormir, logo que desmaiou ele colocou ela na cama e sinalizou da janela para que Carlão entrasse na casa e ficasse sozinho com ela, ele tocou nos cabelos e no rosto da menina, e começou a passar a mão em seu corpo e a despi - la.

-Poderia ter sido tudo diferente menina, mais você quis do modo mais doloroso. Ele ia tirando peça por peça, até sobrar apenas a calcinha dela.

-Não aceito levar não de ninguém muito menos de uma puta. Ele a pega pelos braços e da um forte tapa em seu rosto que faz sair um pequeno filete de sangue do canto da boca dela, com isso ela acorda meio sonolenta mais ainda não entendendo perfeitamente o que acontecia, ele continua batendo mais um pouco deixando alguns hematomas pelo corpo controlando com um pano no nariz para que não conseguisse acordar, em certo momento tira a última peça que lhe atrapalhava e a penetra sem dó nem piedade, a fudendo com brutalidade, ela que sentia vagamente uma certa dor só conseguia gemer baixinho, depois de ter terminado tudo e de ter gozado dentro dela, ele se arruma a largando e vai embora, deixando seu capanga avisado para sumir do mapa, o que ele não sabia era que o homem em que o ajudou no crime iria lhe meter em uma fria futuramente. Gabi acorda sentindo dores no meio de suas pernas e se olhando, notando o estado em que se encontrava, as manchas em seu corpo tudo mesmo evidenciando que sofrerá agressão, nota sua bolsa em uma cadeira longe, se levanta com dificuldade a pegando e ligando para a primeira pessoa da lista de chamadas.

 

 

Notas finais:

Desculpem leitoras caso não gostem do capítulo, o lado ruim dela vai começar aparecer para que no fim a Gabi seja muito feliz com Ana. Bjs ate mais tarde.



Comentários


Nome: cidinhamanu (Assinado) · Data: 09/01/2017 17:08 · Para: Capitulo 13

Bom dia Naah!!

Naah os capítulos 13 e 14 estão invertidos amiga, se der conserte por favor...

Um homem que prática um ato desse, pra mim num é um ser humano, é pior do que bicho...



Nome: suannynogueira (Assinado) · Data: 02/11/2016 18:51 · Para: Capitulo 13

Muito boa , acompanhando ...



Nome: patty-321 (Assinado) · Data: 02/11/2016 15:44 · Para: Capitulo 13
Ai q horrível. Não gostei.


Nome: rhina (Assinado) · Data: 01/11/2016 21:53 · Para: Capitulo 13

 

Olá. 

Tudo ok autora. ...sempre tem um começo e nem todos são suaves e lindos. 

Este Carlão tem que pagar com juros e correção por este ato.

Até. 

Rhina



Resposta do autor:

O que e do Carlão, Henrico e Antonella tão tudo quardado, na hora certa vai acontecer, então tá chegando o momento das meninas se conhecerem.



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.