Sobre a delicadeza do seu toque por Luah


[Comentários - 191]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

Quase 

 

 

 

Estou entediada. Olho de rabo de olho a garota deitada ao meu lado assistindo compenetrada ao filme que passava na tela a nossa frente. Dou um suspiro. “Não foi pra isso que vim até aqui.” Penso revoltada. Estou no quarto de Samantha. Deitada em sua cama assistindo ao um filme de terror. Ou finjo assistir. Odeio filmes de terror, mas para a minha total tristeza a garota de olhos amarelados, amava. “Ninguém é perfeito.” Olho novamente para a tela. “Mas que filme mais sem graça!” Volto meus olhos para as minhas unhas crescidas. Parei de roê-las há alguns meses atrás. Elas ficavam bonitas assim, grandes e pintadas de preto. 

 

Olho em volta, o quarto de Sam é espaçoso, e estava praticamente na penumbra. Só o que o iluminava era a luz que vinha da tela pendurada na parede. As grandes cortinas vermelhas estavam abaixadas para dar mais privacidade. Mas não a privacidade que eu queria. Dou outro suspiro, irritada. Se ao menos eu tivesse ganhado a maldita aposta, estaríamos fazendo algo mais interessante do que assistindo a um filme sem graça em plena sexta à noite. Como eu ia adivinhar que Vera Farmiga é o nome da atriz que fez Invocação do mal. Eu nem gosto de filme de terror. Então como eu poderia saber?! E quem é Vera Farmiga, afinal?!

 

Me viro novamente. Fazendo a cama se mexer. Os olhos amarelados caem por um segundo sobre mim. Mas logo depois se voltam para o maldito filme. Estamos deixando acontecer tem pouco mais de dois meses. E esses foram os melhores dois meses de minha vida. Está com Sam era sem duvida a melhor parte do meu dia. Está em seus braços me dava uma sensação maravilhosa de proteção. Provar de sua boca era meu vício mais prazeroso. E agora eu estava ali, vendo a personagem principal de minha devoção dando mais atenção a um filme do que pra mim. “O que esse filme tem de interessante, afinal? Só o que vejo é um bando de jovens irritantes fugindo de um espirito que eles mesmos invocaram. Os efeitos são uma porcaria. Eu fui trocada por isso?!” Dou outro suspiro indignada.

 

-Por Deus, Liz! - Sam se vira em minha direção. –O que tanto está te fazendo suspirar? – Pude ver seus olhos amarelados brilhando intensamente mesmo com a pouca luz. -Eu quero ver o restante do filme. Ele é o máximo. - A garota diz animada.

 

-Então fique ai assistindo essa porcaria. - Digo perdendo de vez o resto de paciência que eu tinha e dou um pulo da cama para sair de seu quarto. Mas antes que eu pudesse alcançar a porta, sinto braços me prenderem.

 

-Se queria outra coisa era só pedir. - Aquela voz rouca sussurrada tão baixa fez todos os pelos de meu corpo eriçarem. –É só dizer o que quer Liz. E eu faço. Eu faço o que você quiser. - Sinto-a dar leves mordidas em minha nuca. –É isso o que você quer pequena? - Aquela voz era minha perdição.

 

-Sam... hum. - Me viro rapidamente para a garota de cabelos escuros, e lhe beijo com urgência. Me farto naqueles lábios deliciosos.

 

Empurro-a até a cama, fazendo-a cair. Samantha arregala os olhos, supressa.

 

-Alguém aqui está excitada. - Sam diz debochada.

 

-Cala a boca. - Digo já subindo em seu corpo. Segurando suas mãos acima de sua cabeça. A prendendo. Meu corpo estava febril e desejoso. Eu estava praticamente montada encima da garota.

 

-Hum... Devo ficar feliz ou preocupada? - A voz rouca me questiona com cautela.   

 

Não lhe responde. Abaixo a minha cabeça e vou direto ao seu pescoço o mordiscando. Arrancando um gemido baixo de Sam. Sei o quanto é fácil excita-la. Começo a movimentar o meu corpo sobre o seu. Já não aguentava mais ter que me conter. Eu queria mais que simples beijos e algumas caricias mais ousadas. Eu queria me satisfazer. Queria acabar com aquela tortura. Meu corpo implorava por isso há dias. Mas sempre que as coisas esquentavam ao ponto de me deixar louca, Sam diminuía. Eu tinha ganas de mata-la quando isso acontecia. E agora eu estava ali, no comando. Eu ditava o meu ritmo.

 

Minha boca vai com urgência até a sua. E com ímpeto chupo a sua língua fazendo-a se contorcer. Eu precisava leva-la ao limite. Precisava fazer com que ela perdesse o controle e me desse o que eu tanto queria. Meu corpo inteiro estava em extasse. Ficamos assim por longos minutos. E tudo o que eu queria era sentir a sua pele na minha. Em um ato de desespero me afasto fazendo-a gemer em discordância. Solto suas mãos e me sento sobre os seus quadris. Sem jamais desviar os meus olhos dos seus. Com as mãos tremulas retiro a minha camiseta ficando apenas de sutiã rendado azul.

 

Seus olhos curiosos passeiam sobre o meu colo até a minha barriga chapada. Vejo-a morde delicadamente o lábio inferior. Me excitando ainda mais. Suas mãos vão de encontro a minha cintura. Apertando sutilmente. Vejo-a vindo em minha direção. Sentando comigo ainda em seu colo. Sam retira alguns fios de cabelos que insistiam em cair em meus olhos.

 

-Você é um perigo, Liz. - A garota sussurra em um tom profundamente rouco. E avança em meus lábios.

 

Suas mãos firmes sobre os meus cabelos acobreados me aprisionavam. As minhas tentavam retirar a sua camiseta. Ela estava vestida demais para o meu gosto. Quando ela vai de encontro ao meu pescoço o mordendo, dou um gritinho desesperado. Eu a afasto o suficiente para lhe arrancar aquela peça incomoda, deixando-a assim como eu. Quando a sua pele toca a minha, estremeço inteira. Com dedos trêmulos vou até a parte de trás, soltando o seu sutiã. Ato que faz a garota suspirar. A empurro de volta pra cama. E me debruço novamente sobre o seu corpo. E a prendo pelos pulsos com minhas mãos.

 

-Liz... - Samantha reclama.

 

-Fique quieta. - Digo desviando os meus olhos dos seus e descendo, descendo... Seus seios eram lindos. Dois montes com auréolas escuras. Minha boca salivou com vontade de prová-los. Eles estavam completamente rígidos implorando para serem provados. 

 

-Lizandra! - A voz rouca soa em advertência. –Me solta! - Diz autoritária.

 

Finjo que não é comigo e volto a explorar seu pescoço. E começo a descer lentamente. Quando alivio o aperto em seus pulsos. A garota não perde a oportunidade de inverter a situação. Então agora sou eu quem está cativa embaixo dela.

 

-Isso não vale. - Reclamo fazendo bico.    

 

-O que não vale é você fazer tudo sozinha. - Os olhos amarelados estão escuros. Isso faz meu ventre vibrar. –Não sabia que era egoísta. - Samantha diz para logo em seguida me beijar com força.

 

Suas mãos passeiam afoitas pela minha pele exposta. Ela tinha uma pegada que me desestruturava as estruturas. Não que eu já tivesse provado outras. Mas a de Sam era sem duvida a melhor. Ela me pegava com força e delicadeza ao mesmo tempo. Não sei dizer... Só sei que aquela garota de olhos amarelados me dominava por inteira.

 

Quando finalmente sinto aqueles lábios delicados descerem e se apossarem de um de meus seios. Mordo com força os meus lábios. Meu outro seio era dominado por uma de suas mãos. Eu sabia que não haveria mais volta. Nem me pergunte onde foi parar meu sutiã. Eu nem mesmo sabia que ele existia. Naquele momento o que me importava era a lenta tortura afligida ao meu corpo por aquela boca e aquelas mãos.

 

Sam foi descendo sem jamais desviar os olhos famintos dos meus. Sua boca deixava um rastro quente sobre a minha pele nua. Ela parou em meu umbigo brincando um pouco com ele com a língua. Suas mãos tremulas puxaram com agilidade e pericia o meu short para fora do meu corpo. Junto com ele, a minha calcinha. Me deixando indefesa. Totalmente exposta pra ela. Deliciosamente em pelo.

 

Quando sinto seu hálito quente próximo a minha intimidade, estremeço ansiosa pela sua boca. Samantha me encara novamente, seus olhos me pediam permissão. Algo que não neguei. Lhe sorrio. E com uma ousadia que eu jamais esperei que tivesse. Levo as minhas mãos aos seus cabelos a puxando para o seu destino. Sam me dar um de seus sorrisos tortos e delicadamente se aproxima. Fazendo meu coração que já estava acelerado entrar em estado de epifania. Mas algo lhe chama a atenção. E com delicadeza Samantha o contorna com os dedos. Eu já sabia exatamente o que era.

 

-Você também tem uma?! - Ela me diz supressa. Ela fica admirando por longos segundos tortuosos. Para logo depois depositar um beijo sobre minha marca de nascença. Próximo a minha virilha.

 

-Hum... – Um gemido gostoso foge de minha garganta. A chamando para mais.

 

É quando seus lábios quentes finalmente encontram minha intimidade. Dou um gemido rouco. Abro ainda mais as minhas pernas me oferecendo pra ela. Sam não se faz de rogada. Ela brinca com minha entrada. Fazendo-me estremecer ainda mais. Fecho os meus olhos com força quando ela começa a chupar o meu clitóris. Nunca sentir algo tão forte. Ela acelerava seus movimentos e logo depois diminuía. Me deixando desesperada.

 

Ela chupava, mordiscava delicadamente. Era uma tortura doce e alucinante. Isso se repete por um período que desconheço. Solto uma de minhas mãos de seu cabelo e a levo a minha boca, a mordendo. Tentando a todo custo conter os gemidos e gritinhos que me fugiam. Minha respiração se acelera ainda mais. Sinto algo se aproximando, mas eu não sabia o quer. Meu corpo todo estava tremulo e suado. Então tento fechar as minhas pernas. Mas sou impedida. Sam está entre elas.

 

É quando sou atingida fortemente. Meu ventre se contrair. Um grito de satisfação foge de minha garganta. E meu corpo inteiro se alivia. Eu estou finalmente satisfeita. A garota continua me provando com cuidado por algum tempo. Sugando e lambendo o liquido quente que fugia de minhas entranhas. Cada vez que ela passava a língua em minha intimidade. Um choque me atingia. Estava extremamente sensível.

 

-Sam... - Sussurro ofegante.

 

Sinto o corpo maior se erguer e cobrir o meu. Quando sinto-a completamente nua. Abro os meus olhos assustada. Samantha estava com a boca entreaberta. Me observando minuciosamente. Não percebi o momento em que a garota se desfez do restante de suas roupas. Mas lá estava ela, totalmente grudada em mim. Pele contra pele. Sam segura as minhas mãos sobre a minha cabeça, me dominando novamente. E com movimentos lentos e precisos começa a mexer os quadris. Ela estava deliciosamente molhada.

 

Abro mais as pernas, dando-lhe melhor acesso. Samantha se encaixa perfeitamente em mim. Seus olhos amarelados não desviavam dos meus. E aquela sensação volta a dominar o meu corpo. E os meus quadris começam a acompanhar os seus em cada movimento. Sam sorri e acelera. Arrancando-me um gemido.

 

-Isso Liz. - A garota sussurra. –Geme gostoso pra mim. 

 

-Hum...

 

-Adoro quando você geme assim. - Samantha se abaixa se apossando de minha boca. E eu sinto o meu gosto pela primeira vez. Então apenas fecho os meus olhos e a acompanho. Seus lábios deixam os meus algum tempo depois e, vão de encontro ao meu pescoço, o marcando.

 

-Aiii... Sam! - Gemo manhosa.

 

-Goza meu amor. - Samantha acelera ainda mais. –Goza pra mim. - Ela sussurra mordendo o lóbulo de minha orelha fazendo com que eu me derrame novamente em seus braços.

 

Samantha solta um gemido rouco e se deixa cair sobre o meu corpo, suada, ofegante e tremula. Ficamos assim por algum tempo. Curtindo aquele momento nosso. Sam estava com a cabeça escondida entre os meus cabelos bagunçados. Sua respiração acelerada. Quando nos assustamos com batidas a porta. Samantha ergue a cabeça e me olhar. Um sorriso discreto foge de seus lábios rosados. A pessoa insiste do outro lado.

 

-Sam... - A voz de tia Sarah nós desperta novamente. Meus olhos estão assustados.

 

-Só um segundo mamãe. - Samantha diz respirando com dificuldade. Escondo o meu rosto entre as minhas mãos, completamente constrangida.

 

-Samantha, o jantar está pronto. - A voz do outro lado avisa receosa.  

 

-Certo. – A garota responde simplesmente. Então ouvi um silêncio longo.

 

-Não demorem. - A voz de tia Sarah sai agora calma.

 

-Só mais alguns minutinhos. – Pronto, devo ter ficado roxa. Samantha da uma leve gargalhada sem afastar o corpo do meu.

 

-Já pode voltar a respirar Liz. Ela já foi. - Sam sussurra ao meu ouvido dando uma leve mordida. –Precisamos levantar. - A garota diz mais não faz menção em fazê-lo. E eu continuo ali. Me escondendo daqueles olhos. Ouço-a ri novamente. –Vamos lá pequena. Sou eu. - Sam diz retirando os meus braços com delicadeza sobre o meu rosto.

 

-Sam... – Reclamo.

 

-Liz, você é deliciosa. – Abro os meus olhos, espantada. –O seu gosto é assustadoramente viciante. - A garota diz estreitando os olhos amarelados. –Não vejo a hora de tirar a sua virgindade.

 

-Mas... - Pergunto confusa. “Ela não fez isso?!” Penso. “Então o que diabos fizemos?” Ao notar a minha confusão, Samantha morde os lábios.

 

-Não pequena, eu não tirei sua virgindade. Mas foi quase. - Sam contorna os meus lábios com os dedos. Seus olhos observando atentamente seus próprios movimentos. –Você não pode me provocar desse jeito sem esperar por consequências.

 

-Mas eu pensei que...

 

-Não houve penetração, Liz. - Samantha se abaixa me roubando um selinho. –Não faça isso de novo. Não é assim que eu quero que aconteça a sua primeira vez.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nome: Cris Reis (Assinado) · Data: 29/03/2018 03:15 · Para: Capítulo 14 – Quase

-Você também tem uma?! - Ela me diz supressa. Ela fica admirando por longos segundos tortuosos. Para logo depois depositar um beijo sobre minha marca de nascença. 

Obs: COMO ASSIM VC TB TEM UMA?? SABE QUE POR UM MINUTO PENSEI QUE ELAS PODERIM SER IRMÃS, rsrs.... QUE LOUCURA NÉ ?... MUITO LOUCURA NÉ AUTORA???...



Resposta do autor:

Rsrs... Bom, vamos lá minha linda. A outra marca que Sam se referiu foi a de Júpiter. Ele tem uma marca branca sobre a testa com o formato de uma lua. E como ela, assim como Liz, é encantada por animais, não deixou passar despercebido. Tudo o que está escrito é ligado a alguma coisa. Então, cerdo ou tarde algo é revelado.

 

Beijuus...



Nome: Pryscylla (Assinado) · Data: 19/02/2018 00:53 · Para: Capítulo 14 – Quase

Eita que capitulo kkkkkk

Imagina quando ela perder a virgindade :) 

Bjus 



Resposta do autor:

Estou louca para chegar logo a essa parte. Rsrs... Estou dando o melhor de mim para isso. 

Beijos  



Nome: patty-321 (Assinado) · Data: 18/02/2018 23:45 · Para: Capítulo 14 – Quase

Nossa. Foi quente. Pra adolescentes elas estao bem soltas. Liz teve o.primeiro orgasmo com sam e sem perder a virgindade. Uau.



Resposta do autor:

Adorei essa loucura. Rsrs...

Beijos



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.