Desejo e loucura por Lily Porto


[Comentários - 191]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

 

Clara

O tal evento organizado pela prefeitura foi a inauguração do anfiteatro que estava em reforma a quase um ano, e como o seu Giovani além de empresário muito conhecido na cidade, apoia alguns projetos da gestão, foi convidado para prestigiar o mesmo. Em dado momento percebi que a primeira dama estava muito interessada em saber o motivo dele estar em minha companhia, e não da neta.

Não sei descrever o que senti, mas um arrepio percorreu meu corpo quando ela chegou onde estávamos e segurou gentilmente em meu braço. E o arrepio foi ainda pior quando estava saindo do banheiro e acidentalmente ela esbarrou em mim, se apoiando em meus braços para não cair. Confesso que nunca me senti tão feliz em sair de um local, quanto me senti saindo dali.

Quase um mês se passou desde aquele infortúnio do “não casamento”, e a despesa ficou toda por minha conta, já nem tenho mais de onde tirar dinheiro, estourei o limite do cartão e limpei minha poupança, maldita hora que inventei de casar. Tive uma conversa a sós com o Alex depois daquele dia na casa dos meus pais e além de me tratar muito mal, ele colocou a culpa do rompimento com o pai e a demissão em mim, e passou a não atender as minhas ligações. A poucos dias descobri que estou com um problema ainda maior que a falta de grana, mas hoje como sem falta resolverei e assim me livrei de uma vez por todas de tudo que me lembra dele.

– Clara, preciso da liberação para a compra do material. Os rapazes estão esperando uma resposta.

– Desculpa Agnes, acabei esquecendo.

– Tudo bem. Pode me entregar agora?

– Posso, – procurei em uma pasta que estava sobre a mesa – droga. Não tá aqui.

– Não tem problema, quando você encontrar, me avisa que venho buscar.

O telefone tocou e atendi apressada: – Alô!

– Clara, minha neta tá ai?

– Tá sim.

– Me deixa falar com ela, por favor.

– Agnes, seu avô!

Entreguei o telefone a ela e corri para o banheiro, as crises de enjoo estavam ficando cada vez piores. Me olhei no espelho, estava pálida e com olheiras. Esperei alguns minutos para sair, afinal, ninguém na empresa sabia da minha atual situação.

Ao abrir a porta me deparei com uma Agnes inquieta, andando de um lado para o outro com o celular na mão.

– Algum problema? – perguntei cautelosa.

– Pode me dizer porque está procurando clínicas de aborto na internet?

Gelei dos pés a cabeça, como ela sabia daquilo? Olhei dela pra minha mesa e lembrei que tinha deixado o navegador aberto, ela devia ter visto quando foi colocar o telefone na base. Precisava sair daquela enrascada sem arrumar maiores problemas:

– Agnes... eu... nossa – passei a mão no cabelo tentando ganhar tempo – eu...

– Você tá grávida e pensando em abortar, é isso Clara? – perguntou incisiva.

– Eu... – coloquei a mão na boca, maldito enjoo – licença – corri novamente para o banheiro.

Merda, tudo o que eu não precisava era que alguém descobrisse o que estava acontecendo. Eu só queria me livrar daquele problema, e voltar a viver em paz. Sai do banheiro e como ainda a encontrei lá, fui dizendo:

– Tenho uma reunião agora. Preciso me preparar.

– Você não tá bem, olha como tá pálida, de longe percebe-se que tem alguma coisa acontecendo contigo.

– Não se preocupa. É apenas um mal estar – falei encostando a cabeça na cadeira e respirando fundo.

– Clara, eu sei que não somos amigas a esse ponto. Mas conversa comigo, o que tá acontecendo com você?

– Não tá acontecendo nada, eu tô bem. Não precisa se preocupar. – olhei pra ela – Assim que eu encontrar o documento que precisa, pedirei a minha assistente que lhe entregue.

Inspirou fundo e sentou na cadeira a minha frente: – Você pode até não querer falar. Mas é visível que não está bem. Só me diz que não vai fazer isso com o bebê que está esperando, por favor.

– Fazer o que? Que bebê que nada – engoli a seco. – Você tá imaginando coisas. Agora se me der licença, preciso me preparar para uma reunião – indiquei a porta.

Ela levantou cabisbaixa, no meio do caminho até a porta parou e se virou dizendo baixinho: – Você esqueceu que além das abas contendo os nomes das clínicas, deixou também o resultado do exame aberto.

Caralho, meu e-mail estava aberto tinha esquecido completamente disso, levei as mãos ao rosto na tentativa de conter as lágrimas que estava segurando desde o início daquela conversa.

Ela me olhou sentida, balançou a cabeça e se ajoelhou ao meu lado dizendo com paciência:

– Não tira esse bebê, é uma vida que você tá carregando, não a tire dessa forma.

– Eu não posso ter um filho agora, ainda mais sem alguém para me ajudar a cria-lo.

– O problema é só esse?

– Não é só esse! Ser mãe solteira é bem complicado Agnes, criar uma criança sozinha nos dias de hoje não é a coisa mais fácil do mundo.

– Cadê o pai do seu bebê, vocês já conversaram? Todo homem sonha em ser pai um dia.

Abaixei a cabeça respondendo envergonhada: – Ele não quer saber do bebê, duvida da paternidade e aconselhou que eu fizesse mesmo o aborto, alegando que eu não sabia quem era o pai e estava tentando empurrar pra cima dele.

– Mas isso é muita maldade, um ser humano como esse não merece nunca ser considerado como pai. Do que você precisa para não tirar esse bebê?

– De coragem! Eu não vou conseguir cria-lo sozinha.

– Eu crio com você, você quer?

Ela disse isso com a maior naturalidade enquanto tentava enxugar minhas lágrimas. Bem que ela poderia ser homem, assim teria ao menos uma chance com ela.

– Você não pode me ajudar.

– Porque não?

– Desculpa, mas eu preciso de um pai para o meu filho, e não de outra mãe.

Me olhou intrigada e disse de forma ponderada: – Não disse que queria ser mãe do seu filho. Apenas ofereci ajuda para você cria-lo. Não quero ocupar o seu lugar, muito menos incorporar um homem, apenas para ser pai dele.

– Perdão, ­disse envergonhada – não quis te ofender!

– Não precisa pedir, não me ofendeu. Mesmo porque, se eu escolhesse uma mulher para gestar um filho meu, não a abandonaria de forma alguma. Mas no momento, não sou eu quem precisa de ajuda. E sim você, me diga, como posso ajudá-la?

– Esquece isso, o problema é meu. Me deixa resolver ele sozinha. Não se preocupa, já achei a clínica e vai ser melhor assim.

– Não precisa fazer isso Clara, deixa eu te ajudar.

– Você não pode me ajudar, já falei. Eu sei como resolver esse problema e acabar com todo esse transtorno.

– Não faz isso, por favor!

– Agnes, eu não quero e nem posso ter um filho, nesse momento eu não tenho estrutura financeira e muito menos emocional para tal.

– Se o problema é grana, vem morar comigo, sei lá... Minha casa é grande, dá muito bem pra adaptar para receber vocês...

– Você se escutou? Para, não posso aceitar isso, não posso dividir meus problemas com você, ainda mais um desse tipo e gravidade.

– Clara, não estou pedindo para que case comigo. Não me entenda mal, dei apenas uma sugestão para te ajudar.

– Eu sei. Mas é que não me sinto capaz de criar um filho agora, é complicado de explicar.

– Deixa eu te ajudar, ou então, conversa com a Liu, com seus pais. Garanto que eles não vão deixar você fazer essa loucura.

– Eles não precisam saber desse meu mau passo. E não vou voltar pra casa dos meus pais com um filho nos braços pra eles terem que bancar nós dois.

– Então aceita a minha ajuda. Não foi um mau passo, não fala assim do seu filho, ele sente tudo o que você sente. Não fica triste, trazer uma nova vida para esse mundo é um milagre, e precisa ter muito amor para fazer isso. Você pode tá magoada com o pai do seu bebê agora, mas vale mesmo a pena sacrificar uma vida por isso? Ele não tem culpa, e você não precisa carregar essa culpa pelo resto da sua vida.

– Eu... Agnes, eu não... nossa. – não conseguia formar a frase, tudo o que ela tinha dito me abalou e muito, só agora eu me dava conta de que estava prestes a matar alguém – Não tinha pensado dessa forma. Eu só quero me livrar desses problemas, foi o casamento que não aconteceu, as dívidas, e agora isso...

– Muitas pessoas não pensam nos prós e contras, antes de fazer algo assim. Não se sinta culpada por isso.

– Que vergonha. – levei as mãos ao rosto – Só agora lembrei que a pouco tempo li um livro que falava sobre a reencarnação de um jovem, onde a mulher que o conceberia, escolheu passar por um estupro para que ele nascesse. E mesmo podendo fazer o aborto, por conta das circunstâncias que a levaram a engravidar, ela preferiu terminar com o namorado ou era noivo, não lembro bem, do que abortar a criança – minhas lágrimas aumentaram e me senti sufocada.

– Clara, olha pra mim, calma. Respira devagar, por favor. Vai ficar tudo bem. Não vou te deixar sozinha, eu vou te ajudar, não importa o que queira fazer, tá bom?

– Você... – tentava respirar e falar ao mesmo tempo e a voz não saia.

Ela ficou acariciando minha mão por alguns minutos, até meu choro ir cessando, e só ai voltou a falar:

– Em algum momento você pensou que pode se arrepender depois que fizer o procedimento? Pelo pouco que te conheço sei que tem o coração bom e seria uma ótima mãe. Não desperdiça essa chance. Tem tantas mulheres que fariam tudo para ter o privilégio que você está tendo agora. Sei que o fim do seu relacionamento foi trágico, mas Deus te deu de presente um milagre, o milagre da vida já habita em você. Entretanto, se optar pelo aborto, saiba que vou com você e estarei do seu lado. Eu só quero que saiba que não vou te deixar sozinha nessa situação. Estarei com você independente da decisão que tomar.

Apenas em segurar minhas mãos ela me transmitia tanta paz, eu não conseguia explicar o que estava acontecendo, mas algo dentro de mim vibrava muito com aquele contato, e por mais que eu quisesse, não conseguia parar de chorar, um misto de sensações explodia dentro de mim. Por mais que quisesse dizer o quão bem ela estava me fazendo ali, a única coisa que saiu da minha boca foi:

– Desculpa atrapalhar o seu dia com as minhas bobagens.

– Jamais diga que você e seu bebê são bobagens.

Ela fez uma carinha tão fofa, fiquei lerda olhando seus olhos, não sei o que eles tinham de tão especial pra prenderem tanto a minha atenção assim. Voltei para o mundo real com o toque do meu celular, olhei para o visor e nele aparecia o número da clínica de aborto, tinha marcado de estar lá em duas horas, e já estava no horário.

– Alô!

– Dona Clara, estamos a sua espera.

– Desculpa, tive um imprevisto. Poderia remarcar o horário?

Agnes me olhou apreensiva, como se me pedisse para não fazer aquilo. Meu coração também não estava feliz com aquela minha atitude louca, e de certa forma impensada... e se como ela disse, eu me arrependesse depois? Não ia poder fazer o tempo voltar, era uma decisão difícil, uma pequena parte de mim queria fazer aquilo, mas a minha consciência insistia em dizer que não era o certo a se fazer, e agora a Agnes ali, me dizendo tudo aquilo, parecia um anjo enviado por Deus...

– Dona Clara, a senhora está ai? – a moça me chamava atenção do outro lado da linha.

– Desculpa. Você pode me fazer um favor?

– Sim, pode falar!

– Cancela a consulta. Eu não vou mais fazer o procedimento.

– Obrigada dona Clara, tenha uma boa tarde.

Eu poderia até estar enganada, mas a moça respirou aliviada quando falei da desistência.

– Era da tal clínica? – perguntou apreensiva.

– Sim!

– Você desistiu do tal... – calou-se.

– Sim. Tudo o que conversamos me fez pensar que o que queria fazer, não era certo nem para mim e muito menos para o bebê. – passei a mão no rosto – Vou fazer de tudo para criar o meu filho.

– Que maravilha te ouvir falando assim. Agora precisamos ir ao médico.

– Médico, mas pra quê?

– Não que eu já tenha tido um filho, mas acho que você precisa de um acompanhamento profissional depois que descobre a gravidez. Algo chamado pré-natal, que deve ser iniciado assim que a futura mamãe descobre que está gravida.

– Agnes, eu não...

Me interrompeu dizendo séria: – Você vai fazer o pré-natal e tudo mais que seja necessário. Não vou deixar que nada falte a você e ao bebê.

– Você não...

– Chega Clara! – disse com a voz firme – Encerramos essa conversa aqui. De agora em diante não quero mais ouvir falar no que você pensou em fazer. Falaremos e trataremos apenas dos preparativos para receber o seu filho, ou filha. – sorriu – Já pensou na possibilidade de serem gêmeos? Sempre quis ter filhos gêmeos, – me olhou envergonhada – desculpa se pareceu que queria ser mãe do seu bebê. – levantou de um pulo me puxando pelas mãos e me abraçando.

– Ahh Clara, que bom! Estou tão feliz que tenha tomado a atitude certa. – me encarou e tirou uma mecha de cabelos que estava em meu rosto.

Ficamos nos olhando e fui me aproximando do seu rosto, o olhar dela me prendia. Só naquele momento reparei em seus lábios e me senti totalmente atraída por ela, fechei os olhos...

– Atrapalho senhoras?

Levantei o rosto e olhei para a porta, ela virou o rosto na mesma direção que eu, e me encolhi em seus braços. Droga, viajei no meu ambiente de trabalho, e quase beijei a minha chefe. Tudo o que eu não preciso nesse momento é ser demitida. Tentei me recompor e falar alguma coisa, mas ela gentilmente beijou minha testa e sorriu dizendo:

– Vô, precisava justamente de um favor seu, não é Clara?

A olhei confusa: – Precisava?!

– Sim – me ajudou a sentar.

– Diga em que posso ajuda-la!

– Libera a Clara, por favor! Ela precisa ir ao médico, e se for possível, libera a mim ou a Liu também, para acompanhá-la.

– Você está se sentindo mal, Clara? Se quiser chamo o médico da empresa para vir aqui.

– Não vô, não precisa. Na verdade, a Clara precisa de uma consulta médica, e o médico dirá o que ela precisará fazer depois.

– Mas... – coçou a barba – você está me deixando confuso.

– Não fique. Confie em mim apenas, o senhor pode fazer o favor?

– Bom, posso! Mas você a acompanhará. A Lívia está em uma reunião fora da empresa. Tem certeza que tá tudo bem, Clara? – perguntou preocupado.

– Tá sim seu Giovani, desculpa. Mas a Agnes tá exagerando, eu tô ótima.

– O papo está ótimo, mas, Clara temos que ir, quanto menos tempo perdermos, melhor. – se dirigiu ao avô – O senhor precisa de alguma coisa?

– Vim apenas saber se tinha conseguido pegar o documento. Mas já que tiveram um imprevisto, resolvemos isso amanhã.

– Obrigada vovô, te amo. Qualquer coisa me liga. – beijou o rosto do avô.

Me despedi dele rapidamente e ela saiu pelo corredor segurando minha mão e falando dos vários nomes que achava bonito, tanto para menino quanto para menina.

 

Notas finais:

É meninas, a Clarinha está grávida e recebeu um grande incentivo para ter o bebê... vejamos como isso vai ficar daqui pra frente.

Um ótimo fds, bjs.



Comentários


Nome: Tekaxaviers (Assinado) · Data: 16/05/2018 17:52 · Para: Capitulo 13 - Clara: O mundo está desabando...

Boa tarde!

Então Clara confirma a gravidez e com toda a confusão que vive decide abortar, mais Agnes que veio pra fazer a diferença na vida dela sabiamente age por instinto, realmente esse casal tem que acontecer.

Clara segura na mão de Deus e vai!!!



Resposta do autor:

Boa tarde, Teka!

Pois é, gravidez confirmada e quase ela comete uma bobagem, mas, eis que surge a Agnes... Será que o casal "vai acontecer"? rsrsrs.

Vamos ver no que vai dar: "Clara segura na mão de Deus e vai!!!"

Se cuida querida, bjs.



Nome: dannivaladares (Assinado) · Data: 28/04/2018 14:49 · Para: Capitulo 13 - Clara: O mundo está desabando...

Agnes é uma pessoa incrível. 

Caramba!

A Clara precisa da Agnes. Senhor!

 

Rsrs...

 

Bjs,

Dani. 



Resposta do autor:

Boa tarde, Danni!

Agnes é uma pessoa incrivel, e de um coração enorme. Não deixaria a Clara fazer nada contra si.

"A Clara precisa da Agnes. Senhor!" interessante essa parte.

Se cuida querida, bjs



Nome: mtereza (Assinado) · Data: 21/04/2018 15:23 · Para: Capitulo 13 - Clara: O mundo está desabando...

Gostei do fato da Agnes ter dado o apoio necessário que fez a Clara repensar e não levar adiante o procedimento, coisa que ela estava fazendo não por escolha ,nesse caso eu apoaria a decisão dela pois sou pró escolha da mulher ,mais no caso dela era claramente por esta se sentindo sozinha e desamparada. Agora a relação delas sem dúvida terá uma reviravolta.



Resposta do autor:

Oiie!!

A Agnes deixou claro que como vc, apoiaria a decisão da Clara. Mas ajudou bastante com a conversa que teve com ela. Acho que ela se arrependeria, se tivesse feito o procedimento, foi bom ter conversado com a Agnes.

Quanto a relação delas, acho também que a afinidade ficará maior.

Bjs querida.



Nome: Lili (Assinado) · Data: 14/04/2018 13:13 · Para: Capitulo 13 - Clara: O mundo está desabando...

Agnes vai ser mãe coruja do bb da Clara. Kkkkkkkl....

 



Resposta do autor:

Bom dia Lili!

Calma xará, a moça precisa aceitar todo o apoio, que a Agnes se disponibilizou a dar pra ela, primeiro. Daí veremos, se a Agnes será mesmo essa mãe coruja.

Se cuida querida, bjs.



Nome: Mille (Assinado) · Data: 13/04/2018 21:39 · Para: Capitulo 13 - Clara: O mundo está desabando...

Olá Lily 

Menina a Clara queria abortar fiquei bege aqui. Ainda bem que a Agnes a fez mudar de ideia e ainda se ofereceu para ajudar tanto no cuidado como financeiro.

E que atitude o ex teve ( num lembro o nome dele) e ainda a mandou tirar sujeito devia era levar uma surra.

Bjus e até o próximo capítulo 



Resposta do autor:

Boa tarde, Mille.

A atitude da Clara foi bem "drástica" mesmo, que bom que a Agnes apareceu, e assim conseguiu acalma-la, a ponto de fazer um exame de consciência antes de cometer o ato.

O Alex colocou a culpa de todas as mazelas dele, na Clara. Vindo dele, não foi uma surpresa, tal reação.

Se cuida querida, bjs.



Nome: Baiana (Assinado) · Data: 13/04/2018 19:14 · Para: Capitulo 13 - Clara: O mundo está desabando...

Sei não,mas eu acho que o instinto materno da Agnes acordou e ela já está se sentindo mãe dessa criança também. Tô vendo que a Clara vai ser muito mimada kkkk

Uma certa primeira dama de araque não vai gostar nada.



Resposta do autor:

Bom dia, Baiana!

Olha, se o instinto materno vai ser aflorado, não tenho como garantir ainda. Mas que o instinto protetor da Agnes entrou em modo on com a Clara, isso é um grande fato.

Agora é ver no que vai dar isso ai. E quanto a primeira dama, creio eu, que logo ela dirá o que achou disso tudo.

Se cuida querida, bjs.



Nome: Pipoca ramos (Assinado) · Data: 13/04/2018 17:45 · Para: Capitulo 13 - Clara: O mundo está desabando...

Vou ali chorar um pouco e depois comento direito.



Resposta do autor:

Boa tarde Pipoca!

Vc tá bem, moça? Desculpa ter te feito chorar, creio que essa não tenha sido a intenção das meninas, mas cê viu, né, já tá tudo bem. Acalma ese coração ai, por favorzinhol.

Se cuida querida, bjs.



Nome: Bia Ramos (Assinado) · Data: 13/04/2018 16:02 · Para: Capitulo 13 - Clara: O mundo está desabando...

Oiie! Tarde autora...

Capítulo maravilhoso, e a Agnes ganhou meu coração com essa atitude tão linda... *-*

Quem sabe agora a Clara não pense com mais clareza e volte ser a mulher centrada que ela era antes de resolver casar com o paspalho do Alex... (desabafo) uffa.

Quanto a Cal? Sem comentários... Essa mulher embrulha meu estomago... aff

Vamos ver o que vai ser daqui para frente... e bem que podia rolar um beijo entre essas duas néh? Passou da hora já... So acho! ;)

BJs Lily... Até a próxima... ansiosa já...

Bia



Resposta do autor:

Boa tarde, moça!

Olha só, a Ag te ganhou, que privilegio o dela, né, rsrsrs.

Então, Clarinha tá meio assim, mas tem tudo a ver com a gravidez, afinal o psicologico e os hormonios, estão a flor da pele.

Acho que vc tem cisma com a Cal, será que é por conta do signo? Huum, pensando aqui.

Beijo autora? kkkkkkkkkkkkkkkkkkk, quer me arrumar problema, né! Tu viu o nega que a Clara deu, quando a Agnes ofereceu a casa para ela morar, imagina um beijo agora? kkkkkkkkkk. Vai com calma ai, e vamos ver quem tira esse jogo do 0 x 0, rsrsrs.

Bjs querida, é sempre uma satisfação te ver por aqui. Se cuida.



Nome: Socorro de Souza (Assinado) · Data: 13/04/2018 15:58 · Para: Capitulo 13 - Clara: O mundo está desabando...

Agnes vc existe????????  kkkk 

rapaz o proximo passo e casamento, filho ja tem kkkk

Que ajuda em Clara,rapaz nem todo dia que encontramos um anjo na nossa vida não e vdd..



Resposta do autor:

Bom dia Socorro!

Menina, encontrar uma Agnes na vida, é um grande achado viu, rsrs.

Casamento, mas já? kkkkk, acho que ainda tá cedo, afinal, Clara não aceitou o convite da Agnes ainda.

Esse anjo caiu de paraquedas na vida da Clara, tomara que ela saiba aproveitar a ajuda.

Se cuida querida, bjs.



Nome: duarte (Assinado) · Data: 13/04/2018 15:43 · Para: Capitulo 13 - Clara: O mundo está desabando...

Aaaaaaaaah a Agnes e um amor! Quero ela pra mim.



Resposta do autor:

Bom dia Duarte!

A Agnes foi bem gentil, com a Clara, né! Fofa ela. 

Bjs querida, se cuida.



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.