Última noite de amor por Vandinha


[Comentários - 1262]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

Última Noite de Amor -- Capítulo 12

 

 

Poucos instantes depois, com as sirenes ligadas, a ambulância saia em alta velocidade pelas ruas em direção ao apartamento do Leblon.

-- Sabia que nós podemos ser demitidas por causa dessa loucura sua?

Simone deu uma risadinha tímida.

-- Que Deus me perdoe, mas foi muito divertido. Me senti com quinze anos, apertando a campainha da porta da minha vizinha bruxa e saindo correndo.

-- Divertido? Não estou te reconhecendo Mone. Pra mim foi irresponsabilidade pura -- Tatiana deu uma batidinha no vidro, chamando a atenção do motorista -- Ei amigo, pode desligar a sirene.

Isabel continuava muito assustada, não conseguia relaxar, a cena da perseguição ainda estava viva em sua memória. Tremia convulsivamente e esfrega as mãos.

Simone percebendo a situação, sentou ao seu lado e segurou as mãos da amiga entre as suas.

-- Agora está tudo bem, Isa. Você está em segurança -- passou lhe uma das mãos pelo cabelo e pôs a outra nos joelhos, da amiga.

-- Não vou estar segura em lugar nenhum. Ele vai me perseguir até o fim do mundo. Pode ter certeza disso -- uma lágrima silenciosa rolou pelo seu rosto. Secou-a com as costas da mão -- Podem me deixar aqui nessa rua, acho que despistamos o Bob. Ao menos por enquanto ele não vai me perturbar.

-- Não mesmo! -- Simone segurou nos ombros de Isabel -- Você vai ficar com a gente.

-- Vai? -- Tatiana perguntou admirada.

-- Vai -- respondeu convicta -- Estamos precisando de mais uma enfermeira para completar a equipe. O Bob jamais te encontrará na casa da Alexandra. Já estive lá. É um condomínio fechado, uma verdadeira fortaleza.

-- Eu não sou enfermeira, Simone. Vou matar a coitada -- não conseguiu segurar o riso.

Estavam tão distraídas discutindo o assunto que nem perceberam que tinham chegado no condomínio.

-- Podem descer -- o motorista avisou abrindo as portas da ambulância.

As três se olharam em silêncio.

 -- Acho que agora é tarde -- Tatiane apontou discretamente para Janaína que se aproximava do veículo.

-- Quem é ela? -- Isabel olhou para a bela garota que caminhava como uma modelo na passarela.

-- Mais tarde, quando as coisas estiverem completamente ajeitadas, te conto tudo. Desde o princípio.

-- Vamos lá, então -- Tatiana saiu da ambulância e posicionou-se para retirar a maca -- Ajuda aí, enfermeira gostosona. Não vai pensando que será moleza.

-- Saí de uma confusão e acabo de entrar em outra.

-- Para de resmungar e ajuda aí -- Simone riu da falta de jeito da amiga.

-- Finalmente! -- Janaína ergueu as mãos para cima -- deram uma paradinha para um lanche?

-- O transito estava terrível -- Simone sentiu o rosto quente, devia estar completamente corada, como se Janaína lesse os seus pensamentos.

Se Janaína percebeu, não falou nada, pois, rapidamente voltou a sua atenção para Alexandra.

-- Aguenta mais um pouco, meu amor. Logo, logo, você estará novamente em seu quarto -- fez um carinho no rosto dela e depois a beijou na face -- Vamos cuidar uma da outra -- seus olhos se encheram de lágrimas -- O Van Damme ajuda vocês.

Janaína saiu rápido de perto delas. Não queria que a vissem chorar, não gostava de demostrar fraqueza a ninguém, ainda mais a elas, que acabara de conhecer.

Isabel não estava entendendo nada.

-- Por acaso elas... -- esfregou um dedo no outro.

-- Não. Elas não são um casal. Se é isso que você quer saber -- Simone puxou a maca em direção ao elevador -- Vamos entrar logo, antes que ela acorde. Já enrolamos demais.

Mais tarde no quarto de Alexandra.

 

Isabel sentou ao lado de Alexandra na cama. Ficou durante alguns minutos a contemplando, os cabelos lisos e de um castanho bem claro, a pele alva de seu rosto adormecido, o respirar lento saindo dos lábios entreabertos tão ... delicados.

Atordoada piscou várias vezes e se levantou. Sentia o corpo moído, já não sabia há quantos dias e noites não descansava direito.

-- Algum problema? -- Samanta entrou no quarto e fechou a porta.

-- Não. Só estava observando a garota. Ela deve ser muito rica, não é mesmo? Esse apartamento é de um luxo digno da família imperial inglesa.

-- A Alexandra é uma grande empresária. Dona de várias boates e bares espalhados pelo Brasil. Herdou toda a fortuna dos pais.

-- Eles são mortos?

-- Morreram em um acidente de transito.

-- Aquela moça linda que nos recebeu...quem é?

-- Aquela é a Janaína. Ela trabalha para a Alexandra -- sentou na poltrona e cruzou as pernas -- A Janaína era a namorada da garota que estava na moto juntamente com Alexandra no dia do acidente.

-- Aonde ela está? -- perguntou curiosa sentando na poltrona ao lado.

-- Infelizmente ela morreu -- falou demonstrando tristeza no olhar -- A Janaína não se conforma. Ela só está de pé porque ama a Alexandra e tem que cuidar dela. Caso contrário, estaria caída em algum canto chorando a sua infelicidade.

-- Que triste -- falou olhando para Alexandra -- E ela? Tem alguém?

-- Aquela loira arrogante que saiu daqui a pouco, é a noiva dela.

-- Sério? Só podia ser. Ela olhava para nós com se fossemos umas pobres serviçais. Pessoinha arrogante que se acha o máximo!

Simone se levantou e foi até a cama.

-- Me ajuda. Preciso aplicar uma injeção nela. Daqui a pouco ela vai acordar e não quero que sinta dor -- preparou a injeção e aplicou com a ajuda de Isabel -- Agora vamos levantar um pouco a cabeceira da cama para deixa-la mais confortável.

-- Eu vou sobrecarregar vocês, Simone -- observava a amiga ajeitar Alexandra, com uma habilidade inacreditável -- Não tenho prática alguma de enfermagem, pensa, terão que além de fazer a parte de vocês, fazer a minha parte também.

-- Não se preocupe querida. Tem muita coisa que você poderá fazer e que não precisa ter conhecimentos em enfermagem.

-- Sério? Tipo o que?

-- Alimenta-la, mudar de posição na cama, dar banho...

-- Dar banho?

-- Claro né Isabel...ou você acha que ela vai conseguir tomar banho sozinha com dois braços e duas pernas fraturadas?

-- Lógico que não.

-- Então?

-- Tudo bem. Eu farei tudo o que vocês acharem que posso fazer. Prometo me esforçar.

-- Que bom Isa. Vamos deixar a poeira baixar, depois veremos o que podemos fazer para te ajudar a sair dessa.

-- hoje estou muito cansada, mas amanhã, prometo te contar tudo o que aconteceu durante todos esses dias que estive fora.

-- Claro. Não tem pressa. Tome um banho demorado e relaxante. Pode usar o banheiro aqui do quarto mesmo, a Janaína autorizou. A toalha e as roupas que trouxe para você, estão sobre a cômoda.

-- Vou fazer isso. Obrigada. E você?

-- Eu vou tomar um banho no meu quarto, jantar e depois venho te substituir para você ir jantar e dormir. Ok?

-- Para mim está ótimo -- Isabel sorriu.

-- Estamos combinadas -- Simone beijou as duas faces de Isabel e a abraçou, ternamente -- Isa minha amiga, seja bem-vinda a nossa equipe.

 

 

Assim que Simone saiu do quarto, Isabel apressou-se em preparar o seu banho. O banheiro assim como o quarto era magnifico, uma banheira enorme e à sua frente havia um espelho gigante que cobria toda a parede.

Água quente e fria correu para dentro dela com um simples toque. Era tudo de mais moderno que já havia visto até aquele momento.

Encheu a banheira e ficou lá deitada por um longo tempo. Enquanto relaxava com a água quentinha deliciosa, pensava em tudo o que havia passado em Angola.

Só podia estar delirando quando aceitou sair do país na companhia daquele homem. Isabel refletia que fora o melhor aprendizado que tivera. Ah, aprendera uma grande lição e uma vez aprendido como funcionava o jogo, não repetiria o mesmo erro.

Lembrou de Malú. Talvez a amável amiga tenha aprendido a lição também.

Pensou em como poderia cumprir a promessa que fez, se estava impossível de sair as ruas do Rio, imagina voltar a Angola e livra-las do cativeiro?

Esses pensamentos a perturbaram, tinha pouco a fazer a não ser esperar.

Fechou os olhos e adormeceu. Foram alguns minutos de sono calmo, sem sobressaltos ou pesadelos.

Quando abriu os olhos sentia-se bem melhor. Saiu da banheira deixando um rastro molhado pelo banheiro. Procurou pela toalha e as roupas e lembrou que haviam ficados sobre a cômoda do quarto.

-- Droga -- olhou para os lados procurando algo com que se cobrir -- E agora?

Balançou a cabeça e sorriu. Que mal haveria em ir nua até o quarto? Só estavam ela e a bela adormecida, mesmo.

Deu uma corridinha desajeitada cobrindo os seios com as mãos.

-- Há, aí está... -- se virou e deu de cara com Alexandra acordada e a olhando.

Isabel paralisou diante daqueles olhos verdes. Tão verdes que mais pareciam duas esmeraldas. Os mais belos olhos verdes que ela já tinha visto.

Lembrou que estava completamente nua. Sentiu seu rosto queimar de vergonha, mas mesmo assim continuou alí parada.

-- Des...desculpa Alexan... -- gaguejava ao falar -- Esqueci a toalha...

Ouviu uma batida na porta seguida pela voz de Tatiana.

-- Posso entrar?

Isabel conseguiu finalmente mover-se e correu de volta para o banheiro.

-- Entra -- berrou de lá.

Quando retornou ao quarto, seu coração batia tão rápido que Isabel poderia jurar que a qualquer instante ele saltaria pela boca.

Tatiana estava sentada na cama conversando com Alexandra.

-- Você poderia fazer uma forcinha e voltar a realidade. Os seus amigos estão desesperados. Te querem de volta -- tocou na parte da mão que ficava fora do gesso -- Principalmente a Janaína. Ela é a que mais está precisando de você.

Isabel se aproximou estranhando o teor da conversa. Não olhou para ela. Não podia ou iria chorar de vergonha.

Isabel permanecia muito silenciosa, se aproximando da cama, passo após passo, ela se sentia praticamente desnuda em sua frente, devido ao modo como Alexandra havia lhe olhado anteriormente.

-- Você não acha, Isabel? Que a Alexandra deveria ser mais corajosa e enfrentar a realidade?

-- O que está acontecendo?

Tatiana olhou nos olhos de Isabel e entendeu a situação.

-- A Alexandra está sofrendo de "Depressão catatônica". Que é essa apatia severa e opção por não falar, mutismo seletivo.

-- Quer dizer que ela não fala?

-- Não.

-- E eu aqui desesperada... -- sorriu aliviada.

-- Por enquanto... -- Tatiana se levantou e caminhou até a porta -- A Simone já está vindo. Hoje ela que ficará com a Alexandra. Boa noite.

-- Boa noite, Tati.

Assim que a porta foi fechada, virou-se para Alexandra.

-- Promete que não conta para ninguém que me viu nua?

Silêncio

-- Obrigada -- Sentiu vontade de passar a mão naquela cútis branca, sombreada por cabelos castanhos tão clarinhos e lisos, mas desistiu. Não deveria ter nenhum tipo de intimidade com aquela garota. Alexandra é lésbica e desfilar nua para ela, já havia sido o máximo da provocação.

 

 

Janaína estava tão cansada com a agitação e a tensão do dia que, mal chegou à cama, já caiu em sono profundo.

Ouviu o barulho do que, sem dúvida, devia ser de louças.... Levantou a cabeça, os olhos arregalados, ouvidos atentos. Com passos indecisos, caminhou até a cozinha e parou na porta. Os olhos dela instantaneamente se encheram de lágrimas e sua voz saiu rouca, quase um sussurro incompreensível...

-- Que saudade, meu amor.

Giovana parecia que a esperava, pois mesmo antes dela chegar a cozinha, já olhava para a porta entreaberta.

-- Fui te buscar na faculdade hoje... e você não estava lá.

-- Você não deveria fazer isso - falou carinhosa.

-- Porque não? Sempre faço isso.

Falou com aquele jeito de sempre, birrenta e teimosa.

-- É que você... -- Janaína engoliu em seco, queria falar, mas não conseguia. Tinha medo de nunca mais vê-la.

-- Você não vai preparar a minha vitamina de morango?

Janaína secou as lágrimas e sorriu.

-- Faço sim, meu amor. Senta enquanto eu preparo.

Infelizmente Janaína não havia compreendido que: Seja qual for o tipo de morte que uma pessoa tiver, a única coisa que o seu espírito precisará, é do conforto das preces e da aceitação daqueles que aqui ficaram. A morte só existe para o corpo físico porque o espírito é imortal. Deus não tem nenhum dos seus filhos morto. Confiemos mais na nossa imortalidade, pois com ela tudo mudará em nós.

A libertação da alma e do corpo se opera gradualmente e com uma lentidão variável, segundo os indivíduos e as circunstâncias da morte. Os laços que unem a alma ao corpo não se rompem senão pouco a pouco, e tanto menos rapidamente quanto a vida foi mais material e mais sensual. (O Livro dos Espíritos, nº 155)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nome: rhina (Assinado) · Data: 20/05/2018 14:37 · Para: Capitulo 12

 

Alex  teve o prazer de vê Isabel nua.....imagina o que se passou em sua cabecinha 

Rhina



Nome: lucy (Assinado) · Data: 17/07/2016 05:07 · Para: Capitulo 12

muito bom !



Nome: thais (Assinado) · Data: 01/07/2016 19:09 · Para: Capitulo 12

Demais... emocionante !



Nome: NatySilver (Assinado) · Data: 28/12/2015 07:13 · Para: Capitulo 12

A Isabel é meio comédia kkk

Já a Janaína coitada, tá de dar pena :(

 



Resposta do autor em 28/12/2015:

Olá Naty. Pelo que percebi está começando a ler o romance agora. Seja muito bem vinda querida. Sinta-se a vontade em criticar, elogiar e principalmente dar sugestões. Sou aberta a toda opinião. Fique com Deus. Até.



Nome: graziela (Assinado) · Data: 15/11/2015 16:09 · Para: Capitulo 12

A Alex tem que melhorar logo,  coitada da Jana,  já perdeu a Gio,  agora com Alex desse jeito é só sofrimento para a pobrezinha.  E a Isabel é uma figura,  só dar risada com esse atrapalhada... 



Resposta do autor:

Olá Grazi. Quem sabe com essa visão maravilhosa da Isa nua, ela não melhore? Bjã.



Nome: Silvia Moura (Assinado) · Data: 14/11/2015 18:37 · Para: Capitulo 12

...estou achando que a Alexandra agora terá 'o motivo' para sair deste estado catatônico... olha uma bela mulher de perto já deixa em estado de lerdeza, sem trajes então... entra em estado alfa, kkkkkkkkk, catatônico e alfa se duelando, Alexandra voltará rapidinho.... porém, Isabel será a responsável, conversa fiada minha querida autora, esse conto para mim é meu mimo particular, será tão meu quanto seu, que sai de dentro de tuas veias, de tua imaginação, mas é tão verossímil para mim que quando acabo de ler o capítulo, meus sorrisos de orelha a orelha denuncia a satisfação de minha alma... você é assim para mim um genuino barco de pescas em alto mar, repleto de bom pescado.... um verdadeiro oásis no meu deserto... te admiro, aprendo demais contigo irmã linda...hei que foto linda.... bjão querida....



Resposta do autor:

Olá amável irmã fraterna. Você me deixa lisonjeada e emocionada com suas palavras. Muito obrigada! Sempre peço a Deus sabedoria no meu escrever, para que minhas palavras sejam claras e de fácil compreensão por todos. Também aprendo muito com você: "Quero viver com sabedoria, tentando ser melhor a cada dia.Quero conjugar amor e paz, deixando a tristeza para trás...Da vida sou sempre aprendiz, na busca constante de ser feliz!"Beijos, beijos, beijos. Fique na luz.



Nome: lia-andrade (Assinado) · Data: 14/11/2015 17:50 · Para: Capitulo 12

Acredito que Alex voltará a falar através da Isa, e já estou mais que ansiosa para isso acontecer. Não está sendo fácil para Janaina, mas ela tem uma força impressionante. 

Beijos 



Resposta do autor:

Olá minha querida Lia. Você tem razão. A Isa vai ser muito importante para a recuperação da Alex, e já começou bem né? Infelizmente, se o ambiente for de desespero; incredulidade; incompreensão e revolta esses sentimentos atrapalham o Espírito na sua



Nome: lenna11 (Assinado) · Data: 14/11/2015 17:17 · Para: Capitulo 12

Imagino o cuidado que a Isa vai ter com a Alex por ela n ter experiência vai ser mto mais delicada e isso vai ajudar e mto, ainda mais aparecendo pelada na frente dela kkk! E Jana tem que liberta a Gio! 



Resposta do autor:

Olá Lenna. Verdade, a Isa vai ajudar muito, mas não esqueça que a Alex é bem safadinha e pode se aproveitar da situação. Aguarde. Bjã meu anjo.



Nome: NayGomez (Assinado) · Data: 14/11/2015 15:36 · Para: Capitulo 12

Nossa esse final me deu uma dosinha da Jana 😢 mais ela precisa se desprender do Espírito da Gio se não ela não poderá  descansar em paz....  Enfim será  que a Alex começa a Reagir com a Bel,  Mew do jeito que ela é tarada por mulheres  não tem como não ter reagido pela Bel...  To Amando a Equipe Ternura: Alex, Bel, Mone, Tati e Val (Valéria)  kkkkmm bjs necessito de mais... 



Resposta do autor:

Olá Nay.



Nome: Pietra (Assinado) · Data: 14/11/2015 15:01 · Para: Capitulo 12

Vandinha!

Quando Alex sair desse estado catatônico ela vai falar para Isa que ela é linda sem roupa e vai pedir para ver outra vez kkkk

Beijos e bom final de semana!



Resposta do autor:

Olá Pietra. Passou perto querida. KKK...Aguarde. Beijos, beijos, beijos.



Nome: Nana2014 (Assinado) · Data: 14/11/2015 14:18 · Para: Capitulo 12

Cada dia mais apaiconada por esta história.... A eespiritualidade envolvida é de uma forma tão singela e esclarecedora... Infelizmente p muitos ainda se faz necessário retirar a venda dos olhos e o mais importante p nos encarnados a perda de entes queridos ainda é algo muito complexo...vc vem esclarecerndo várias lacunas... Parabéns e volte logo

Bjs



Resposta do autor:

Obrigada querida. Sentir dor é normal, principalmente quando perdemos alguém muito próximo, essa fase é chamada de luto. Com o passar do tempo, essa dor se transformará em saudades e estudar e entender o desencarne, ajudará a aceitar melhor. Vou tentar ser a mais clara possível e mostrar passo a passo a dificil luta de um espíto contra o apego ao mundo carnal. Bjã meu anjo. Continue comigo.



Nome: Mille (Assinado) · Data: 14/11/2015 14:16 · Para: Capitulo 12

A Bel  e doidinha aparecer nua na frente da Alex, mais creio que será ela o motivo para a Alex voltar a falar. Ela se sente culpada pela morte da Gio, já que a mesma ia pedir a Jana em casamento e por causa dela em desmascarar a Valentina e Heitor acabou nessa tragédia.

Bjus ah você deixou uma cearense baixinha cheia de pernas.



Resposta do autor:

Você é muito fofa, mesmo. Beijão.



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.