Amor de carnaval por Alice Reis


[Comentários - 53]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

Com a confissão de Vitória, Marie ficou sem saber o que fazer. Precisava tomar uma decisão, mas saber que Vitória tinha ido para a cama com Amanda deixava-lhe com a estranha sensação de que as duas não deveriam ficar juntas.

 

A revelação havia sido feita há alguns dias, Vitória estava quieta desde então. Sem mensagens, sem e-mails e sem fotos, não queria pressionar Marie, afinal tinha feito besteira. Marie recebeu um estranho convite para uma amostra de arte, desconfiou ser de Charlotte e lhe mandou uma mensagem: “Que veux-tu avec moi?” (O que você quer comigo?) Depois de um tempo recebeu uma mensagem de Charlotte: “Peut-on parler?”(Podemos conversar?) Marie leu a mensagem e não respondeu, não queria dar chance ao azar, apesar de sentir raiva de Charlotte por tudo o que ela havia feito, algo naquela mulher ainda lhe fascinava e lhe atraia. 

 

No fim do expediente, Marie, parou no Monument Café para comer algo antes de voltar para casa. Aquele café era o lugar favorito dela, era uma esquina aconchegante e movimentada. Pediu um licor de anis para abrir o apetite e Velouté de potimarron (Creme de abóbora) para comer e espantar o frio. Recebeu uma mensagem “Pourquoi ne pas vous me répondez?” (Porque não me responde?) era Charlotte novamente. Respondeu ”On n'a rien à parler.” (Não temos nada para conversar.) Tomou seu licor de anis e logo recebeu outra mensagem, “Tu me manques” (Sinto sua falta.) Estranhou a mensagem e ao confirmar o remetente, viu que era de Vitória e não Charlotte. Charlotte respondeu: “Je dois vous parler, je veux présenter mes excuses pour la façon dont je vous ai traité pendant que nous étions ensemble.” (Preciso falar com você, quero me desculpar pelo jeito que te tratei enquanto estávamos juntas.) Marie ficou confusa e não respondeu a nenhuma das duas.

 

No calor e aconchego de seu apartamento, Marie pegou o celular e fez uma vídeo chamada para Vitória, atendeu-lhe e estava de regata preta decotada.

- Je vous manqué aussi. - Marie disse. (Também senti sua falta.)

- Êtes-vous d'accord? - Vitória perguntou. (Você está bem?)

- Charlotte está me mandando mensagem, ela quer se encontrar comigo, disse que quer se desculpar pelo jeito que me tratou enquanto estávamos juntas.

- Você vai vê-la? - perguntou enciumada.

- Provavelmente não. 

- Mas você quer conversar com ela? - Vitória estava brava.

- Ela deveria ter pensado nas atitudes dela quando estava comigo, agora não quero mais nada com ela. - disse rancorosa - Ela me atrai fisicamente, não vou negar isso, mas sempre que lembro das coisas que ela fez eu desisto de conversar com ela.

Vitória ficou em silêncio.

- Pensei muito sobre o que você me contou e ainda estou magoada em saber que você transou com sua ex, mas quero saber qual a história de vocês. 

- Você está com tempo? - Vitória sorriu.

Marie apenas sorriu e afirmou com a cabeça.

- Eu conheci a Amanda há mais de oito anos atrás, quando nos conhecemos ela insistiu para sairmos, só aceitei depois de muita insistência da parte dela. Nosso namoro foi tranquilo, achamos que éramos feita uma para a outra e fomos morar juntas. Ela trabalhava em um escritório de advocacia e eu era guia turística, nos dois primeiros anos tivemos uma vida muito serena até eu descobrir que ela me traiu com uma das sócias da empresa onde ela trabalhava. Foi nossa primeira separação, ela saiu do meu apartamento e ficamos sem nos falar por três meses. - Vitória fez uma pausa para ver se Marie estava acompanhando.

- Continue.

- Eu sofri um acidente de moto, um carro não parou no sinal vermelho e me atropelou. Ela foi me visitar no hospital, havia quebrado o pé e teria que ficar de repouso por um mês. Ela se desculpou pela traição e ofereceu para me ajudar no mês que ficaria afastada. Aceitei e voltamos a morar juntas e ela mudou de emprego. Quando completamos quatro anos de casadas decidimos ter uma filha. Tivemos várias dificuldades para que ela engravidasse, mas conseguimos.

- Filho? Você não me contou que tem um filho com sua ex? - Marie estava brava.

- Durante a gravidez descobrimos que ela nasceria e não sobreviveria por muito tempo, pois com os problemas que a Amanda teve o bebê era anencéfalo. Ela insistiu na gravidez e nossa filha nasceu e viveu por quatro horas. - disse emotiva.

Marie ficou sem reação ao saber da doença, Vitória estava chorando.

- A Amanda teve depressão diagnosticada alguns meses após o nascimento. - Vitória respirou fundo - Ela largou o emprego e se recusava a sair de casa, eu não aguentei a pressão de manter a casa sozinha e me mudei deixando-a sozinha, sem amparo. - Vitória parou de falar e respirou fundo novamente.

- Desculpe fazer você se lembrar desses acontecimentos. - Marie estava chateada.

- Eu me arrependi de ter saído de casa e abandonado ela na hora que ela mais precisava de ajuda, voltei com a condição dela ir à um terapeuta. Por vários meses ela ficou estabilizada e voltou a trabalhar. Quando completamos sete anos de casamento ela voltou a querer ter uma filha, mas eu não queria e ainda não quero, ainda me dói lembrar tudo o que passamos com Ana Elisa e foi por isso e outros motivos que terminamos. 

- Você ainda gosta dela?

- Eu não consigo odiar a Amanda ou não gostar dela, nós passamos muita coisa juntas, mas hoje eu não consigo mais me ver casada com ela.

- Você tem certeza do que está me dizendo? - perguntou brava.

- O que sinto hoje pela Amanda é um amor fraternal, sinto compaixão, mas o amor conjugal acabou faz tempo.

- Se não sente mais nada por ela, por que passou a noite com ela? - Marie perguntou brava.

- Eu não sei lhe responder isso. Fisicamente ela ainda me atrai, assim como Charlotte atrai você, mas nós não temos mais nada em comum. Naquela noite eu estava chateada, enciumada, bêbada e a Amanda estava determinada a me levar para a cama, foi uma mistura perigosa e que resultou em uma besteira enorme. - olhou fixamente para Marie - Se ainda existisse amor pela Amanda eu estaria com ela. Se ainda existisse amor eu sonharia com ela. Se ainda existisse amor eu nunca teria ido para o Rio de Janeiro sozinha. Se existisse amor eu não teria ficado com você. 

- Ainda estou extremamente magoada com essa sua besteira. - disse brava.

- Eu também estaria. - deu um leve sorriso - Como eu gostaria de estar ao seu lado para poder lhe abraçar e beijar seu rosto suavemente, um abraço apertado para sentir seu cheiro e lhe arrepiar com um beijo no pescoço. 

- Pare de falar coisas doces, ainda estou brava. - disse segurando o riso.

- Sussurrar no seu ouvido que eu te amo, passar minha mão em seu ombro, pousar sua mão em minha cintura e lhe puxar para uma dança.

- Vitória! - chamou-lhe a atenção para parar de falar.

Vitória apenas sorriu e lhe encarou.

- Pare de tentar fazer eu sentir sua presença ao meu lado. - encarou-a.

- Meus documentos estão prontos, basta você dizer que ainda me quer. - sorriu.

- Eu quero, mas não te perdoo. - disse firme.

- O que eu preciso fazer para você me perdoar? - perguntou triste.

- Tenha paciência comigo, por favor. Eu me entreguei a você de corpo e alma, sua traição ainda me machuca muito. Se não tivesse sido com sua mulher eu não estaria me sentindo tão mal, como estou. Se eu tivesse certeza que foi apenas por uma noite e que nunca mais vocês iriam se ver, eu estaria tranquila, mas é impossível ficar tranquila sabendo da história de vocês. - encarou Vitória.

- Ela é minha ex-mulher e isso não vai se repetir. - disse decidida.

- Não consigo acreditar em você. - disse enérgica.

- Marie, por favor, me dá uma chance de mostrar que eu te amo. - insistiu.

- Não consigo confiar em você, preciso desligar.

Desligou antes de deixar Vitória vê-la chorando. Vitória deitou na cama olhando o teto sem saber o que fazer.


Notas finais:

Aguardo comentários! ;)

Para me conhecer melhor, entre no meu blog:
oamordealice.com.br/blog

Tenho outros livros completos, caso queira ler a sinopse:

http://oamordealice.com.br/livros/

E alguns contos:

http://oamordealice.com.br/contos/
*Para receber os contos inteiros basta se cadastrar no formulário abaixo de cada conto.



Comentários


Nome: mtereza (Assinado) · Data: 19/08/2017 12:10 · Para: Capitulo 11

Eita que história essa da Vitória com a Amanda muito marcante mesmo mais acredito no amor dela pela Marei acho que ela deveria arriscar e ir p França.



Resposta do autor:

Olá, Tereza, tudo bem?

Vamos ver o que Vitória vai decidir. :)

Um abraço,
Alice Reis
oamordealice.com.br



Nome: preguicella (Assinado) · Data: 17/08/2017 19:46 · Para: Capitulo 11

Claro que tô por aqui, é que sou do time das moças que tá sempre na moita! hahaha

Bjãooo



Resposta do autor:

Olá, Preguicella!!

Você tem que comentar mais, poxa, rsrsr. Comentar incentiva. :D

 

Um abraço,
Alice Reis
oamordealice.com.br



Nome: patty-321 (Assinado) · Data: 17/08/2017 19:37 · Para: Capitulo 11

Ah vitória, se vc sente e tem certeza q ama, vai pra França, ao vivo e a cores se esse amor for verdadeiro, vai dar certo. E uma loucura mas é melhor q ficar pensando e se...



Resposta do autor:

Olá, Patty, tudo bem?

Será que é melhor ela ir mesmo? Rsrs.

Um abraço,
Alice Reis
oamordealice.com.br



Nome: rhina (Assinado) · Data: 17/08/2017 17:35 · Para: Capitulo 11

OOlá 

Boa tarde

a história de casada de Vitória é muito marcante. ...será que o amor realmente findou? 

Marie .....realmente ama a Vitória. ....

o que fazer quando se está neste ponto. ....confusa. ....

tendo o passado batendo a porta. .....

Traição. .....

é. ....São muitos os sentimentos 

rhina



Resposta do autor:

Olá, Rhina, tudo bem?

São muitos sentimentos mesmo... está difícil entendê-los.

Um abraço,
Alice Reis
oamordealice.com.br



Nome: preguicella (Assinado) · Data: 17/08/2017 16:24 · Para: Capitulo 11

Pega um avião pra Paris logo, Vitória, vc vai ver que logo, logo Marie te perdoa! haha

bju, Alice!



Resposta do autor:

Olá, Preguicella, tudo bem?

Hahaha, também acho!

Bom saber que está acompanhando, grande beijo!

Alice Reis
oamordealice.com.br



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.