Meu corpo no teu por Julieta Adams


[Comentários - 20]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

— O que pensa que está fazendo comigo, hein? - Olhei pra aquele traseiro dela em mim, que me fazia delirar, mas me perdi mesmo foi na expressão dela, a cara de quem está adorando o que fazia comigo.

 

— Estou te mostrando o que é prazer de verdade... Sou melhor do que ele, não é? Diga, agora! - Pegou forte no meu pescoço, e acabou me surpreendendo com essa atitude agressiva. — Me pegue... Te imploro Alanna... Quero ser tua...

 

Ela sussurrava incansáveis vezes, implorando pra que eu a pegasse... Seu corpo transpirava, transmitia um calor que jamais senti em mim. Foi como se tivesse soltado uma tampa de cima de um vulcão, aquela menina era fogo puro... Será que aguento com ela?

 

— Você está me enlouquecendo Bianca... - Eu falava arfante na fala com ela, e estava me molhando toda na calcinha.

 

Ela pegou na minha mão direita, e enfiou um por um dos meus dedos na sua boca, finalizando com beijos lentos na ponta de cada um. Eu ficava sem reação, só conseguia observá-la... Fazer isso tudo em mim, estando já despida totalmente aos meus olhos, naquela mata fechada, sem pudor algum.

 

— Tire sua roupa delegada... Quero te fazer relaxar comigo...

 

— Não! - Tentei resistir... Mas, eu que comecei, então devo me render. Raramente sou surpreendida assim.

 

Ela foi pegando firme nas minhas mãos, e aproximando-a dos seus seios.

 

— Aqueça meu coração, vem? - Ela queria continuar da parte delicada que paramos... Danada!

 

E enfim tomei uma atitude, apertei um dos seus seios com certa rigidez, impulsionando seu corpo para mais próximo de mim, e sussurrei a ela...

 

— Você me faz querer ficar nua na sua presença Bia... E digo, em todos os sentidos, nunca senti isso. - Fui permitindo as mãos dela em mim, para tirar minha blusa. E ela fazia isso tocando com cuidado, olhando a rigidez do meu braço, segurou forte nele, e suspirou. Nossos rostos se roçaram... Nessa troca de carinhos mútua... Eu estava ficando fora de mim.

 

— Não sabe o quanto fiquei louca por você durante esses dias... - Ela dizia isso enquanto me tocava. — Você me torturou da pior forma delegada, foi pior comigo do que com os crimes que você lida.

 

— Ai me chupa....

 

Peguei forte no cabelo dela, e a fiz chupar meus seios, ela foi pondo delicadamente pra fora meus seios, o pior, fazia isso me olhando de uma forma, que não conseguiria descrever, foi tão suave, como se ela quisesse me dar segurança... Afinal fazia tempo que não deixava uma mulher me tocar.

 

— Está gostoso amor? - Quando ela disse amor... Eu me arrepiei.

 

Dei uma pegada firme no pescoço dela, e a fiz ficar de costas pra mim, ainda de pé, e encaixei meus dedos entre suas pernas, fazendo-a sentar neles.

 

— Senta gostoso em mim vem... - Sussurrei a ela.

 

— Ahhhhhhhhhhhhhhh!! - Sua cabeça se inclinava a cada sentada que dava em mim, o perfume dela, também estava me causando suspiros. — Afunda mais esses dedos em mim, issooo!! Aii é do jeito que eu imaginava!! Que delíciaa! 

 

— Ai Biancaaaa não faz assim comigo.... Como você é apertadinha.... Que isso!

 

— Mas cabe você, ainnnn... Que dedos deliciosos! - Nossos gemidos estavam quase virando gritos estridentes, e mais rápido Bianca sentava, rebolava, aquele seu traseiro suado encostando no meu abdômen. Ahhhh!

 

— Fica de quatro...

 

— Você é como eu imaginava.... Tão selvagem e gostosa no que faz e diz! Aii Alanna! - Ela mordeu seu lábio inferior e me roubou um beijo rápido, seu hálito estava quente, assim como seu corpo todo.

 

Ela agachou, e eu fui agachando junto, segurando firme no seu traseiro, dividindo ele, para minha língua deslizar ali... E peguei no seu quadril, fazendo aquele movimento gostoso de vai e vem na minha boca.

 

— Você vai empurrar ele todo na sua boca? - Falou num tom excitado.

 

— Huhummmmmm - Respondi salivando, com minha boca lá.

 

Fui empurrando e tirando ele lentamente da minha boca, e Bianca se masturbava na frente, indo a loucura com meu pedido ousado a ela.

 

— Aiii vou gozar na sua boca, sua desgraçada!!!! - Ela tentava escapar da minha boca faminta dela, mas, mais se contorcia, mais se desesperava por não conseguir escapar de mim, mais gemia...  — Pooooorraaa Alannnaaa!!!! Para vai! Por favor!

 

Soltei minha boca uns instantes dali, para respondê-la perto do ouvido, enrolando minha mão no cabelo dela.

 

— Provocou? Agora aguenta garota! - Dessa vez fiz diferente, enfiei meu dedão lá atrás, já dando uma estocada forte, ela quase deu um pulo.

 

— Ah é?! Aiiiiinnnnnnnn! Ainnnnnn sua.... - Ela começou a gritar, mal conseguia olhar pra trás e me ver, mais forte eu ia nela. Até que nessa adrenalina toda,  acabando gozando lindamente ... Ficando mole nas minhas mãos.

 

— Bianca... Eu exagerei... É que eu... - Ela tampou minha boca na hora, e meus braços a abraçaram forte, após tampar minha boca, decidi percorrer com ela em seu pescoço, sua orelha. Minhas mãos pousadas nos seus seios lindos, e durinhos.

 

— Eu... Quero mais... De você em mim... - Sua fala era trêmula, assim como seu corpo estava tremendo... Porém confiante no que dizia, pegou nos meus dedos, e os chupou novamente. — Agora vem na frente... Como você faz gostoso! 

 

Ela me pedindo com vontade assim... Nossa! Que jeito malicioso, não fazia ideia da mulher que existia dentro dela. Não estou conseguindo pensar em nada, só em aproveitar esse momento delicioso que estou tendo, de entrega, paixão... Bianca se entrega igual uma musa se entrega ao seu pintor. E eu quero "pintá-la", deixar meus rastros em seu corpo com minhas mãos, boca, tudo de mim. Acho que... Isso não vai acabar bem.

Notas finais:

Alanna não nos assuste com esse pensamento hahhahahaa



Comentários


Nome: Val Maria (Assinado) · Data: 21/05/2018 01:12 · Para: Capítulo 10

Autora parabens.

Adorei o dialogo entre ela.

 

 

Val castro



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.