Enternecer por femarques

Notas da história:

Postarei um capítulo por semana. Se surgir algum problema ou compromisso pessoal, atrasarei ou mudarei o dia da postagem, mas somente se for necessário. Caso seja possível, postarei com mais frequência.

CAPÍTULO 1:

BEATRICE

 

           

            Norwich não amanhece diferente desde que me lembre. Os mesmos dias cinzentos de outono, os mesmos problemas, o mesmo sonho.

            Sento-me na cama sobressaltada, sentindo meu coração bater tão forte que eu podia escutá-lo. Abro os olhos com dificuldade e demoro a me adaptar e a conseguir enxergar algo no quarto escuro. Tateio a mão trêmula pela cômoda, esticando o corpo para conseguir maior alcance e finalmente acho o pacote marrom, já abarrotado e com as bordas rasgando.

            Mais um sonho horrível que vem para tentar destruir tudo o que eu evito pensar.

            Me sento na cama, toda torta e me encosto na cabeceira da mesma. Com os dedos dentro do pacote, conto as últimas balas e meu coração está a ponto de explodir. Quatro balas de café. Eu preciso de cinco. Cinco balas pela manhã.

            Levanto-me em um pulo, vou em direção ao interruptor e o acendo para que possa me vestir com pressa. Minha cabeça para de funcionar no mesmo instante em que percebo quebrada a rotina da manhã. Como se não bastasse meu erro na organização da minha rotina, ainda precisava me acalmar do sonho, me certificar de que nada daquilo me atingirá. Mas quem me garante que agora, perdendo a única coisa que me mantém sã pela manhã, eu não vá cair na tentação?

            Visto as roupas que haviam ficado jogadas na noite anterior. Uma camisa abarrotada e a calça jeans suja do jantar. Calço as botas e jogo o casaco mais pesado que tenho a vista. Saio de casa depois de pegar a carteira e corro em direção ao mercado local, o único local perto de casa que vende a bala de café. Perto o suficiente para me socorrer em dias assim. Dias que já começam com o pé esquerdo.

            “Como não percebi que estavam acabando? Como pude...”

            Falava sozinha quando percebi a expressão intrigada do senhor baixinho e de dentes amarelados e tortos. Ele me encarava como se eu fosse uma louca. Passei as mãos pelos cabelos, me lembrando que não lavei o rosto e nem mesmo arrumei o cabelo. Estava mesmo parecendo...comigo. Beatrice. Louca como eu mesma.

            Pedi ao senhor o pacote com as balas, o de sempre. Paguei-o e corri em direção à minha casa, ainda tinha que preparar o café para Amber poder ir à escola. No meio do caminho, segurando o pacote entre o braço e o abdômen, abria os papelotes marrons e chupava uma bala atrás da outra. As cinco. Já podia sentir o alívio habitual da certeza de que não vou enlouquecer. Agora a tentação estava contida, mas a vergonha do estado em que sai de casa tomava toda a minha mente, não sei até quando esse tipo de descontrole em situações imprevisíveis aconteceria, mas era deplorável.

            Abro o portão enferrujado e com tinta descascada com dificuldade e corro para subir as escadas, quando sinto cheiro de queimado. Amber estava na cozinha ainda de pijama tentando fritar algo que não cheirava muito bem. Assim que abro a porta, ela se vira com a pior expressão de todas: piedade.

            “Outro sonho?” Ela pergunta ficando novamente de costas.

            Olho para baixo e vejo as roupas que estava usando, a mancha de molho na camiseta abarrotada. Respiro fundo, passo a mão pelos cabelos e vou para o meu quarto.

            Depois de um banho quente e rápido, me recomponho e volto para a cozinha.

            “Não precisa comer isso.” Digo a minha irmã quando a vejo tentando engolir ovos mexidos queimados.

            “Eu não cozinho tão bem quanto você.” Ela brinca e dá risada. Amber entende o que eu penso, entenda a luta que eu mesma criei em minha cabeça e faz de tudo para evitar tocar no assunto. Dias assim são comuns para ela desde que moramos juntas.

            “Eu tive um imprevisto. Não vai acontecer de novo. Não precisa comer, vou te dar dinheiro e você come quando chegar na escola.”

            Ela abriu um sorriso largo, deixando suas sobrancelhas grossas curvadas. Se levantou puxando a mochila que estava no chão para seu ombro e veio em minha direção para um abraço.

            “Me avise quando...”

            “Quando eu chegar na escola. Eu sei.” 

            Ganhei um beijo na bochecha e depois de dar a ela o dinheiro para comer, a vi saindo despreocupada pela porta. Amber não tinha as mesmas preocupações que eu, passou pela nossa família sem carregar consigo nenhum tipo de fardo. Tem dias que me pergunto como ela lida tão bem com tudo o que aconteceu.

            Limpo toda a cozinha antes de ir para o trabalho. Nós duas morávamos em um apartamento velho e pequeno que fica em cima de uma banca de jornal e uma loja de financiamento. O senhor Connor aluga para nós duas por um preço ótimo considerando meu salário. Por sorte, trabalho em uma livraria do lado da minha casa.

            “Bom dia, senhor.” Cumprimento Connor quando o vejo subindo as escadas de seu apartamento.

            O corredor estreito do quintal separava, de frente um para o outro, nossos apartamentos.

 

            Ele, depois de me olhar de cima a baixo, me lança um sorriso e entra em sua casa, batendo a porta, e eu sigo para a livraria, tentando passar por mais um dia comum. 

Notas finais:

E aí, meninas? Andei um tempo sumida, mas estava trabalhando em uma nova história que só conseguir por no papel agora. Espero que gostem do primeiro capítulo e deixem seus comentários. Opiniões e críticas são bem-vindas.

Por enquanto, no começo da história, postarei dois capítulos por semana, de quinta-feira e domingo. 

Queria agradecer a minha namorada pelo incentivo e ajuda, pelo trabalho de beta (a melhor do mundo) e por todas as ideias. Você sabe que isso não existiria sem a sua ajuda. Obrigada!



Comentários


Nome: Palas F (Assinado) · Data: 05/01/2017 14:18 · Para: Capítulo 1

Não concordo.. entender o trauma da Bea é obrigação dela, respeitar o tempo da Bea em se abrir, mais ainda.

Agora vou ler o cap. kk



Nome: ILOVEBOOKS (Assinado) · Data: 01/12/2016 01:33 · Para: Capítulo 1

Oi, tudo sim.

  Eu acho que o irmão mais velho da Giu e sua ex que a traiu tiveram um caso e ela engravidou. Sera que acertei ? Bom, mesmo que não tenho certeza que o desfecho será bom.



Nome: darque (Assinado) · Data: 10/11/2016 04:35 · Para: Capítulo 1

Se a vera fizer isso com vc, rsrsr, pode ficar tranquila q eu ajudo kllk.

bjs



Nome: darque (Assinado) · Data: 02/10/2016 05:33 · Para: Capítulo 1

Não acabei com a rapadura porque tem que ser um pedacinho por dia. Mas falta pouco kllk.

Bom final de semana e um dia de eleição abençoado!



Resposta do autor:

kkkkkk, Isso, um pedacinho por dia

Obg, Darque. Bom fim de semana pra ti tbm

Beijos



Nome: darque (Assinado) · Data: 30/09/2016 03:47 · Para: Capítulo 1

Quanto ao doce kkkk, estou chegando ao final de uma barra de rapadura kkk

A espera de novos capítulos.

Sucesso!

Bjs



Resposta do autor:

Já terminou sua rapadura?

Obrigada por acompanhar!! Espero que continue lendo.

Beijo!



Nome: menteincerta (Assinado) · Data: 20/09/2016 05:15 · Para: Capítulo 1

Já gostei de cara! Mistério envolvendo a Beatrice. Adoro! Hahaha

Vou acompanhar, gostei da sua escrita, autora.

 

Beijos e até mais

Ass: naty



Resposta do autor:

Oi, Naty. Tudo bem?

Vou encher de mistério então! Obrigada por acompanhar e espero que continue gostando!

Beijos! Até o próximo comentário!



Nome: darque (Assinado) · Data: 12/09/2016 05:53 · Para: Capítulo 1

Me parece que Beatrice possue alguns traumas. E além de cuidar de si mesma, ainda é responsável por Amber 

Muitas emoções a caminho!

Bjs



Resposta do autor:

Oi! Tudo bem?

Parece que Beatrice tem muita coisa para revelar ainda, né? E carrega um peso enorme sozinha.

Espero que continue acompanhando.

Beijo!



Nome: albuquerqueselena (Assinado) · Data: 10/09/2016 04:10 · Para: Capítulo 1

Oie..

Eu gostei do capítulo, me lembrou sintomas de TOC. A angústia dela foi descrita num tom suave e interessante.

Um beijo.



Resposta do autor:

Oi! Tudo bem? 

Que bom que gostou do capítulo, espero que continue acompanhando. 

Beijo!



Nome: lohs (Assinado) · Data: 10/09/2016 04:04 · Para: Capítulo 1

Ihuuuuuu....Histórina nova!!!!

Até que enfim saiu do "papel".

Muito bom o cap, Fê. O que será que Beatrice tem? Ja me identifiquei com Amber, ótima na cozinha. kkkk

Ansiosa pelo próximo!!!

beijos



Resposta do autor:

Que bom que gostou, Lo. 

Vamos esperar pra ver o que Beatrice tem... fique curiosa.

Beijo!



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.