Noites com valentina por Sweet Words


[Comentários - 164]   Impressora Imprimir Capitulo ou História - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

Notas da história:

Olá! 

Então, eu tive essa ideia para a princípio ser um pequeno conto com 3 ou 4 capítulos. Mas eu achei que poderia dar uma continuação interessante, podendo torná-la a sucessora de "I'm in Love With my Boss". 

Vou esperar o aval de vocês! 

Espero que curtam!

 

 

 

 

 

 

Eu olhava pela janela daquele quarto no último andar da grandiosa e elegante construção, ainda me perguntando o que exatamente eu estava fazendo ali.

O vento daquela noite de outono soprava uma brisa levemente fria, agradável até. Voltei em direção ao quarto e caminhei até a mesa que ficava ao lado da porta. Encarei-me no espelho acima dela e novamente aquela pergunta rondou os meus pensamentos: O que exatamente eu estou fazendo aqui? Qual o propósito disso?

Havia uma ruga de preocupação em minha testa, talvez de dúvida ou até receio.

Olhei as bebidas na mesa pensando na possibilidade de tomar um gole da mais forte que havia ali, mas antes que eu pudesse escolher, ouvi passos se aproximando da porta.

A tensão em meu corpo aumentou consideravelmente. Não haveria mais tempo para bebidas, eu teria que encarar o que estava por vir totalmente lúcida.

Eu falava como um bichinho indefeso e aflito que está a caminho do abate.

Nervosa demais!

Encarei-me uma última vez arrumando as ondulações dos meus cabelos que caíam como uma cascata negra sobre os meus ombros. Passei as mãos pelo vestido de tecido nobre que cobria a minha pele – mais pálida que o habitual – e olhei para a porta esperando que alguém se anunciasse.

E então, os passos que se aproximavam calmamente se foram fugindo da minha audição. Alarme falso.

Olhei o relógio em meu pulso esquerdo e ainda faltavam dez minutos para o horário combinado. Haveria tempo para uma bebida. Ou para que eu desistisse dessa loucura e deixasse aquele lugar me esquecendo que um dia estive ali.

E essa última alternativa me pareceu a mais atraente no momento. Talvez fosse um sinal, uma última chance para desistir e trazer a sanidade de volta a mim.

Seis minutos para o horário combinado. Corri até o confortável sofá ao lado da janela onde havia deixado minha bolsa e meu casaco, peguei-os e sem mais nenhuma dúvida eu saí dali.

Desci pelo elevador desejando não encontrar ninguém pelo caminho até que eu já estivesse devidamente segura em minha casa.

Eu falava como se já a conhecesse ou como se ela soubesse quem eu sou. Racionalmente pensando, não faz o menor sentido que eu tenha essa preocupação, mas o medo nos cria paranóias que não somos capazes de explicar ou nos dar conta da insensatez dos nossos pensamentos.

A porta do elevador se abriu, e para o meu alívio eu era a única no grande saguão daquele luxuoso hotel que ficava em um dos pontos mais nobres da cidade. Mas ao primeiro passo para o lado de fora, pude ouvir outros passos apressados vindo em minha direção.

- Por favor! – levantei a cabeça ao ouvir a doce voz que vinha até mim – Segure o elevador para mim, por favor?

Meu coração disparou por um momento. Qual era a probabilidade de ser ela quem eu estava esperando? E se fosse, qual a possibilidade de ela saber que era eu quem ela estava indo encontrar?

Fitei a jovem que se aproximava de maneira tão elegante quanto as suas vestes. Um sorriso tenro se mantinha em seus lábios pintados com um batom de cor clara e um olhar sereno, assim como seu semblante, que pareciam me agradecer antes mesmo de eu confirmar que lhe faria o favor.

Já mais calma, assenti.

- Obrigada. – ela disse gentilmente e adentrou o local de onde eu saía.

Assenti mais uma vez com um sorriso quase que imperceptível e me pus para fora dali o mais rápido que consegui.

Dirigi de volta para casa tentando me recordar quando foi que eu havia tido essa ideia e me amaldiçoando por tê-la considerado ao ponto de chegar até onde cheguei hoje.

 

Saí do banho ouvindo o meu celular tocar sobre a minha cama. Quando olhei o nome e a foto na tela, uma mistura de vários sentimentos se instalou em mim. Dentre os mais notáveis posso dizer que estavam culpa e receio de uma possível desconfiança.

- Oi, amor. – atendi.

Que saudade, meu amor! – Eduardo soava carinhoso do outro lado da linha.

Suspirei aliviada.

- Ta tudo bem? – perguntei.

Sim, e você ta bem?

- Eu to bem, só um pouco cansada. – me sentei na cama me recostando na cabeceira para tentar relaxar.

O restaurante estava muito cheio hoje?

- Ah, sim... Estava sim. Sexta-feira, início do fim de semana, você sabe como é. – sorri. Disfarcei.

Na verdade eu estive tão nervosa que nem notei a movimentação no restaurante hoje.

Isso é bom, sinal de que o seu negócio é um sucesso! – ele parecia orgulhoso – Só fico preocupado. Você anda trabalhando demais.

- Isso faz parte do meu trabalho e não é como se eu não gostasse do que faço. E você não pode reclamar de mim por trabalhar demais. Quando é que você volta de viagem?

No fim da semana que vem. O projeto da construtora aqui é grande e trabalhoso, mas assim que eu tiver essa folga eu volto pra casa.

- Tudo bem. – suspirei novamente.

Ansiosa para o nosso grande dia? Eu estou tanto que às vezes já sinto dificuldades para dormir à noite.

Eu deveria dizer que sinto dificuldades para dormir desde o dia em que ele me fez o pedido.

- Estou muito. – respondi incerta – Você nem imagina o quanto.

Não vejo a hora de te ver dormir e acordar todos os dias ao meu lado.

Devo me sentir culpada por não achar isso romântico?

- Sim... – mais um suspiro – Amor, eu vou desligar agora, preciso descansar. O dia hoje foi... Intenso.

Claro, vá descansar, meu amor. Boa noite.

- Boa noite.

Um beijo. Te amo.

- Beijo. Também...

 

Há exatamente 3 anos e 6 meses eu conheci o Eduardo. Há 6 meses nós ficamos noivos e daqui a 1 mês nos casaremos. E eu definitivamente ainda não sei se estou pronta para assumir um compromisso com esse nível de importância.

Talvez pareça estranho para alguém que está a poucas semanas de subir ao altar e firmar um laço matrimonial com alguém, mas esse é um fato sobre mim que eu não posso ignorar. Isso soa engraçado porque é exatamente isso que eu tenho feito desde que fui pedida em casamento. Ignorando. Eu nunca havia pensado na possibilidade de dividir a vida com alguém com quem eu fosse passar o resto da vida. Apesar de nunca ter tido problemas em assumir relacionamentos sérios, eu jamais vislumbrei um casamento, de fato. Sempre me pareceu um compromisso forte demais para a mente humana suportar.

Casamentos destroem bons relacionamentos.

Talvez eu esteja sendo radical demais, mas não posso mudar a maneira como me sinto em relação aos matrimônios. E eu venho ignorando esse sentimento desde que o Eduardo me fez o belo e romântico pedido no dia do meu aniversário.

A primeira coisa que me passou pela cabeça foi dizer não. Mas eu não poderia recusá-lo na frente de todos os meus clientes, funcionários e até familiares que estavam presentes no restaurante naquela noite. Fiz tudo como manda o figurino. Aceitei emocionada e sorri amavelmente para todos. É claro que eu só consegui fazer isso depois que uma ideia me acalmou os nervos. Eu tinha tudo planejado. Aceitaria o pedido, concordaria com os planos e com todas as opiniões das famílias e adiaria o máximo possível a concretização desse evento.

Mas não foi isso o que aconteceu. Após algum tempo de noivado Eduardo quis marcar a data. A princípio eu recusei prontamente.

“O restaurante me toma muito tempo, eu preciso me estabilizar profissional e financeiramente antes de nos casarmos.” Eu disse a ele. Tentei vários argumentos que foram todos diluídos pela mente perspicaz de um coração apaixonado. E por fim, eu resolvi concordar. Depois de uma noite de sexo e muito vinho, ele me convenceu com os seus planos de um homem que sempre sonhou em ter uma família. Ponderei as suas considerações me atentando ao fato de que, no auge dos meus 30 anos de idade, talvez esse seria o momento mais oportuno para que eu passasse por essa experiência. Madura o suficiente para tentar manter o relacionamento pós casamento, mas ainda jovem o bastante para refazer a minha vida caso não desse certo. Isso me pareceu perfeito.

E mais uma vez estava eu ignorando a minha verdadeira natureza para me render a o que a vida propunha para mim. E agora, a pouco mais de 3 semanas para o grande dia, eu estou a me torturar pensando se essa realmente havia sido uma boa ideia.

 

***

 

Sábados são geralmente os dias mais cansativos no restaurante. E isso se intensificou depois que ganhamos a quinta estrela, entrando assim para o hall dos melhores restaurantes da cidade.

- Boa noite, pessoal! – cheguei à cozinha cumprimentando a minha equipe – Eu quero ver todo mundo animado hoje. Vamos honrar a quinta estrela que recebemos. Quero todos os clientes mais que satisfeitos! Posso contar com vocês?

- Sim, chef! – responderam em coro.

- Ótimo. Então mãos à obra!

Comandar um restaurante com 55 funcionários não era das tarefas mais fáceis, mas com toda a certeza é o que eu nasci para fazer. Faço com amor, com dedicação, com paixão. Desde que escolhi a faculdade de Gastronomia, não houve um dia sequer que eu tenha me arrependido. E hoje, ter pratos com a minha assinatura, com o nome da Chef Diana Émeraud de Oliveira, era o meu maior motivo de orgulho.

- Sai um Canard à L’orange e um Salmão Poché para a mesa do senhor René Bouvier! – ouvi um dos garçons chegar com dois dos pedidos mais caros do nosso menu.

- Saindo!

E assim a noite seguiu. Num completo e harmônico caos que era a minha cozinha.

 

Já passava da meia noite quando um dos garçons foi até a cozinha com um recado para mim. Eu estava exausta, mas não poderia recusar o pedido de um dos clientes que degustou os pratos e vinhos mais caros nesta noite.

Confirmei a minha presença na mesa do senhor Bouvier e pedi que aguardasse um momento. Eu não poderia me apresentar de qualquer maneira para um legítimo cliente francês.

No início de tudo eu raramente aparecia no salão. Sempre gostei de estar onde a coisa toda realmente acontece, mas após algum tempo, depois da fama ir se espalhando pela cidade, eu tive que me acostumar a aparecer para os meus clientes.

Após alguns minutos me ajeitando, onde retoquei a maquiagem e arrumei os cabelos, finalmente fui de encontro ao senhor que me aguardava. Cumprimentei alguns pelo caminho, alguns acenos e sorrisos forçados e então o garçom me deixou na mesa do senhor René Bouvier.

- Olá, boa noite. – sorri amigavelmente, não podendo deixar de notar que uma jovem, muito jovem por sinal, o acompanhava.  – Espero que tenham apreciado o jantar.

Mademoiselle Émeraud! – o forte sotaque francês do senhor que aparentava seus 50 anos ecoou pelos meus ouvidos – Magnifique! O jantar estava simplesmente maravilhoso.

- Oh, mercimonsieur Bouvier! – agradeci com largo sorriso, revezando meu olhar entre ele e a jovem que o acompanhava.

Ela não me era estranha.

- Meus parabéns, seu restaurante merece as 5 estrelas que tem. Merece até mais!

- Muito obrigada, senhor Bouvier. Eu fico realmente muito feliz que o senhor tenha apreciado.

-  Magnifique, senhorita Émeraud. Magnifique!

O senhor saiu da mesa com um sorriso satisfeito no rosto e foi em direção ao toilette, me deixando ali sorrindo orgulhosamente de mim mesma.

- O jantar estava realmente maravilhoso. – a jovem à mesa falou e então eu tive a certeza de que não foi a primeira vez que ouvi aquela doce e suave voz.

Me voltei para ela e a fitei por alguns segundos para tentar me lembrar de onde eu a conhecia.

- Do elevador no hotel. – ela disse enquanto um leve sorriso brincava em seus lábios.

- Como disse?

- Você deve estar tentando se lembrar de onde me conhece. Sou a moça do elevador, no hotel ontem à noite.

- Ah, é claro. – e de repente a tensão em meu corpo pareceu me paralisar.

Uma grande e infeliz coincidência. Qual seria a probabilidade disso acontecer? E pior, qual a possibilidade dessa moça se lembrar de mim? Pelo visto nem todos têm a péssima memória que eu tenho.

Pense racionalmente.

Ela não me conhece e não sabe o que eu fui fazer lá. Não há motivos para pânico. Certo?

Eu estava prestes a descobrir que estava errada.

- Valentina. – ainda sentada ela estendeu a mão para mim – Valentina Viegas.

Meus olhos quase saltaram do meu rosto ao ouvir aquele nome. Não poderia ser. Seria coincidência demais. Seria azar demais. Eu não podia acreditar que aquilo estava acontecendo comigo. Não comigo, que nunca desviei minha conduta em relacionamentos uma única vez sequer.

Dizem que a primeira vez que cedemos aos encantos do proibido é sempre inesquecível. E muito difícil de voltar atrás. Talvez isso seja verdade.

- Ah... – eu me esforçava para não gaguejar – Eu preciso voltar para a cozinha. Com licença.

- Eu confesso que fiquei curiosa sobre você.

Ela dizia de maneira calma e elegante. Exatamente como naquele breve encontro no elevador, mas muito diferente de como eu imaginei que ela seria.

- Perdão?

Me fazer de desentendida não me ajudaria nesse momento, mas a minha primeira reação, diante do pânico que eu estava sentindo agora, foi fingir que nada estava acontecendo. Mas havia algo acontecendo?

- O mais engraçado é que saber que haviam desistido do encontro da noite passada não foi tão decepcionante quanto me dar conta de que foi com você a noite que eu havia perdido.

- Senhorita Viegas, eu realmente não estou entendendo. Eu preciso volt...

- Eu te esperarei amanhã, no mesmo quarto, do mesmo hotel e no mesmo horário. Por favor, é o mínimo de consideração que mereço depois de ter sido dispensada sem nenhum aviso prévio, certo?

Eu definitivamente não sabia mais o que era falar, me expressar ou me comunicar. Todos os meus sentidos haviam desaparecido e eu não sabia se queria os encontrar novamente.

- Viegas, vamos? – o senhor Bouvier retornou à mesa.

A jovem apenas assentiu, se levantou e sorriu para mim como quem estava prestes a capturar sua presa para o abate.

Bonsoir, senhorita Émeraud. Magnifique, hm. Magnifique!

Eu apenas acenei levemente com a cabeça enquanto os observava sair dali de mãos dadas.

E naquele momento eu acabava de descobrir que estava mesmo errada sobre a minha situação. E ainda estava prestes a entender que, de fato, o proibido pode ser realmente inesquecível.

 

 

 

 

Notas finais:

Eu espero que tenham curtido. 
Vou esperar o aval de vocês, se acharem que devo continuá-la ou se devo voltar à ideia original e fazer desse um pequeno conto com apenas mais 2 ou 3 capítulos, me digam aí... 

Até breve... Beijo



Comentários


Nome: sophiebrt (Assinado) · Data: 17/09/2017 17:06 · Para: A Chef

Autora estou super feliz que tenha voltado a atualizar uma das minhas historias preferidas. A qualidade do texto continua perfeita. Quando voltei a ler achei que poderia não ter continuidade na quimica ou que algo tivesse se quebrado no meu interesse na historia, mas estou aqui encantada com o encontro e já aguardando os proximos capitulos e encontros.



Resposta do autor:

Muito obrigada por ter insistido e voltado rsrs

E obrigada também pelo carinho.

Espero poder voltar em breve com mais capítulos.

Beijão S2



Nome: sophiebrt (Assinado) · Data: 31/05/2017 15:24 · Para: A Chef

Olá autora!!! estou encantada com sua história! Este é o segundo conto seu que leio e posso afirmar que amo a sua escrita. Li que você escreve por hobby, deveria levar a sério, porque a menos que seja jornalista o seu dom é nato (Não que ser jornalista não seja um dom). Enfim, resolvi sair da moita para dar o meu apoio a história, reafirmo que é um dos melhores enredos que já li por aqui, e merece muito continuidade. Juro que se você parar de escrever, jogo uma mandinga em você......rsrsrsrsrs. beijos. na expectativa!!!



Nome: Mika (Assinado) · Data: 04/11/2016 22:30 · Para: A Chef

Diana amiga, não faça a besteira de se casar. Pelo amor de Deus!

Romance bem instigante Sweet, e vc como sempre arrasando.

Deixa eu ir pra o próximo Capítulo.

Beijo



Resposta do autor:

rsrs

Obrigada! Fico feliz mesmo que vc esteja gostando.

Bejo



Nome: lis (Assinado) · Data: 22/05/2016 18:57 · Para: A Chef

Boa tarde 😊 Sweet, tudo bem? Com certeza continue, só pelo primeiro capítulo já da pra ver que vai ser maravilhosa, parabéns, bela história.



Resposta do autor:

Boa tarde!

Tudo sim, e você como vai? (me desculpe pela demora para responder :/ )

Muito obrigada! Continuo sim...

Obrigada!

Beeijo



Nome: rhina (Assinado) · Data: 22/05/2016 01:18 · Para: A Chef

Acho que vc deve continuar. 

Este romance promete. 

Seu jeito de escrever é realmente doce... suave. 

Até 



Resposta do autor:

Continuo sim rsrs

Ah, que bonito isso *-*

Obrigada!

Até... Beijo



Nome: Pietra (Anônimo) · Data: 06/04/2016 23:24 · Para: A Chef

Sweet!

Parabéns pelo dia de hoje. Que Deus ilumine e abençoe sua vida sempre.

Sinta-se beijada e abraçada por mim.

https://m.youtube.com/watch?v=ei2-RjJDBHc



Resposta do autor em 06/04/2016:

Oi!

Muito obrigada, meu bem! Amém!

Tudo de bom pra nós :)

Senti aqui rsrs

Ah, e obrigada pelo vídeo kkk Lindo! rsrs

Obrigada! Beijo, beijo 😘



Nome: JanBar (Assinado) · Data: 15/03/2016 19:34 · Para: A Chef

Sweet, concordo com tudo o que a Anastácia falou!

Escreva, escreva muito! Porque  sua escrita está melhor a cada dia! Se vão ser 4, 5 ou 50 capítulos deixe os personagens lhe dizer! O primeiro capítulo deixou gosto de quero muuuuuuuiito maaaiiisss!!!

Bjs bella, Janice



Resposta do autor em 21/03/2016:

Obrigada pela opinião, meu bem.

Fico feliz por saber que é bem positiva pra você.

Desculpe pela demora, eu tive uns problemas, mas já estou resolvendo.

Então logo mais terá o segundo capítulo, ok?

Beeijo <3



Nome: Anastacia (Assinado) · Data: 01/03/2016 01:19 · Para: A Chef

Minha cara Sweet,

Escrever é um dom que envolve os sentidos, de quem escreve e de quem lê. Sempre digo que quem consegue nos despertar essa sinestesia, não tem apenas o direito de escrever, mas a obrigação de fazê-lo. Sim, obrigação é a palavra. Um dom não deve ser disperdiçado, minimizado ou negligenciado jamais! Sob pena dos deuses  onde quer que estejam, enviarem sua fúria, rsrs. Praga? Claro que não! Apenas uma forma apelativa para dizer: escreva! Se serão 4, 5 ou 30 capítulos, não importa! Escreva e deixe que a história diga se ficará restrita a um pequeno conto, um conto longo ou a um romance com inúmeros e incontáveis capítulos. Acredito que uma história e seus personagens não pertecem ao escritor. Eles têm vida própria,  eles determinam onde querem chegar. O escritor, com seu talento e sensibilidade, é "apenas" o seu condutor.

Deixando de lado a filosofia, fico muito feliz de saber que a inspiração está batendo à sua porta e que mais um trabalho seu está a caminho. Como admiradora, desejo apenas que venha! É claro que uma história melhor elaborada e com a possibilidade de nos envolvermos com os personagens tem o condão de prender mais o leitor. A leitura muitas vezes requer o envolvimento, a intimidade com os personagens,  como se eles passassem a fazer parte de nossas vidas. Contudo,  como disse antes, acredito que uma boa história, já "nasce" com os seus contornos pré-definidos. Já vi algumas autoras afirmarem que iriam fazer romances curtos -"short story"- e elas mesmas foram surpreendidas pela força e autonomia de seus personagens. 

Acho que não ajudei muito na sua enquete não né? Rsrs. Sorry, rsrs.

Mas saiba que estarei no aguardo! 

Beijos, 

 

Anastacia Salles.




Resposta do autor em 21/03/2016:

Anastacia... Não sei como te responder senão agradecendo. Palavras encantadoras e dignas de reflexão.

Mas é claro que você ajudou! Já devo ter dito isso algumas vezes, mas preciso repetir que é sempre muito bom saber o que você está pensando aí. As suas análises são sempre maravilhosas! 

Muito obrigada por mais uma vez compartilhar as suas divagações. É uma troca adorável.

Eu agradeço por aguardar. Tive uns probleminhas técnicos, mas já estou preparando a volta.

Então até breve!

Beijo, beijo



Nome: Dolly Loca (Assinado) · Data: 28/02/2016 00:16 · Para: A Chef

Ótima a história! Espero que tenham muitos capítulos ainda, pense nessa possibilidade com carinho.

bjos



Resposta do autor em 27/02/2016:

Que bom que gostou!

Penso sim, pode deixar rsrs

Logo tem mais...

Beijo



Nome: preguicella (Assinado) · Data: 27/02/2016 00:45 · Para: A Chef

Parar?!? Como assina?!? Claro que não! Pode continuar, 3, 5, 10, 25, 50 capítulos, quantos serão eu não sei, mas sei que quero! 

Bjãoooo 



Resposta do autor em 27/02/2016:

rsrs Não vou parar não, pode deixar.

Obrigada por opinar!

Não vai ser muito grande não, mas espero que seja o suficiente para que vocês gostem :)

Até mais então... Beijo



Nome: Aloha (Assinado) · Data: 26/02/2016 23:34 · Para: A Chef

Oi! Já adorei logo no primeiro capítulo!! Tb esperao q seja uma daquelas estórias envolventes e compridas! hahaha!

Depois que o abcles saiu do ar, queria continuar a ler I'm in love e fui caçar a sua estória. Estou acompanhando no socialspirit (alíás a senhora está sumida de lá! hahaha!).

Sempre que leio algo e gosto do jeito que a autora escreve, acabo acompanhando todas as próximas publicações. FICA ESPERTA QUE VOU TE SEGUIR AGORA, HEIN?! (credo! q coisa de psicopata...saiu meio estranho mas acho q vc me entendeu, né?) =P

bjs!



Resposta do autor em 27/02/2016:

Oi!

Que bom! rsrs Eu também espero que seja sim rsrs

Obrigada por acompanhar. Estou sim, mas logo volto lá... Só mais um pouquinho aí.

Vish rsrs Eu entendi sim, não se preocupe rsrs

Fico feliz que gostou. Espero que continue gostando!

Beijo, beijo

 



Nome: Paloma Lacerda (Assinado) · Data: 26/02/2016 20:13 · Para: A Chef

Com certeza será a sucessora de Im love with my boss q tb foi maravilhosa. Já aguardo o próx capítulo. Bj



Resposta do autor em 27/02/2016:

Fico feliz pela sua opinião!

Obrigada!!

Logo, logo tem mais rsrs

Beijo



Nome: BCanti (Assinado) · Data: 26/02/2016 17:24 · Para: A Chef

Com certeza tem meu aval. Quero muitos capítulos, reviravoltas, chororô e tudo que tenho direito. Kkkkkkk. Adorei o modo com escreve. Parabéns



Resposta do autor em 27/02/2016:

Obrigada por opinar!

Ah, pode deixar rsrs Tudo o que tiver direito sim! rsrs

Obrigada! Fico feliz que gostou :)

Até mais! Beijo



Nome: Mille (Assinado) · Data: 26/02/2016 15:41 · Para: A Chef

Magnífico e pode fazer a história longa que iremos adorar.

Bjus e até o próximo



Resposta do autor em 27/02/2016:

Obrigada! E que bom saber rsrs

Até logo então... Espero que goste.

Beijo



Nome: CahhFerreira (Assinado) · Data: 26/02/2016 14:13 · Para: A Chef

Aaaahh!!! Como sempre, você arrasando! Já estou a ter suspiros com essa história. Qual será a frequência das postagens? Você é uma excelente escritora, está de parabéns! Abraços

 

 



Resposta do autor em 27/02/2016:

Ah... Obrigada!! rsrs

Fico feliz que sim!

Não sei ainda, tenho que terminar a outra e to numa fase intensa de estudos.

Aí não posso estipular uma frequência precisa. Mas tenha certeza que farei o possível para postar sempre. Todos os meus tempinhos de folga e inspiração serão focados aqui.

Espero que goste...

Muito obrigada! <3

Abraço



Nome: lenna11 (Assinado) · Data: 26/02/2016 03:58 · Para: A Chef

Com certeza tem que virar uma história com muitos capítulos essa história promete é magnífica, como a sua outra história que eu acompanho no outro site!



Resposta do autor em 27/02/2016:

Obrigada!

Agradeço por opinar aqui.

Vou continuar sim. 

Espero que goste dessa também rsrs

Beijo



Nome: Vanlopes01 (Assinado) · Data: 26/02/2016 02:55 · Para: A Chef

Por favor, continue com muitos, muitos capítulos!



Resposta do autor em 27/02/2016:

Continuarei! rsrs

Logo, logo...

Até lá. Beijo



Nome: melissa (Assinado) · Data: 26/02/2016 01:59 · Para: A Chef

por mim pode virar uma história com muitos capítulos...



Nome: melissa (Assinado) · Data: 26/02/2016 01:59 · Para: A Chef

por mim pode virar uma história com muitos capítulos...



Nome: melissa (Assinado) · Data: 26/02/2016 01:59 · Para: A Chef

por mim pode virar uma história com muitos capítulos...



Nome: melissa (Assinado) · Data: 26/02/2016 01:59 · Para: A Chef

por mim pode virar uma história com muitos capítulos...



Resposta do autor em 27/02/2016:

Anotado aqui rsrs

Obrigada por compartilhar sua opinião!

E até breve então...

Beijo



Nome: Taypires (Assinado) · Data: 26/02/2016 01:35 · Para: A Chef

Está excelente, por mim pode ter mais capítulos.

👏👏👏



Resposta do autor em 27/02/2016:

Obrigadaa!

 

Em breve teremos mais :)

Até lá...

Beijo



Nome: Ana_Clara (Assinado) · Data: 25/02/2016 23:46 · Para: A Chef

Vc voltou, magnifique!!! rsrsrs Eu adorei a história! Como sempre a tua escrita com uma leveza deliciosa. Com certeza será um sucesso! Aliás, a vida da Diana extremamente complicada e isso se deve aos seus próprios erros e decisões. Continua!



Resposta do autor em 27/02/2016:

Volteei rsrs

Que bom! Fico feliz que sim :)

Obrigada!

Pois é... saberemos mais sobre as decisões, erros, acertos e tudo mais da Diana e da Valentina também. No próximo capítulo já começaremos a entender isso rsrs

Obrigada pela opinião.

Até breve então...

Beijo



Nome: Valelispresley (Assinado) · Data: 25/02/2016 23:35 · Para: A Chef

Sou fanática pela história da Evelyn e da Camila e consequentemente pela sua escrita, então o que eu posso dizer? Vai em frente!!!

 



Resposta do autor em 27/02/2016:

Obrigadaaaa pelo carinho!

Espero que goste dessa aqui também então rsrs

Vamos lá...

Beijo



Nome: Crika (Assinado) · Data: 25/02/2016 23:27 · Para: A Chef

Olá querida!Mas éé claro que VC deve continuar com a história,gostei muito,muito bem escrita,e tenho certeza que o desenrrolar será bem interessante... Bjs meu anjo...e vamo que vamo.



Resposta do autor em 27/02/2016:

Olá!!

Fico feliz por saber, obrigada por mandar sua opinião :)

Espero que goste dos próximos!

Beijo, meu bem.

Vamos sim, até breve... rsrs

 



Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.