Meu sol nascente por Btse


[Comentários - 0]   Imprimir Impressora - Lista de Capítulos

- Tamanho do Texto +

Notas da história:

O ENCANTAMENTO, O MEU AMOR A TRANSFIGURAR-SE EM VOCÊ.

MEU SOL NASCENTE

POR BTSE

 

Amanhece os meus olhos vivenciam maravilhados o nascer do sol da janela do avião.

Na fração de minuto a seguir um mundo novo descortinava-se ante os meus olhos a Ponta do Seixas. E à medida que a aeronave se preparava para pousar, a minha alma que até então se quietava, ante a tal visão. Em transe, os meus lábios se absteve de falar, o que propiciara a ouvir o descompasso do meu coração.

 

MINHA LOUCURA

POR BTSE

 

O puro ato de te querer

Faz do seu devaneio

A minha loucura...

 

Perturbo-me...

Ao imaginar o roçar de nossos corpos

Num iniciar suave até se transformar

Em um vulcão em erupção.

 

Arrebato-me...

Quando o seu desejo

Apossar do meu.

 

Desnorteio-me

Em pensar...

 

Em suas mãos a deslizar

Em meu corpo

Como se elas estivessem a caçar

O objeto do seu desejo...

 

Enlouquecida

Apaixono-me…

 

Quando busco o prazer

De não devanear

E sim em te ter.

 

Na inquietude daquele momento, o que antes era o sonho, ou o meu mais lindo delírio estava prestes a tornar-se real.

 

O que fez a minha alma reagir ao turbilhão de emoções que estou a vivenciar elevando os meus olhos ao céu, até que a luz do sol nascente se apossar de vez do meu ser.

 

Que se maravilha com tudo que está a vivenciar e por viver, ver o meu sonhar transfigurado na mais realidade: Você, MEU SOL NASCENTE.

 

Os meus olhos se perdem, quando tudo que era tão pequeno se engradece à medida que o avião começa a pousar e se encanta com a profusão de tons: verdes, rosas, vermelhos, amarelos  das as flores dos jardins a brilharem com os raios de sol do amanhecer.

 

Em cada fração de minuto o que antes era por você ilustrado foi se realizando e me fascinando com uma nova paisagem, como o encontro das águas de cor verde azulada com as areias de suas praias salpicadas de marrons dos quiosques a beira mar, ao som de Ravel.

 

E ao ver tal paisagem, o meu coração bateu mais forte, com a certeza de que estou tão perto de você. O meu eu encantado começou a gritar: Cheguei! Cheguei a Porta do Sol! A Cidade Jardim! A você!

 

O comandante de nome João anuncia a sua Pessoa... O meu sol... O meu amor. A porta está prestes a se abrir, quando o seu olhar me dirá: Bem-vinda! A cidade do meu Eu.

 

Então, eu serei a sua munícipe, aliás, a única cidadã da cidade do teu Ser. E, o teu corpo, o território desta cidade.

 

Na qual tornarei uma turista ávida a conhecer os seus encantos... Os seus mais longínquos lugares, isto é, as suas entranhas, na qual deslumbrada me renderei.

 

O meu coração se iguala ao descompasso do motor do avião a pousar, o Comandante deu boa vinda à cidade que levava o seu nome, mas em delírio ouvi o seu nome Mar...!!!  Mar...!!!  Mar...!!!  O seu nome ressoa em minha alma até que os meus olhos encontrem os seus.

 

Ah! Meu amor... Meu Mar... Meu delírio real... E ao te ver me tornarei descobridora da cidade dos meus sonhos, o teu corpo. Um território a desbravar.

 

Ah! Os teus braços a me acolher dará a certeza de que neles verei o verde em contraste aos Mangues do Rio Jaguaribe, sentir-me-ei a turista por você acolhida.

 

Quando os teus olhos se apossaram dos meus e finquei a minha bandeira no território a desbravar antes dele tomar posse, você me mostrou parte do seu reinado.

 

E nos minutos a seguir se descortina da janela do táxi toda a magia de Jampa,  o que mais me faz delirar, o quão será indescrevível desbravar  o território da  cidade dos meus sonhos... Como é indescritível o sol a nascer na cidade chamada Mar...

 

Quando o meu corpo no seu repousar, não serei mais a turista e sim a munícipe... A única cidadã do seu reinado... A serva, a sua amante a retornar a sua terra, aquela que sonhei estar... Enfim, tomarei posse do seu corpo, do seu eu. A metade faltante do meu Ser.

 

Cidade na qual desejo eternamente morar...  MAR...!!!

 

PLANETA CORPO  

 POR BTSE

 

Meu coração viaja

Até um planeta lindo

Chamado Corpo,

No qual o meu cansado

Deseja infinitamente pousar.

 

Nele quero fincar a bandeira

Do país chamado AMOR,

No qual serei a Rainha

E a única cidadã.

 

Quando nele pousar

Desbravarei cada minúsculo

Pedaço deste lindo planeta.

 

Entrarei em suas entranhas

Até chegar ao teu coração,

Sede dos teus sentimentos,

Mais puros e verdadeiros.

 

Mergulharei nas profundezas

De um lago, tua boca

E serei dela súdita, pois provarei

O mais doce do néctar, você.

 

Nos seios do teu rio navegarei

Até encontrar a fonte do desejo

E dela serei escrava

Do teu bel prazer.

 

E quando o cansaço chegar

Será deitando em teu solo,

Tua pele, límpida e suave...

 

Eu, astronauta desta eterna missão

Irei nele infinitamente reinar.

 

 

Notas finais:

 Escrito na primeira vez que o MEU SOL NASCENTE refletiu em minha alma... E conheci O MEU AMOR...  A CIDADE NA QUAL FINQUEI A MINHA BANDEIRA... O MEU LUGAR.



Comentários


Você deve fazer login ou se cadastrar para comentar.