Seu olhar por Heli
Summary:

Carla e uma das melhores médicas do Maine, e trabalha em um dos melhores hospitais e ainda dar aula de bioquímica, tem um namorado e independente financeiramente eu diria que sua vida e cause perfeita 


Ester e uma menina que vai morar no Maine com sua tia, após o acidente de carro com seus pais, estar no segundo ano em medicina.


Dois mundos que vão se cruza, entre o amor e o ódio que prevalece o mais forte.


Categoria: Romances Characters: Original
Challenges:
Series: Nenhum
Capítulos: 16 Completa: Não Palavras: 17220 Leituras: 11271 Publicada: 25/05/2018 Atualizada: 19/06/2018
Notas:

Duas mulheres diferentes uma da outra mas assim que seus olhares se encontrarem, essa diferença não ira atrapalhar só ira completa uma a outra 

Mas antes de tudo isso acontecer terá muita intriga entre elas

1. 1 Recomeçando por Heli

2. 2 A Primeira Impressão por Heli

3. 3 Como Esquecer por Heli

4. 4 Faculdade por Heli

5. 5 A Conversa por Heli

6. 6 A Conversa parte ll por Heli

7. 7 Amizade? por Heli

8. 8 Doente por Heli

9. 9 Luana e Bruna por Heli

10. 10 Sexta Feira por Heli

11. 11 Especial Lucas por Heli

12. 12 Sentimentos por Heli

13. 13 Dia Seguinte por Heli

14. 14 Éster por Heli

15. 15 Éster parte ll por Heli

16. 16 Carla por Heli

1 Recomeçando por Heli
Notas do autor:

Fala do recomeço de Ester na nova cidade que ela ira se mudar

1 Recomeçado
Ola meu nome e Ester, tenho 19 anos estou no segundo ano de medicina, semana passada sofri um acidente de carro com meus pais, minha tia de coração me convidou para morar com ela, por não querer que eu fique sozinha com as lembranças do acidente, e aceitei ir morar com ela em uma cidade chamada Maine.Assim que o avião desceu fui pega um taxi, e vou fala fiquei com um pouco de medo dentro do carro, depois desse acidente fiquei com um pouco de trauma, mas assim que o taxi parou na frente do hospital onde minha tia trabalha me senti aliviada, e dei uma boa olhada o hospital e lindo, peguei minha mala e fui a procura de minha tia Fabiola, quando eu estava em um corredor vi um homem falando com um rapaz e ouvi o que ele dizia 

-'E ai você pegou ela?

- não, ela não estava lá

- Como ela não estava lá ?

homem que estava nervoso passou a mão pelo cabelo e olhou em minha direção e deu um grande sorriso, olhei para trás pensando que ele estava sorrido para alguem que podia esta atrás de mim, mas nada olhei em sua direção e ele se aproximava de mim e falou

-'Você e a Ester ne?

- sim! E você quem e ? Como sabe meu nome?

- Sua tia me pediu para pega você no aeroporto, mais tive uma emergência aqui no hospital e pedi pro meu irmão ir pega la , mas que bom que você chegou aqui bem.. Há meu nome e Carlos?

Ele estendeu a mão pra mim, soltei a mala e apertei sua mão lhe dando um pequeno sorriso.

- mais onde esta minha tia?

Perguntei logo

- Bom vou leva você ate ela vamos

Ele pegou minha mala e  caminhou em minha frente eu ainda parada no mesmo lugar respondi baixo

- há... Claro

E caminhei logo atras , ate que ele parou em frente em uma porta e bateu mesmo eu ainda um pouco distante pode ouvi a voz de minha tia falando que podia entra, assim que ele entrou minha tia foi falando

- Carlos eu já estava indo para a sala de cirurgia, não era preciso você vim... 

Assim que ela me viu parou de fala e veio sorrido para me abraça, e retribuir o sorriso com o abraço, assim que titia me saltou foi falando.

- Ester meu amor, como você esta? Como foi a viajem?

- Estou bem, e a viaje correu tudo bem tia e você?

-Estou otima , e que bom você chegou...

Desta vez quem nos interrompeu foi Carlos falando

- Ok! Gente mas Fabíola você disse que tem uma  cirurgia importante agora

- Nossa verdade, meu amor você não se importa de nos espera? Eu sei que você deve esta cansada da viagem, então pode descansar aqui na minha sala no sofá, assim que eu acaba vamos pra casa

- Tudo bem tia, eu entendo

Falei Minha tia me deu um beijo na testa e saiu andando puxando Carlos com ela, assim me deixando sozinha em sua sala.Minha tia e diretora do hospital e a melhor medica daqui, claro outra pessoa podia fazer isso por ela, mas minha tia adora trabalha por isso entendo que ela teve que ir. Já eu fui me joga no sofa para dormir um pouco. E assim foi meu dia no Maine.

2 A Primeira Impressão por Heli
Notas do autor:

Esse capitulo fala um pouco de Carla e seu primeiro encontro com Éster

2 A Primeira impressão

Oi meu nome e Carla tenho 30 anos, sou a segunda melhor medica do hospital depois da diretora Fabíola, mais não só fico no hospital dou aula também em uma faculdade sou professora de bioquímica, tenho um namorado chamando Luciano e ele também e medico e professor na mesma faculdade que eu, bom meu relacionamento com Luciano não e a mesma coisa que antes, a gente se trata mais como amigos do que namorados, mas como gostamos da companhia um do outro, ainda dizemos que namoramos.

Hoje acordei um pouco atrasada para ir pró hospital, fiz minha higiene matinal peguei meu carro e segui para o hospital, assim que cheguei vi Luciano na recepção

- Bom dia

Falei dando um selinho nele

- Bom dia, estar atrasada Carla

- eu sei, mas não tenho consulta agora

- Não, mas a diretora Fabíola fez uma pequena reunião mas cedo, e ela quer fala com você.

- vou lá, só passa na sala dos médicos e pega meu jaleco

E assim fiz peguei meu jaleco e Luciano foi comigo ate a sala de Fabiola, bati na porta mas não recebemos resposta nenhuma, então descidi abri a porta pra ver se Fabíola não estava de novo aos beijos com Carlos, mas não havia sinal deles, assim que olhei na direção do sofá vi um cabelo loiro e pensei que fosse Fabíola dormindo, então entrei com Luciano logo atras , assim que chego perto vejo que não e ela e sim uma garota que ao meus olhos paretava ter uns 18 a 20 anos de idade dormindo no sofá, como não sabia quem era descidi acordar lá, ela se levantou de olhos fechados se sentado no sofá, assim que ela abriu aqueles olhos verdes penetrantes, nos seus olhos pude ver doçura, medo, alegria, tristeza que para mim aquele olhar dizia tudo e nada ao mesmo tempo, quando percebi que ela começou a fica vermelha, e me dei conta que eu estava olhando muito ela, para disfarça Fechei minha cara e falei

- Obque você esta fazendo aqui garota? Não esta vendo que aqui não e dormitório e sim um hospital.

- Eu.. Eu.. Eu

Sua voz tão doce, cause não saia a fala,mas bom não posso me deixa encanta por isso e voltei a fala

- Que sabe não fale nada , saia dessa sala já

Falei brava 

- Mas ... E.. Sou... Sobrinha.. Da.... Fabíola

Ela falou gaguejando, olhei seria pra ela falando

- deste quando a Fabíola tem sobrinha, como ela nunca contou para gente

Falhei olhando bem seria, esperando como seria sua resposta

- Quem sabe ela não mestura profissionalismo com pessoal, já que pelo que vejo vocês são médicos.

Dessa vez ela falou sem gagueja, pelo visto só era chame pra vê se eu cairia, e isso me deu uma raiva que no hora que eu ia fala Luciano passou a mão no meu ombro e se pós a fala

- Chega Carla, você chegou tarde hoje e Fabíola nos falou sobre essa menina, por isso você não sabe

- Éster...

Ela falou o nome dela assim que Luciano acabou de fala

- E só agora você me fala Luciano

Falei com raiva de tudo

- Acho que ela queria fala ela mesma, por isso estamos aqui

Olhei para a menina e vi que ela me olhava, e quando eu ia fala algo a ela, a mesma desvia os olhos para tras de mim, olho em seguida e vejo Fabíola e Carlos entrando na sala, Ester passa por mim exalando seu perfume cheiro de flor para abraça sua tia.Fiquei ali parada onde estava, ela falava algo para sua tia que não consegui ouvi, mas ela deu um beijo no rosto de sua tia e saiu da sala.

Assim que ela saiu me pronuciei

- O que você deseja Fabiola

Falei me sentado no sofá onde Ester estava deitada e pode senti o cheiro de seu perfume por ali

-:Como você viu essa e minha sobrinha, ela veio morar comigo aqui no Maine, então como as aulas dela só vai começa segunda pensei que você poderia me substitui até segunda aqui no hospital Fabíola falou logo de uma vez

-'Claro, posso sim 

Respondi, aceitado para pode me ocupa, assim quem sabe aqueles olhos lindos saia do meus pensamentos. E além de tudo a primeira impressão que ela teve de mim agora só pode estar pensando que sou rabucheta, respirei fundo e fui segui com meu dia.

3 Como Esquecer por Heli

3 Como esquecer

Éster

Eu estava deitada tendo um pesadelo quando sinto uma mão leve me sacudindo, como eu estava deitada de costas para a porta fui me sentado no sofá de olhos fechados, pensando que era minha tia me acordando, assim que abro os olhos me deparam com um olhar intenso, castanhos brilhoso, mas neles tinha duvida e percebi que a duvida era de mim, ela ficou me olhando por muito tempo que fui ficando vermelha de vergona, acho que ela percebeu e foi logo sendo grosseira comigo eu tentando responde a ela, mas eu estava tão nervosa que só gaguejava, ela e tão linda e esses olhos que não consigo para de olhar, mas até ela passa do limete não aguentei e respondi a altura, o homem que estava só nos olhando interferir na discussão fala que eu realmente sou sobrinha da Fabiola, percebi que ela estava muito irritada com ele por isso e fiquei olhado ela, por que até daquele jeito eu tava achando ela linda.

Ai onde tou com  a cabeça deste quando eu reparo em mulheres. quando percebi a porta se abri desviei o olhar pra porta e vi minha tia entra e fui ao seu encontro, lhe abraçado e já falando

- Tia quero ir embora

- Querida o que houve ?

- Só estou cansada e com fome

Dei um pequeno sorriso 

- bom, vai indo lá na cantina que já passo lá para paga e irmos embora.

- Obrigada tia Beijei o rosto de minha tia e sair da sala sentido o olhar daquela mulher em mim.

Carla

Assim que conversei com Fabiola, fui com ela ate a cantina para tomar café e ela indo atrás de sua sobrinha, assim que chegamos virmos ela junto com Bruna rindo 

- nossa como e bom ver Ester rir assim, deste a ultima vez que a vir ela não ria assim.

Falou Fabiola

-'E... Que bom! Vou indo Fabi pedi meu café

- Tchau Carla, ate segunda

Acenei para ela e fui para o balcão pedi meu café e fiquei ali de longe olhando Fabíola indo na direção delas  e ao mesmo tempo fiquei pensando por que Éster não ria tanto fiquei olhando a, como aquele sorriso era lindo, respirei fundo e balancei a cabeça falando pra mimmesma-

- tira essa menina da cabeça Carla

Mas olhado para elas, assim que vejo Fabíola e Éster ir embora me aproximou de Bruna

 - Bruna, Bruna você não perder tempo.

Falei para minha amiga deste a Faculdade

- Não perco tempo com o que?? 

Ela me respondeu

- Éster... Você não perder tempo e já foi dar em cima de Éster, cuidado minha amiga ela e sobrinha da diretora do hospital, então essa não e pro seu bico.

Falei serio comBruna-

- Nossa Carla, se não te conhece se diria que você esta com ciumes, mas lhe digo não precisa ter, você sabe de quem eu gosto.

Bruna falou rindo de minha cara

- Primeiro: não tou com ciúmes, segundo: só não quero que perca seu trabalho por dar encima da sobrinha da chefa

Falei sorrido

- Minha amiga isso não ira acontece

Bruna falou com um sorriso malicioso

- Então se você não estava dando em cima dela o que vocês faziam rindo aqui?

- Euvvir ela no banheiro chorando e perguntei se ela estava passando mal e...

Interompo Bruna já falando preocupada

- por que ela estava chorando ?

- Não sei Carla, perguntei mas ela não me disse nada Respirei fundo passando minha mão pelo meus cabelos longos

- Perai, você esta gostando dessa garota Carla?

- Não seja redicula Bruna, você sabe que tenho o Luciano

- sei

- olha Bruna..

Quando eu ia responde ouço me chamarem na emergência, me levantei e sair rápido deixando Bruna pensa que estou apaixonada pela sobrinha de Fabiola. Agora espero esquece essa menina e tira ela da cabeça, trabalho e a melhor solução e assim fiz.

Éster

Assim que sair da sala de minha tia, fui a procura de um banheiro, assim que achei desabei no choro, por aquela moça que eu mau conhecia ter sido arongante comigo e por mesmo assim ter sentido algo por ela que ainda não sabia o que. Só sei que aquele olhar me deixou sem chão, e ali fiquei a chora ate que uma medica que me viu chora veio me pergunta o que tinha acontecido, mas não respondi nada, mas mesmo assim ela ficou ali ate eu me acalma e ela foi comigo ate a cantina e conversamos até minha tia aparece e irmos embora para casa dela, assim que chegamos minha tia me mostrou tudo, fui para o quanto que seria meu e tomei um banho, assim que desci para a sala me tia veio falacomigo-

- Éster eu te matriculei na Faculdade onde dou aula também se você não se importa ?

- Claro que não tia, só queria conhecer lá antes de segunda feira

 - Sim, amanhã mesmo levo você lá pra conhecer.

Bom meus dias com minha tia em casa foi ótimo, saimos pra mim conhecer a cidade, compramos roupas, minha tia queria compra um carro pra mim, mas falei que ainda não tava preparada pra dirigi de novo, tirando isso ate esqueci da moça dos olhos lindos por um tempo.




4 Faculdade por Heli

4 Faculdade
Éster
Deste que cheguei no Maine meus dias com minha tia foi legal, mas agora teria que volta para a faculdade e confesso estou um pouco nervosa, mas vamos lá. Segunda meu primeiro dia minha tia me deixou na faculdade antes de volta para o hospital, como minha tia tinha me levando lá uns dias antes não foi difícil acha minha sala de aula, assim que me sentei não demorou muito veio duas meninas fala comigo e logo fiz amizade com elas a Luana e a Renata, e logo descobri também que o irmão do Dr Carlos e da mesma sala que eu quando ele veio fala comigo
- Oi se lembra de mim?
Ele falou
- Lembro sim, só não sei seu nome
- Lucas, prazer em conhece lá
- O meu você já sabe 
Sorri para o Lucas, e assim ficamos os três ali conversado ate chega um dos professores, meu primeiro dia de aula foi bem produtivo, e realmente essa e uma boa faculdade, no final do dia quando terminou a ultima aula, Luana e Renata me convidaram para merenda e aceitei já na lanchonete Luana começa a fala
- Me diz Éster porque se mudou para o Maine?
- minha tia me convidou 
- E quem e sua tia ?Perguntou Renata
- E a Dra Fabíola 
Ouvi uma voz conhecida responde, olhei para trás de mim e vir o Lucas com um sorriso parecido com o irmão dele 
- posso fica aqui com vocês meninas
- pode sim 
Respondeu Renata
Ele se sentou do meu lado, e algo me dizia que esse rapaz ainda vai me da muita dor de cabeça, mas deixei para lá, e Luana continuou a fala 
- Nossa Éster, assim você vai se dá bem nas provas dela já que ela e uma das melhores medicas do MaineLuana falou completamente animada com isso
- sim ela e, mas isso não tem nada haver comigo na faculdade gente, para mim tirar boas notas vou estuda muito para passa com meus méritos, não porque ela e minha tia
- eu acho legal essa sua atitude Éster, penso o mesmo já que tenho um irmão médico também
Falou Lucas, me olhando me deixando vermelha 
Ficamos um tempo ali conversando até  umas 18 hrs as meninas me deixaram em casa, e assim que cheguei o telefone tocou e fui atender, era minha tia falando que ficaria de Platão que amanhã iria sozinha pra faculdade.
Carla
Minha semana no hospital foi corrido, nunca pensei que ser diretora de um hospital grande desce tanto trabalho e para completa estou de Platão deste Domingo, estou sentada na sala de Fabíola a espera dela, assim que ela chegou fiquei feliz 
- Que bom vê lá de novo Fabíola
- Bom ver você também, como anda tudo por aqui?
- tudo tranquilo, mas agora você chegou e posso ir ? Quero descansa, bom quero dormir ate amanhã o Platão dessa noite foi corrido
- Claro que você pode ir Carla, e obrigada por cuida de tudo por mim na minha ausência.
- hó agora sei que vida de diretora de hospital e difícil não e fácil, ter que concilia com outros trabalhos 
Falei rindo da situação
- e como 
Fabíola falou também rindo.
Me despedi dela e fui para casa, que no dia seguinte teria que ir para a faculdade dar aula então queria esta bem disposta.
Olha eu estava tão cansada que só cheguei em casa tomei um banho e dormi, que só acordei no dia seguinte cedo e com uma fome, fiz minha higiene matinal e fui para a faculdade queria chega cedo por lá mesmo eu tomaria café, assim que cheguei fui para a cantina e vir meu namorado Luciano tomando café, peguei o meu e fui me senta ao seu lado.
- oi bonito
- oi sumida, não vejo você deste sexta feira
- sabes que eu tava muito ocupada no hospital
Falei, ele apenas concordou com a cabeça e ficamos tomando café calados, assim que acabamos vamos indo para a sala dos professores conversado 
- Você vai ter folga quando do hospital Carla?
- sexta feira porque?
- queria sair com você, já faz um tempo que não saímos juntos
- esta bem Luciano, veja o lugar que vamos 
Falei, já abrindo a porta da sala indo direto no meu armário que minhas coisas e livros, lhe dei um beijinho e fui para sala de aula que já estava na hora, assim que entrei todos se calaram e comecei a falar
- bom dia turma
- bom dia Dra Carla
Todos falaram 
- Bom voltamos das férias e vejo que temos rostinhos novos por aqui, então vou logo falando que não gosto que entre em minha aula depois que eu já esteja aqui, não gosto de atrasos, ninguém aqui e criança e vocês...Parei de fala assim que ouvi uma voz, e eu conhecia aquela voz, assim que olhei para a porta não pude acredita que Éster estudava aqui e logo na sala que dou aula, ai e agora? Não podia mostra minha surpresa, se eu estava falando de atraso então não posso deixa que ela entre assim, sem ouvi o que tenho o que fala, se eu não fala nada os outros alunos depois vão querer fazer a mesma coisa e falei 
- Como eu dizia turma, ninguém aqui e criança para se atrasa, e não tolero atrasos em minha aula!
Éster  parou de anda e vi que ela ficou surpresa em mim ver ali, e ficou parada me olhando só que não por muito tempo que ela logo voltou a anda só que em direção da porta, e fui também na mesma direção para empedi que saísse, Éster parou em minha frente e ficou a me olhar, ao senti aquele olhar sobre em mim e aquele perfume cause perco a razão, mas voltei a mim e não pude me cala tinha que fala
- Onde você pensa que vai?
- você não disse que não tolera atrasos, pois então  Doutora e melhor eu sair já que estou atrasada 
Ela falou com arrogância na voz, haa aquilo me irritou que falei bem irritada
- Não tolero mesmo, ninguém aqui e criança, para fica sendo acordada por pai e mãe, tia avô seja lá o que for, já devem ser bem grandes para não se atrasarem a menos que não acorde cedo por estarem na sacanagem 
Eu falei olhando bem firme para ela e ao mesmo tempo para a classe, quando voltei meu olhar para Éster vir uma lagrima cair de seus olhos, e quando fui me aproxima dela para tenta amenizar o que falei ela saiu correndo da sala, antes que eu me aproximasse dela, olhei para os alunos e eles estavam me olhando assustados pelos menos os novatos, ignorei eles e chamei a Renata 
- Renata como você e uma das minhas melhores aluna, depois quero que passe a matéria para a ela
- pode deixa 
Ela respondeu e foi se senta, e já eu continuei com a aula, assim que sair fui a procura de Éster mas não a encontrei então fui seguindo para a minha próxima aula, falei o que tinha que fala e assim que terminou fui para a sala dos professores deixa os livros para ir almoça na cantina, assim que vou saindo da sala meu celular toca e vejo que e Fabiola e penso que Éster deve ter falado algo para ela e atendo
Ligação on
Car: oi
Fa: oi Carla você ainda esta na faculdade 
Eu estava indo falando com ela em direção a cantina
Ca:estou porque, precisa de mim ai no hospital?
Fa:não, não e isso! Só gostaria de sabe se você pode dar um recado para mim.
Ca:sim posso, para quem é?
Fa:para Éster
Ai pai por que eu, essa menina não tem célula, pensei fazendo cara feia
Ca:ata, qual e o recado 
Fa: que estou de Platão hoje de novo, e que amanhã e par Éster me espera em casa que vou junto com ela pra faculdade 
Ca:esta bem Falei já cause na cantina 
Fa:obrigada Carla
Ca:de nada 
Ligação off
Assim que desliguei cheguei na cantina e quem eu vi em uma mesa com uns alunos a Éster, e no mesmo tempo ela olhou na !tinha direção fazendo nossos olhos se cruzarem, lhe dei um sorriso mas ela apenas ficou seria e parei de olha lá, e segui para frente para compra meu almoço, e procuro um lugar para senta e vejo Luciano e vou ate ele
- Oi lindo, você não sair da cantina não 
Falei rindo dele
- eu saio meu amor, só que sinto fome e venho aqui comer algo
Ele falou com um sorriso, e eu já sentada de costas para Éster não queria olhar pra ela depois do que falei e fiquei ali pensativa ate que Luciano fala
-Carla eu soube que você pegou pesado com aquela menina hoje
- que menina?
Falei colocando comida na boca e olhando para ele sem muita importância para a resposta 
- Éster
Falou ele 
- Ai Luciano vocês estão dando muita importância a essa menina, até parece que ela e tudo não me toque 
Fiquei falando 
- E também não falei nada demais Luciano, só disse que não gosto de atrasos em minha aula
Falei olhando seria pra ele
- não e só isso Carla, no dia que você chegou atrasada também no hospital 
Interompi ele falando 
- Aquele dia cheguei atrasada por eu ter dormindo mau 
Ele ficou me olhando serio e continuo a fala
- não estou falando do seu atraso também Carla, e sim de aquele dia a Fabíola ter falado pra gente que Ester perdeu os pais dela, que ela não tem mais ninguém.
- mais ela tem a Fabíola Retruquei
- mais Fabíola não e tia dela de sangue e sim de coração
Luciano falou, e eu bom rapidinho prestei atenção que até me esqueci que estávamos na cantina e grintei 
-O QUE?
Falei cause gritando me levantado da cadeira, quando senti que estavam nos olhando, me virei na direção que Éster e percebi que ate ela nos olhava, voltei a olhar pro Luciano já me pronunciando
- Vamos para outro lugar!
- Mais ainda não terminei meu almoço Carla
- vamos logo Luciano quero saber direitinho essa historia 
Peguei a bandeja onde estava o prato dele, fui deixa no balcão junto ao meu e  voltei já puxando ele pela mão para saímos dali, assim que chegamos no estacionamento onde não tinha ninguém fui falado logo
- Vamos Luciano, quero sabe de tudo
- pensei que você não se importasse com Éster
- não me importo, só não quero mais pisa na bola com ela, e não quero que foque um clima estranho entre a gente, então vai logo falando tudo
- você se lembra que tinha um outo médico que as vezes ia no hospital com Fabiola
- sim, o que esse médico tem haver com isso 
- então ele era pai de Ester, e amigo da Fabíola como eles eram próximos Éster cresceu chamando ela de tia 
- Então que dizer...
Não consegui termina de fala, não acreditando no que eu tinha falado em sala de aula
- que ela não tem parentes de sangue, ela só tem a Fabiola  já que não faz nem três semanas que os pais dela morreram em um acidente de carro e ela estava junta e foi a única que sobreviveu
- nossa Luciano eu não sabia 
Comecei a chorar por ter tratando ela mau deste que conheci, ela não merecia isso, sofreu muito e eu ainda fico fazendo mau, eu não mereço o perdão dela,e agora como vou olha para aqueles lindos olhos tão doces e meigos
- Calma Carla, e só você pedi desculpas a ela
Meu choro foi parando e falei
- ela não vai querer me ouvi, e nem mereço mesmo ser ouvida por ela
- ela vai sim lhe ouvi, ela e uma menina bem legal 
- você me ajuda Luciano?
- Vou tenta
E assim ficamos ali vendo um jeito de eu consegui fala com Éster.




5 A Conversa por Heli
Notas do autor:

Sera que Carla conseguira fala com Éster

5 A Conversa
Éster
Assim que sair da sala de aula fui para o banheiro chora por tudo que Carla anda fazendo comigo, não fiz nada a ela para me trata desse jeito, e como queria ter raiva dela mas não consigo, tudo por que ando sentido essas coisas estranhas por ela, e fiquei por aqui no banheiro ate termina a aula dela, assim que vi que ela não estaria em sala e não esbarraria com ela pelo correndo voltei pra sala de aula e não sair de lá até na hora do almoço, fiquei a aula toda calada e as meninas percebendo que eu queria fica em silêncio não falaram nada pelo menos ate na hora do almoço, com a gente já na cantina
-Tudo bem ? Éster 
Me perguntou Luana
- estou sim Luana, me lembrei de meus pais só isso
- Há Éster não fica assim, Carla e durona mas ela e boa pessoa, ela ate me pediu pra passa a matéria pra você
Falou Renata
Eu a olhei assustada falando
- Eu aceito sim, mas da Dra quero fica longe, me lembram de nas aulas dela eu senta lá atrás 
E as meninas começaram a rir e acompanhei na risada e parei assim que vi Carla entrando na cantina, fiquei olhando em sua direção e quando ela se virou nossos olhares se encontraram, ela me deu um sorriso, só que fiquei a olhando séria eu não tinha raiva dela mas estava chateada com ela, paro de olha lá quando Lucas apareceu falando comigo
- Esta me procurando? 
- Claro que estou, nossa estava até falando de você com as meninas 
Falei com ironia e as meninas começaram a rir dele
- nossa vocês não sentiram saudades de mim?
- não!
Falamos juntas e começamos a rir, e paramos quando ouvimos a voz da Dra Carla, então olhei de onde vinha a voz e vi ela em pé de frente a uma mesa com um homem que já tinha visto no hospital só não me lembro o nome, ficamos olhando e vejo ela olha em nossa direção e mas uma vez nosso olhar se cruza, mas não por muito tempo por que ela se volta para o homem pegando sua bandeja levando para o balcão e voltado e seguida saindo puxando ele, eu não me contendo de curiosidade pergunto a Renata
- Quem e aquele homem que a Dra Carla saiu?
- E o Dr Luciano, namorado dela, mas muitos falam que esse namoro e só fachada
Quando Renata falou que ele e Namorado da Dra Carla, não ouvi mas o que ela falava só estava pensando se ela amava ele se eles eram felizes, de como eu queria se feliz ao lado dela, e respirei fundo.
- O que foi Éster
Me perguntou Lucas 
- Nada 
Falei um pouco tristinha, e fiquei na minha almoçando ate que voltamos para a sala e já tinha uma professora lá  esperando os alunos, correu tudo bem, na aula e assim que terminou a aula dela, foi entrado já o outro, assim que vi que era o namorada de Carla Fechei a cara, mas assim que ele olhou em minha direção me deu um sorriso e retribuir com um pequeno, para não se mal educada já que ele não tem culpa pelos sentimentos que ando tento pela namorada dele.
Confesso eu estava doida para que a aula dele acabasse para ir embora precisava fica só para pensa, mas assim que acabou a aula ele me chamou e falei para as meninas irem sem mim
- Oi Dr?
- Sua tia lhe deixou um recado 
- E qual seria ?
- bom eu anotei em um papel para não esquecer e deixei na sala dos professores, venha comigo até lá
Eu fiz que sim com a cabeça e acompanhei ele ate a sala, mas assim que chegamos ele pediu para espera ló, quando ele foi entrando na sala vinha saído a Dra Carla que parou em minha frente falando
- Éster preciso fala com você
- Mas eu não tenho nada para fala com você, e alias pra mim isso aqui esta cheirando armação duvido que tenha algum recado de minha tia 
- Mas tem recado sim, só que quero fala com você
Ela falou me olhado bem nos olhos com aquele castanho brilhando, mas não queria ouvi lá, então me desviei dela e fui bate na porta dos professores chamando o Dr
-Dr Luciano, qual e o recado de minha tia?
- Ata e que...
Vi ele olhar na direção  de Carla e depois pra mim e continuou a fala
- Ela estará de Platão hoje, é ela quer que você a espere pra vocês virem juntas.
- Só isso?
Perguntei a ele que balançou a cabeça afirmado que era só, e me virei para ir embora, e fiz o mesmo que Carla fez quando saiu da sala, parei em sua frente e falei
- Antes de qualquer coisa, quando uma pessoa quer fala com a outra  tem que pedi com educação e não trata as pessoas como se fosse lixo, como você me tratou no hospital e hoje.
Sair De sua frente e fui embora completamente correndo dali, seria melhor corta essa aproximação agora.    
fiquei pensando.
Carla
Quando eu vir Luciano entra na sala dos professores, eu já sabia que Éster estava do lado de fora esperando ele, então sair parado em sua frente pedindo para fala com ela, e foi como eu tinha previsto ela se recusou a fala comigo, ela falou umas coisas para mim e percebi que ela estava magoada comigo, e não tiro a razão dela eu que errei com essa menina doce e linda. Éster pensou que fosse armação que não tínhamos nenhum recado para ela mas me pus a fala que tinha sim um recado a ela mas queria bom na verdade precisava fala com ela, que meu coração implorava por ela, ai estou ferrada, bom voltado para Éster, e foi bate na sala para pergunta para Luciano e que assim que veio fala com ela me olhou e afirmei com a cabeça que ele poderia dar o recado no meu lugar, e assim ele fez, e bom veio a segunda rodada Éster veio em minha direção e parou na  minha frente falado umas coisas que eu merecia por ter magoado ela, eu bom fiquei calada ouvido ela, depois de tudo falado ela foi embora me deixando ali parada, mas não por muito tempo que sair correndo atrás dela, e olha gente ela tem o don de fugir por que não a vir em lugar nenhum, então fui pega meu carro para ver se achava ela na rua, assim que sair da faculdade eu vejo ela parada no ponto de ônibus parei o carro em sua frente falado 
- Éster entre aqui, eu levo você!
- Não obrigada 

- esta ficando tarde, só vai ter outro ônibus daqui uma hora e você não vai consegui um taxi também.
Vir que ela ficou pensativa, e fiquei esperando que ela aceitasse 
- aceito sua carona, mas se você tenta fala qualquer coisa eu desço desse carro
Eu fiz um zipe na boca, e abri porta pra ela entra.


6 A Conversa parte ll por Heli
Notas do autor:

Sera que agora vai rola a conversa 

6 Conversa parte ll
Carla
Assim que ela entrou fiquei feliz por ela estar ali sentada do meu lado, mesmo com ela calada e olhando pra fora, mas as vezes eu dava uma olhada nela de canto de olho e pensando que quero estar com ela deste a primeira vez que a vi e pelo medo que senti, dos meus sentimentos que senti por ela comecei a trata ela mau e com ela aqui do meu lado triste me arrependo, como quero cuida dessa menina da minha menina, bom sei que ela não e minha mas como quero que ela seja e como quero ser dela. Não demorou para chegamos por que eu já sabia onde Fabíola morar então nem demorou, mas assim que vi Éster tira o sinto de segurança segurei ela de leve no braço falando
- Éster, posso fala com você por favor? Prometo que não vou demorar e não falarei nada para magoa você.
- esta bem! Mas vamos entra.
Soltei o braço da Éster, e fiquei aliviada por ela querer me ouvi que fui soltado o sinto para sair do carro, assim que sair Éster estava na frente da casa abrindo a porta, já eu travei o carro e fui em sua direção falando:
- prometo que não vou demora!
Falei com a gente entrando na casa delas, mas não fui logo falando porque Éster subiu a escadas, e fiquei ali esperando ela porque com certeza ela queria guarda as coisas dela.
Depois de três minutos ela vem descendo e falando:
- Vamos Dra que você falou que seria rápido, já que falou isso duas vezes você deve esta querendo ir ver seu namorado.
Eu notei sua voz um pouco mudada não sei se era de minha cabeça ou ela estava com ciumes de mim, bom acho que deve ser coisas da cabeça, e na hora que eu ia fala o telefone da casa toca e ela vai atende e se ouço o que ela fala
Alo
...
Estou bem e você?
....
Sexta?
...
Esta bem !
...
Tchau até!
E ela desligou o telefone e se voltou a me olhar, bom se eu tinha achando que ela estava com ciumes de mim, isso foi embora no momento que ela atendeu esse telefone, porque agora quem estava sentindo ciumes era eu.
Éster
Assim que desci  do carro dela fui logo abrir a porta, por que eu precisava de um minuto pra mim, assim que Carla se aproximou falando que não demoraria me subiu um ciúmes por pensa que a presa dela era pra ir pro braços do seu namorado, abri a porta e subir direto pro meu quarto correndo deixando ela sozinha lá em baixo, entrei em meu quarto joguei minhas coisas na cama e me sentei na cama falando pra mim mesma 
- Calma Éster, você já saiu daquele carro agora respira e deixa esse ciúmes de lado
Fiquei falando pra mim mesma, mas não me demorando desci logo para fala com ela, como ainda eu estava com um pouco de ciumes falei com a voz um pouco grave e rouca.
- Vamos Dra que você falou que seria rápido, já que falou isso duas vezes você deve esta querendo ir ver seu namorado
Falei para Carla que ficou só a me olha, e quando ela fez menção de fala o telefone toca e fui atende.
Ligação On
Es: Alo
Lu: Oi Éster? Tudo bem? Sou eu o Lucas
Era o Lucas, como eu não queria que ela soubesse com quem eu estava falando só respondi algo curto sem fala o nome dele
Es: Estou bem, e você?
Lu: estou bem, Ester liguei pra pergunta se queres sair sexta feira a noite?
E agora o que faço, pensa Éster 
Es: sexta?
Lu: sim, só uma caminhada para nos conhecemos mas a final meu irmão namora sua tia
Es: esta bem!
Eu não querendo prolonga a conversa com o Lucas, e também não sei como me livra dessa concordei em sair com ele , depois penso como me livra dessa
Lu: então combinado, sexta passo em sua casa.
Es: tchau ate!
Lucas querendo prolonga a conversa dei logo tchau e fui desligando o telefone sem ouvi o tchau dele, mas com quem eu iria gosta de sair estar bem na minha frente, olhei pra Carla e chamei ela pra se senta no sofá é, ela se sentou bem na minha frente e acenei com a cabeça para ela começa a fala. Carla fechou os olhos respirou fundo e começou
- Éster, eu sei que fui grossa com você, tanto hoje como aquele dia no hospital, então quero lhe pedir desculpas por tudo de verdade 
Carla falou pegando em minha mão, fiquei tão nervosa que acho que fiquei gelada e olhado para sua mão, senti a mão dela foi tão bom, e que mão macia ela tem, mas ao mesmo tempo eu não podia fica próxima dela, mas posso desculpa ela, mas será que ela esta falando do coração ou só esta falando por conta de minha tia ser chefe dela. Soltei minha mão da dela e me levantei pra me distancia e falei na defensiva
- Você esta falando isso por causa de minha tia?
- Claro que não Ester, estou falando de coração quero me desculpa e começa do zero com você.
- começa do zero?
Falei surpresa com suas palavras, e vejo ela se levanta e vim até mim parado bem na minha frente estendendo a mão e falando
- Vamos começa assim, eu sou Carla 
Ela falou com um sorriso nos lábios e nos olhos 
Fiquei olhando ela e vir que falava a verdade, então segurei sua mão e falei bem baixo
- Éster
- prazer em conhecer você Ester, e espero que possamos ser amigas 
Fiquei um pouco triste por pensa que eu teria alguma chance com ela, mas me enganei ela só quer minha amizade, eu ainda segurando em sua mão dei um meio sorriso a ela que na mesma hora Carla me puxou para um abraço, e nesse abraço me senti protegida por ela, e foi ai nesse abraço que admiti para mim mesma que sim eu estou amando essa mulher
E fiquei ali naquele abraço sem sabe o que fala, não sei por quanto tempo ficamos abraçadas, mas sei que Carla que interrompeu o abraço e já falando:
- preciso ir agora, e obrigada por ter me desculpado.

- De nada, guarda magoa não faz bem, então lhe desculpei de coração
Fiquei falando meio que rápido de ainda eu esta um pouco nervosa que ela não entendeu direto o que falei
- Calma Ester, fale de vaga
- falei de nada!
Falei baixo, mas mesmo assim ela ouviu por esta perto de mim, ela se aproximou mais e deu um beijo demorado no meu rosto e falou
- Até amanha Éster
Ela se virou e foi embora, e eu fiquei ali parada com a mão no rosto feita uma boba apaixonada. 
Já no dia seguinte assim que acabei de tomar café minha tia chegar e perder para mim espera lá enquanto ela tomava uma ducha rápida, assim que ela acabou de se arrumar fomos direto pra faculdade, já estando lá fui direto pra sala e a titia para a sala dos professores, assim que entrei vejo Luana já sentada me a próximo dela falando
- Bom dia Luana
- Bom dia
Ela falou bocejando
- Cadê a Renata? E o Lucas? Queria fala com ele
- Renata deve esta na cantina, essa até parece que abre a Faculdade de tão cedo que chega, já o Lucas não sei 
Respirei fundo e fui me senta pensando preciso fala com o Lucas e agora.? Mas enfim não demorou muito para a sala enche e chega o primeiro professor, e depois veio outro e depois o almoço e fui saindo com as meninas comentado.
- Será porque o Lucas não veio!
- Calma amiga ainda teremos mas duas aulas, ele ainda pode chega 
Falou Luana
- O que você quer com ele?
Me perguntou Renata
- Bom e que ele me convidou pra sair com ele na sexta feira
Falei 
E na hora que Luana ia fala algo ouvimos a voz de minha tia e paramos 
- Ester?
- oi tia
- você pode almoça comigo? Quero conversa com você
- Claro tia
Seguimos para cantina juntas, mas chegando lá sentamos e mesas separadas das minhas amigas e perguntei 
- O que você gostaria de conversa tia
- vejo que já fez amigas, e acho muito bom Éster
- sim, elas são gente boa
- e o Lucas?
- O que tem ele tia?
- Carlos me falou que ele convidou você para sair
Na hora que eu ia responder ouço uma voz que já tinha ouvido antes 
Carla
Assim que sair da casa de Éster sair muito feliz, que pelo menos poderia ter ela por perto, mas confesso na hora que beijei o rosto dela eu cause fui beija aquela boca chamativa, mas assim eu poderia perder sua amizade perante ao beijo, então tirei logo essa possibilidade da cabeça. Assim que cheguei em casa vejo Luciano parado na porta me esperando
- O que houve com você Carla
- nada querido
Falei abrindo a porta assim que entramos nos sentamos no sofá e começamos a nos beija, mas não era aquele beijo que eu queria e comecei a fica desconfortável com aquilo e quebrei o beijo
- O que esta acontecendo com você Carla, toda vez que lhe procuro você me recusa 
- esse e o problema Luciano, você só me procura quando quer prazer, não sou um objeto que você pega quando quer
- você colocar a culpa so em mim Carla, se eu não for procura, você não me procura nem em minha casa você vai mais, só trabalha parece que só nisso que pensas
- e meu trabalho, você como medico também deve entende que nossa rotina e diferente e que qualquer hora podem nos chama mesmo que não estejamos em Platão e quer sabe Luciano não quero discutir agora, amanha tenho que da aula e vou ter Platão também e quero estar bem descansada, então faz o favor
Fui até a porta e abrir fazendo sinal para ele sair e assim ele fez, assim que ele se foi, fiz minha higiene e fui dormir com Éster na cabeça. E no dia seguinte quando fui chegando na faculdade não vir Éster pelo corredor como os outros alunos, e seguir para a sala dos professores, e vir Fabíola sentada tomando café, que me fez fazer um pequeno sorriso ao lembra de Éster. Durante as aulas não vi Éster, mas na hora do almoço assim que entrei na cantina vi ela sentada com Fabíola e fui direto pro balcão pega meu almoço e quem eu vejo por lá pegando almoço
- Bruna o que faz aqui?
- Vir almoça com minha amiga mais querida do mundo
- que eu saiba aqui na faculdade a única amiga sua que conheço sou eu, mas agora se sou a mais querida 
Falei começando  a rir de Bruna
- sim você e minha amiga querida, mas também não foi só isso que vim fazer aqui, vim fala com uma pessoa ai
- hum sei, 
Falei pegando meu almoço e procurando um lugar pra senta já que a cantina já estava cheio, e Bruna também olhava para todos os lados ate que ela viu que na mesa de Éster com Fabíola tinha duas cadeiras sobrando foi logo falando
- Vamos senta com a Éster e a chefa
Antes que eu pudesse fala algo Bruna já estava na metade do caminho e andei rápido para fala com ela mas assim que alcancei Bruna já estava falando
- podemos senta aqui ?Éster olhou para ela e depois para mim e deu um pequeno sorriso que encheu meu coração
- podem sim, não e Éster
- Sim 
Ela falou, e nos sentamos e por alguns momentos ficou em silencio até Fabíola fala com Éster
- Querida você não respondeu minha pergunta
Olhei para Éster e vir ela desvia seu olhar de mim e olhar para as amigas, e depois fala com sua tia
- Tia depois falo isso com a senhora, gostaria de ir me senta com minhas amigas, não quero que as pessoas pensem que estou querendo ser puxa saco de professores por estar aqui almoçado com duas professoras, então vou comer lá com elas esta bem?
- Claro querida, mas você não deve liga para o que os outros dizem
- Eu sei tia eu não ligo, mas prefiro fica com minhas amigas.
E assim Éster foi se sentá com suas amigas e ficamos ali com Fabiola, e me lembrei do que ela tinha perguntado a ela e não contento minha curiosidade fiz uma pergunta a Fabiola
- Esta acontecendo algo com Éster? Fabiola
- bom não sei ainda
Ela me respondeu e continuei a pergunta
- como assim ela esta com algum problema?
- não! Mas eu soube por Carlos que o irmão dele convidou Éster para sair 
Ao ouvi isso senti uma pontada de ciúmes, mas também me fez cair em mim que eu nunca teria alguma chance com minha menina, ai preciso tirar ela de minha cabeça já

7 Amizade? por Heli
Notas do autor:

Sera que ficara só na amizade mesmo

7 Amizade?
Éster
Assim que fui me senta com as meninas Luana ficou me encarado me deixando sem graça e falei com ela.
- Por que esta me encarado tanto Luana?
- Quero fala com você uma coisinha em partícula!
- Mais o meu almoço?
- Depois comemos algo, vem!
E Luana saiu me puxado para a sala de aula, já que ainda não tinha nenhum alunos por todos estarem almoçando.
- O que houve Luana? Fiz algo a  você?
Comecei a fala.
- Éster, você estar tendo algo com Bruna?
Na hora que ela me perguntou arregalei meus olhos de espanto, e minha barriga se revirou ao pensa se ela soubesse do meu sentimento por Carla, mas perguntei a ela sobre Bruna.
- Serio Luana? Claro que não! De onde você tirou isso?
- Éster não sei se você  e assim mesmo ou não presta atenção nas coisas, por Bruna ter indo senta na sua mesa ela só pode estar querendo algo com você!
Luana falou fazendo cara feia.
- Claro que não Luana, se você não percebeu ela não foi sozinha a Carla estava com ela, e ainda mas vejo Bruna como amiga e tenho certeza que e assim que ela me ver também.
Respondi seria para Luana, porque percebi que ela estava sentindo ciúme de Bruna, e ela começou a fica triste e decide pergunta o obvio 
- você gosta dela?
Luana ficou calada por um tempo ate que respondeu:
- Sim gosto, no ano passado ela deu encima de mim, mas eu não sabia dos meus sentimentos por ela e não dei bola e quando ela parou de me procura que percebi que começava a gosta dela.
- Nossa amiga, vai atrás dela não custa tenta ver se ela ainda gosta de você, ela não vinha atrás de você? Então agora vá atrás dela também
Falei como se eu fizesse o mesmo, só que não posso já que Carla me ver como amiga e também tem namorado.
- Ai amiga você tem razão, vou fazer isso!
Luana me deu um abraço e retribui o abraço, e quando estávamos nos abraçando quem entra na sala.
Carla
Depois de Fabíola ter me contando do encontro de Éster, fiquei pensando em Luciano, na nossa discussão da noite passada e decide que ligaria pra ele depois me desculpado para podemos sair sexta feira.
Mas ao mesmo tempo que eu pensava eu olhava na direção que Éster estava sentada com suas amigas e a vi sair com uma de suas amigas e respirei fundo para termina de almoça, e assim que acabei me despedi de Bruna e fui com Fabíola para a sala dos professores pega minhas coisas, que eu iria logo para a sala de aula queria fica um pouco só, enquanto os alunos não iam para a sala e assim fiz, assim que abro a porta da sala vejo Éster abraçada em sua amiga e comecei a torci pra elas verem que eu estava ali e fiquei parada a olhando, ate que elas se soltaram e a amiga de Éster falou:
- Ho Dra, desculpa já está na hora de sua aula?
- Não!
Respondi seco 
- Tão com licença!
Ela pegou suas coisas e virou para Éster que ainda estava parada no mesmo lugar me olhando.
- Você vêm?
- não pode ir.
Éster respondeu, e a menina saiu deixando apenas eu e Éster ali, fui para minha mesa calada e já Éster se sentou em seu lugar, eu não contendo minha curiosidade e vontade de fala com ela me pronuncie para quebra o silêncio
- O que vocês estavam fazendo aqui?
- nada Dra Carla, apenas conversado
- Pode me chama só de Carla , Éster
- aqui na Faculdade prefiro chama você assim!
- Esta bem!
Respondi mas já falando:
- Vir que você não almoço, saiu da cantina sem comer nada já que quando você saiu da nossa mesa seu prato ainda estava com tudo, você tem que se alimenta, fica sem comer por bobagem só lhe fara mal.
Ela ficou um pouco calada e respondeu:
- Não era bobagem Dra, era importante já que você não sabe o que a gente estava falando, vou releva essa já que não quero briga com você.
Ela falou um pouco seria, e já me fazendo um sorriso todo bobo falando
- Você disse ontem, que queria ser minha amiga certo?
- Sim!
Respondi
- Então por que  você não vem janta lá na casa de titia com a gente na sexta feira?
Na hora que eu ia responde, começou entra os alunos na sala.
Éster
Depois que Luana saiu da sala fiquei pensando no que eu tinha falado a ela de ir atrás de Bruna, e pensei que eu poderia tenta também, já que deste que cheguei no Maine nunca vir nada intimo entre ela e o Dr Luciano, não custaria nada tenta já que depois da pergunta de Luana sobre Bruna comecei a admite para mim mesma que estava apaixonada por Carla, e fala nela parece que ela decidiu quebra o silêncio e o meus pensamentos, na hora que ela falou de eu não ter almoçado achei fofo a preocupação dela, mas também achei um pouco Irônica a fala dela e não podia deixa ela fala daquele jeito como se minhas amizades fosse algo bobo e falei seria com ela, mas depois de colocar um ponto final nisso. Mas sorri pra ela em sinal de paz demostrando que ela ainda pode fala as coisas mas do jeito menos arrogante. 
Mas enfim convidei ela pra janta em casa na sexta, assim eu não sairia com Lucas e ele podia ir também com irmão dele e, eu não ficaria sozinha com ele. Na hora que Carla ia me responde começou entra alunos na sala e fiquei a aula toda a espera da resposta ate que acabou a aula e ela saiu sem fala nada já que minha tia estava na porta completamente entrando.
- Boa tarde Turma 
Minha tia foi entrando falando 
E fui ate sua mesa fala com ela bem baixinho
- tia posso ir no banheiro rapidinho?
- sim pode e vai rapido.
Sair correndo da sala atrás de Carla ate que vir ela cause na sala dos professores e já ofegante falei:
- A resposta? Dr Carla
- Não dará pra mim ir Éster, me desculpe.Ela falou seria, mas também percebi que seu tom estava de triste
- Esta bem!
Falei triste e demonstrando minha decepção a ela me virei e fui embora correndo de volta a sala.

8 Doente por Heli

8 Doente
Carla
Assim que minha aula acabou fui andado pra sala dos professores deixa minhas coisas e mandado uma mensagem pro Luciano, eu tinha que esquecer Éster, não posso aceita ir janta na casa dela vendo ela com outro, mas ser for pra ela se feliz com o irmão de Carlos vou respeita, quando eu estava cause perto da sala ouço a voz de Éster ofegante atrás de mim e olhei surpresa
- A resposta Dr Carla
Ela falou.
Já eu bom, não podia aceita o convite tenho que me acerta com Luciano, e respondi a ela triste mas seria pra não demostra.
- Não dará pra mim ir Éster, me desculpe?
- Esta bem!
Éster falou triste e decepcionada comigo, vir  em sua expleção e no seu olhar a tristeza, e eu não podia fazer nada só fiquei ali olhando ela ir embora correndo, e entrei na sala para arrumar minhas coisas, enquanto eu arrumava olhei pela janela vir começa a chove e comecei arruma com presa, assim que acabei peguei meu célula da mesa e vir duas chamadas de Bruna para mim e decidi retornar a ligação.
Ligação on
Bru: Ate que enfim Carla 
Car: O que foi ? Bruna
Bru: Onde você esta mulher?
Car: Na faculdade por que?
Bru: Você estar na Faculdade, e não sabe o que aconteceu com Éster?
Quando ouvi Bruna fala que tinha acontecido algo com Éster, fiquei pálida só por pensa que algo de ruim posso ter acontecido com ela.Car: Não Bruna, ta chovendo muito aqui o que houve?
Falei preocupada
Bru: amiga, só liguei por que sei do seus sentimentos por essa menina, já percebi, então não podia deixa de lhe avisa.
Bruna parecia que estava me enrolando, que eu já estava com o coração na mão e com um fio de voz interrompi 
Car: Bruna deixa isso para depois, e me fala logo por favor o que houve ?
Bru: Não dar para fala tudo por telefone, mas a Fabíola levou ela para o hospital, por que ela desmaio quando estava no caminho da sala de aula.
Só pensei na resposta que eu tinha dado a Éster, que desliguei o telefone sem fala nada, e sair as pressas da sala e fui correndo para o meu carro na chuva mesmo, só queria ver Éster sabe dela, agora não me importava com mas nada só com minha menina
Éster
Depois de ouvi a resposta de Carla, no mesmo modo que cheguei correndo sair dali do mesmo jeito não acreditando como fui boba de pensa que ela poderia aceita ou que realmente ela queria pelo menos ser minha amiga, como pude se boba de ir atrás dela, como eu já estava cause sem fôlego, e estava cause perto da sala de aula parei um pouco para respira, e comecei a senti uma tontura por falta de alimento eu acho, mas só me lembro que minha visão estava escurecendo e cair ali mesmo no meio do pátio que ia para a sala de aula, e dai só me lembro de acorda no hospital com minha tia no quarto me olhando preocupada e ainda um pouco fraca 
perguntei:
- O que houve tia?
- Você desmaiou Querida, e acabou machucando seu braço, e olha só para você ainda esta pálida, por que você desmaio do nada? Éster
Quando minha tia falou, que percebi que estava com uma parte de minha mão em fachada e voltei a olhar minha tia falando:
- Me desculpe tia? acabei não almoçando e acho que por isso desmaie.
- Éster, reparei mesmo que você não tinha nem mexido direito na sua comida hoje cedo, sorte que Luana e Bruna viram você se não podia ter sido pior, ainda mas que começou a chover.
- Me desculpe!
Falei triste, minha tia tinha razão  eu teria que ter almoçado, se eu tivesse comido isso não teria acontecido. 
- Esta bem Querida, o importante e que você está bem!
Titia falou, e ouvimos baterem na porta era o doutor Carlos
- Vejo que a bela adormecida acordou.
Ele falou 
- Sim
Falei sorrindo e com vergonha por esta ali 
- Bom Éster, só foi sua pressão que abaixou muito e você torceu a mão, mas mesmo assim fizemos exames gerais e acabou de sair e você está bem, então vou liberar você, e concelho que fique de repouso pelo menos um dia 
- Esta bem, doutor Carlos
- assim que acaba o soro você poderá ir, mas só o soro não vai lhe sustenta então coma algo leve hoje, e depois vá deita OK?
- sim
Olhei para o soro e não faltava muito para acaba, e mesmo eu tomando aquilo minha barriga começou a ronca, mas assim que acabou minha tia me levou embora pra casa, E assim que chegamos ela mandou eu ir para o meu quarto, e não demorou muito minha tia me trouxe uma sopa que tomei tudo, fiquei sentada na cama pensando em Carla, que eu precisava esquecer ela de alguma forma.No dia seguinte eu estava melhor, acordei um pouco tarde já era umas dez da manhã, desci para comer algo e vi um bilhete de minha tia falando que teria Platão hoje, peguei algo para comer e fiquei sentada no sofá pensando que eu teria que dar um jeito de não sair amanhã com Lucas
Carla
Quando sair da faculdade fui para o hospital pensando em Éster de vê ela, mas como chovia estava um trânsito terrível que cause não chego no hospital. Mas assim que entrei fui atrás de Fabiola para sabe o que tinha acontecido com Éster e no corredor vejo Carlos e vou até ele pergunta
- Carlos, o que houve com Éster?
Não quis enrola fui logo perguntando.
- ela desmaio, e acabou machucando o pulso da mão dela, não foi nada grave 
- Posso fala um pouco com ela? Antes de começa meu Platão
- Fabíola já levou ela, não faz muito tempo Carla
Respirei fundo 
- Hum, depois ligo para Fabíola 
Agradeci Carlos e fui para a sala dos médicos me trocar, pensando que eu poderia ligar para Fabíola pergunta de Éster, mas eu não saberia o que fala, então amanhã quando Fabíola chegar pergunto pessoalmente. Esse Platão foi o mais difícil que já tive, não por ter muito movimento, mas sim por querer sabe de Éster, então foi a madrugada mas torturante de minha vida queria ver ela, precisava dela, respirei fundo admitindo para mim mesma que estava amando essa menina, que eu tinha que resolver minha vida com Luciano se eu realmente a queria, e assim se seguiu minha noite.
Assim que amanheceu dei graças ao céu que Fabíola chegaria logo, e realmente chegou bem cedo como sempre e fui fala com ela
- Bom dia Fabíola
- Bom dia Carla
- Eu soube de Éster, como ela está?
- Ela esta melhor, mas hoje ela ficara em casa de repouso, mas estou aqui preocupada
- por que ?
Perguntei rápido demais, já me preocupado
- ela machucou o pulso, então não sei como ela vai fazer pra almoça, não tem como eu sair daqui para fazer almoço para ela.
Me deu um alivio, pensei que fosse algo grave, não que deixa ela com fome não seja preocupante, realmente é.Mas eu tive uma ideia que assim eu poderia vê lá
- Bom Fabíola, eu tenho o almoço vago hoje posso leva um almoço para Éster, e caso tenha algo grave por aqui que precise de mim e só me liga
- Você faria isso Carla?
- Sim
Dei um grande sorriso para Fabiola, e ficou combinado de eu ir leva almoço para Éster.

9 Luana e Bruna por Heli
Notas do autor:

Especial Luana e Bruna 

              9 Luana e Bruna
LuanaAssim que deixei Éster na sala sozinha fui correndo para o estacionamento atrás de Bruna, porquê com certeza era lá que encontraria ela, já que a Dr Carla já estava em sala, e realmente eu estava certa Bruna já estava abrindo a porta de seu carro e gritei para ela me ouvi e me vê
- BRUNAAAAA
Ela olhou em minha direção com um lindo sorriso, e fui andando em sua direção, assim que cheguei perto dela 
falei
- Preciso fala com você, Bruna
- sobre o que seria 
Serio que ela nem imagina o que seja, a primeira vez que venho atrás dela è, ela nem imagina o que seja fiquei olhando ela pensando isso, respirei fundo e falei
- E sobre nós
Ela sorriu tão linda quando falei que já queria beija aquela boca
- vamos nos senta aqui no carro
Ela falou
Entramos no carro e comecei a fala
- Bom Bruna, estou aqui para fala, que eu também gosto de você!
- Você gosta de mim?
Ela falou meio que não a creditando em mim
- sim
- pois como você quer, que eu acredite se todas as vezes que eu ia atrás de você, eu ouvia o contrario Luana
Bom isso e verdade, mas vou prova a ela que realmente eu a quero
- Mas e verdade! Bruna e vou prova
- como?
- assim!
Fui para cima de Bruna a puxando para um beijo
E foi o beijo mais carinhoso que consegui dar, e bom não beijei sozinha Bruna começou a com responde meus beijo, e ela beija tão bem que eu não queria para, mas estava faltando ar
Bruna
Assim que me despedi de Carla, ainda andei um pouco pela faculdade para ver se via Luana, como não via ela em lugar algum, fui para o estacionamento pega meu carro, assim que estou abrindo a porta escultor a voz de Luana chamando meu nome, ela disse que queria fala comigo e fiquei feliz em sabe que pelo menos isso ela quer já que a única coisa que Luana fazia era fugir de mim, e bom ficamos conversando no carro e vocês não acreditam no que ela falou, que ela gosta de mim, mas desconfiei, como vou acredita já que ela só me dava patada, mas depois que ela fez comecei acredita, porque acreditei. Hora porque Luana me deu um beijo, nunca no meus sonhos ela me daria, mas agora esse sonho estava se tornando realidade, assim que ela quebrou o beijo falei 
- Te amo
- eu amo mais 
Ela falou 
E não me aguentei voltei a beija lá até falta nosso fôlego, e assim que paramos ficamos ali no carro abraçadas, conversando por mim eu não soltaria ela nunca mais.
Mas eu tinha umas coisas a fazer e ela tinha que volta para a ultima aula mas antes falei
- Luana, amei isso tudo e lhe pergunto, VOCÊ QUER NAMORA COMIGO?
- SIIIIIIMMM
Ela deu um grito bem alto que me deixou toda boba de ouvi o sim, dei um selinho em Luana e fui acompanhado ela até na sala de aula.

10 Sexta Feira por Heli
Notas do autor:

Nesse capitulo coloquei uma música que eu acho que combinou com esse capitulo;-) 

                                                                     10 Sexta Feira                                                                                                                       Me perco no seu olhar
                                                              E te peço pra ficar
                                                              Sei que nada vai mudar
                                                               Se não por dentro
                                                               Eu nunca pude acreditar
                                                               Na força de um momento
                                                                Eu já não posso te evitar
                                                               Sou teu, mas não vou mais esperar
                                                               Eu sei, sou mais do que posso ver
                                                               Dessa dor dentro de mim
Carla
Depois de fala com Fabíola voltei ao trabalho com a esperança de vê lá logo, mas antes mandei uma mensagem para Luciano marcando de saiamos amanhã para conversa mós, não podíamos mais ficar juntos depois de admite para mim que amo essa menina.
O dia passou rápido fui para a sala dos médicos deixa umas coisas para ir leva o almoço de Éster. Depois que fiz tudo fui compra algo para mim e ela, e fui para casa de Fabíola chegando lá toco a campainha, assim que Éster abre vejo que minha  menina ficou surpresa, mas ao mesmo tempo vir sua expressão mudar um pouco.
- Oi?
Ela falou 
- Oi Éster, sua tia mandou comida para você.
- Obrigada.
Achei Éster um pouco distante, acho que ela ainda estava chateada comigo.
- Você está distante.
Falei a ela 
- Só o cansaço.
- posso entra?
- pode!
Éster falou, fazendo referência com seu braço direito, e pude ver seu braço machucado, e assim que me sentei perguntei a ela 
- O que houve com você Éster?
Ela ainda em pé falou:
- Não podemos ser amigas! Carla.
- você está falando isso porque não quis vim aqui amanha janta com vocês?
- Não, só não posso fica perto de você.
Pude ver uma lagrima caindo dos olhos de Éster, é ali vir que era algo a mas, e falei:
- Éster eu...
Ela me interromper falando:
- Carla, me deixa sozinha por favor? Saia daqui.
Sua voz estava embargada de choro
Me levantei e fui indo na direção da porta, abri e me virei para ela falando:
- Eu não vou desistir de você!
E fui embora
********************
Éster
Depois que tomei café, fui estudar um pouco para passa o tempo, mas parece que eu não conseguiria estudar direito porque tocaram a campainha e fui atender, e quem era? Bom era o Lucas
- Olha quem aparece!
Ele me deu um sorriso, e falou:
- estava resolvendo umas coisas, e meu irmão me falou o que aconteceu, como você está?
Mandei ele entra e falei já nos sentando no sofá
- só foi uma queda de pressão, e acabei machucando a mão
- nossa Éster, cuidado viu.
- eu sei, obrigada por se preocupa.
E fiquei um pouco triste em pensa na Carla
- Lucas você sabe me fala, como e o relacionamento do doutor Luciano com a doutora Carla?
Não sei que me deu para pergunta isso a Lucas, mas como o irmão dele trabalha com os dois, quem sabe ele não sabe algo, já que o irmão dele conta tudo a ele.
- Bom não sei muito, mas meu irmão falou que o doutor Luciano que perdi ela em casamento.
Bom eu não sabia o que fala, mas só de pensa Carla casada com ele, fez meu coração se aperta, eu não podia fica nutrindo esse amor por ela, tinha que me afasta para esquece lá, preciso tira ela de mim, tentei não demostra minha tristeza mudando de assunto
- E já esta tudo certo para amanha Lucas?
Lucas ficou falando para onde íamos jantar, mas eu precisava fica sozinha agora
- Lucas, gostaria de me deitar um pouco, seu irmão mandou eu fica de repouso, assim poderei fica disposta para amanha
- Esta bem! Éster 
Ele se levantou e fui com ele até a porta, ele beijou meu rosto e foi embora, não demorou muito e ouço de novo o som da campainha, eu vou logo abrindo a porta pensando que fosse Lucas esquecendo de alguma coisa, mas era Carla, fiquei surpresa, feliz, triste uma mistura de sentimentos. Mas ao pensa ela casada com Luciano, nossa conversa foi nada boa, na verdade eu não quis que fosse, por que precisava me afasta dela, mas antes de ela ir ela falou que não desistiria de mim, e ela se foi e comecei a chorar por ama tanto ela, e não consegui luta por esse amor.Chorei tanto que não vir a hora passa, quando olhei para o relógio, já estava tarde olhei para a mesinha de centro e vir a comida que ela tinha trazido, comi um pouco, e fui para meu quarto me joguei na cama e voltei a chora ate dormir, e acredite só me acordei outro dia, desci para ir tomar café e vir minha tia preparando café
- Bom dia, tia
- Bom dia, querida! Como você está?
- melhor tia, mas gostaria de fica em casa hoje posso? Assim posso sair de noite com Lucas
- pode fica sim querida, assim saiamos para compra umas coisas, mas me diz minha filha, e isso mesmo que você quer?
- isso o que tia?
- sair com Lucas?
- sim tia
- você não me aparece animada para sair.
- impressão sua tia
- esta bem, então!
E assim minha tia serviu nosso café, e depois saímos para o shopping, ficamos cause o dia todo na rua, voltamos só a noite, fui para o meu quarto, deixa umas coisa e fui tomar banho, assim que sair do banheiro, sequei meu cabelo e comecei a me arrumar, coloquei um vestido florido acima dos joelho, passei uma sombra leve e um delineado e rímel, e passei um batom rosa claro, eu queria fica o mais natural possível, e fiquei a espera o Lucas, que na verdade foi ate pontual e fomos de Taxi, em um lugar lindo, todo de vidro que dava para ver ao seu redor a paisagem do campo, assim que entramos quem eu vejo que me deixa paralisada olhando em sua direção.

**************
Carla
Depois de minha conversa com Éster, eu tinha cause certeza que ela também estar sentindo o mesmo que eu, mas para mim lutar pelo amor dela preciso termina meu relacionamento com Luciano.
Voltei para o hospital pensando nisso, já no hospital tentei não me esbarra com Fabíola, não queria conta o que aconteceu em sua casa, e agradeci aos céus que meu Platão estava corrido, que assim que amanheceu fui para casa descansa para me encontra com Luciano, assim que cheguei em casa fiz minha higiene matinal e fui dormir ate a noite.
Assim que acordei fui comer algo, para depois tomar um banho, assim que comi tomei um banho, sequei meu cabelo e peguei uma blusa social branca com uma saia de cintura alta preta e uma bota de salto alto de cano curto, deixei meus cabelo solto, fiz uma maquilagem leve e fui no endereço que Luciano tinha me enviado, assim que cheguei ele já me esperava na entrada.
- Oi querida, você está linda!
- Obrigada Luciano 
Dei um sorriso a ele, e entramos no restaurante.
Nos sentamos bem na entrada eu de frente para entrada e ele de frente para mim e iniciei a conversa
- Precisarmos conversa, Luciano
- Estamos aqui para isso querida
Respirei fundo e falei:
- Luciano deste que nos conhecermos que....
Parei de fala quando vir Éster, na entrada do restaurante linda, mais linda do que ela já e, fiquei babando por Éster.
- O que foi Carla?
Luciano me tirou do transe que eu estava, olhei para ele falando:
- Nada!
E voltei a olhar para a entrada e vir Éster correr dali deixando o irmão de Carlos parado sem sabe o que fazer, me levantei ao mesmo tempo e fui em sua direção.
- ei menino o que houve?
Lucas me olhou e me reconheceu 
- não sei, vou Atras...
Interrompi ele falando:
- deixa que eu falo com ela!
Não esperei a resposta dele e sair as pressas do restaurante, e fui ate uns rapazes perguntado se eles tinha visto ela, dei a descrição e me mostraram por onde ela tinha indo, e fui as pressas e assim que cheguei a um certo ponto vir Éster parada perto de uma árvore olhando pro lago, e fui me aproximando dela, ate chegar bem perto, eu não queria que ela fugisse de mim, por que era isso que ela estava fazendo.
- Éster?
Éster que estava com a cabeça baixa, olhou para mim fazendo nossos olhos se encontrarem, e pude ver que ela chorava.
- Melhor você ir embora.
Éster falou
- eu sei que você não quer isso, eu sei que você gosta de mim como gosto de você.
- melhor você volta pro seu noivo
- que noivo?
- hora que noivo? Estou falando do seu namorado, eu soube que ele ia pedi hoje sua mão
Eu não sei de onde Éster tinha tirado isso, mas preciso resolve 
- Éster, eu não amo o Luciano!
- para de menti, se você não o amasse você não estaria aqui com ele, agora vá embora
Me aproximei mas de Éster 
- Eu te amo menina, e sei que sente o mesmo
Falei com lagrimas nos olhos por finalmente tirar aquilo de mim.
E ela chorando me abraçou falando:
- eu te amo tanto, mas tenho medo
Tirei ela dos meus braços e falei olhando em seus olhos
- você não precisa fica com medo, eu quero você, e estou aqui por que e com você que quero está!
Falei limpando suas lagrimas, ela me deu aquele sorriso que ilumina meu dia, e minha noite, que me faz esquece tudo.
                                                                            Vou seguir meu coração
                                                                             Vou mergulhar no seu olhar
                                                                      E viver cada segundo desse amor proibido                                                                               Pecado e não viver essa paixão                                                                              Musica: Amor proibido(Malta)












Notas finais:

Espero que vocês gostem :-) 

11 Especial Lucas por Heli
Notas do autor:

Nem tudo são flores..

11 especial Lucas
Lucas
Assim, que eu e Éster, entramos no restaurante vir ela olha na direção e que Carla estava, e em seguida sair correndo dali, ai eu percebi tudo, a pergunta de ontem, e sair correndo do nada por vê a doutora Carla. Éster está gostando dessa mulher, não pude acredita nisso, mas eu não vou deixa que Éster fique com essa mulher.Em tudo que pensei foi tão rápido que quando dei por mim, Carla estava em minha frente perguntando de Éster, e mal ela deixou eu fala e foi atrás de Éster, isso me deixou com uma fúria, que eu não deixaria por assim, elas não ficaram nunca juntas, olhei para a mesa que Éster tinha olhado e vi Luciano, ainda sentado, sem entende nada e fui fala com ele.
- posso me senta? Luciano ficou me olhando sem fala nada, mas assim que me sentei ele se pronunciou
- Não lembro, em fala para você se senta!
- Você não falou nada, me sentei
- O que você quer garoto
- conversa, já que sua namoradinha saiu correndo atrás da minha
- e deste quando Éster, e sua namorada?
- ainda não é, mas vai ser
- Era isso que você queria fala, então já pode ir embora garoto!
- não, não era isso que eu quero fala, mas sim avisa
- avisa o que ?
Luciano falou me olhando serio, sem demostra nada 
- avisa, que você segure sua namoradinha, para ela parar de correr atrás de Éster, ver se você segura essa mulherzinha, se não acabo com ela.
- Quem você pensa que é, para fala assim de Carla, você não a conhecer então melhor você calar essa sua boca antes que eu, te quebre todo garoto arrogante, sei muito bem como você é, coitado do Carlos, por ter um irmão como você.
Nada do que Luciano falou me atingia, fiquei apenas olhando ele, com cara de deboche, e assim que ele parou de fala, fui deixa minha última deixar
- então e assim, então deixe avisado para sua namoradinha, ou amiga sei lá o que ela seja para você, que ela se afaste de Éster!
Me levantei da cadeira empurrando, eu não estava nem ai para aquele que estavam nos olhando, eu sair dali e fui para casa, pensa em algo para afasta Éster de Carla.




12 Sentimentos por Heli
Notas do autor:

Bom, nesse capitulo Éster e Carla fazem amor, bom e a primeira vez que escrevo uma cena assim, espero que gostem

12 Sentimentos

Carla
Depois de me declara para Éster, levei ela comigo para casa, assim que chegamos minha menina ficou olhando minha casa com um sorriso lindo, como amo vê ela sorrido desse jeito, e fiquei a admira sua beleza
- amor, você esta me deixando sem graça me olhando desse jeito.
Éster  falou me olhando com a mão na cintura.
Me aproximei de minha menina, e a puxei pela cintura lhe dando um beijo até nos falta o ar.
- Eu olho você por que eu te amo, e você e só minha que nem acredito que você estar aqui comigo!
- Eu estou aqui sim, meu amor
Éster pegou em minha mão, e passou em seu rosto, enquanto eu fechava meus olhos para senti lá melhor, e pude senti, seu coração acelerado, sua respiração descompensada, bem perto do meu ouvido falando 
- Estou com fome!
Éster se afastou de mim, e abri meus olhos, rindo de minha menina.
- Você não existe sabia.
Falei rindo dela, que estava com uma cara de sapeca mordendo os lábios, peguei em sua mão e levei ela até a cozinha.
Éster
Depois da nossa declaração, Carla me levou em sua casa, assim que entramos pode repara o quanto ela e organizada, e como ela tem bom gosto por sua decoração ser linda, e ficamos um pouco namorando na sala, até eu senti fome, e falei para ela, que riu de mim, mas eu não estava só com fome de comida, também estou com fome dela, depois dos nossos beijos caliente, estou sentindo minha valsinha molhada de tesão, e ainda mas com essa roupa que Carla esta usando, lhe deixando sexy, e fiquei sentada na bancada de sua cozinha, a admira sua beleza.
Carla percebendo que eu a olhava muito veio em minha direção me dando um selinho e falando em meu ouvido, com uma voz sexy que me fez derreter toda.
- Se continua me olhando desse jeito não respondo por mim.
E se afastou me deixando sem fala de boca aberta, tentei controlar minha respiração para fala 
- O que esta cozinhando Moh?
- minha especialidade, massa 
E ela riu , me fazendo rir também
- adoro massa!
- Que bom, meu anjo! Porque e a única coisa que sei fazer.
E começamos a rir
- hum.. Acho que já estar pronto.
Carla falou
- Que bom, estava com fome.
Falei sorrido, e comemos ali mesmo na bancada
- Amei, estava uma delícia, obrigada moh
Lhe dei um selinho
- De nada meu amor, por você posso até aprender a cozinha
- bom, eu posso te ensina Professora Carla
Falei fazendo uma voz sexy, e mordendo meus lábios olhando para ela
- humm.. Vou adora que me ensine
Carla falou passando a mão, em minha coxa entre o vestido que eu usava, e ela foi subindo a mão e se aproximava de meu rosto me dando um beijo, que me deixou mais molhada ainda, com a minha parte de baixa pegando fogo de tesão. Quando nos faltou ar, falei com a voz rouca 
- Quero fazer amor com você
Falei toda molhe 
- Você tem certeza ?
- você e tudo que eu mais quero !
Falei para Carla, que pegou em minha mão, nos levando para o quarto, onde tinha uma cama enorme.Carla se sentou na beirada da cama, me fazendo senta em seu colo, onde fui beijando seu pescoço, indo em direção de sua boca, enquanto nos beijava, fui tirando sua blusa deixando a mostra a parte de cima da lingerie, e colocando minha mão em seu seio apertando e beijando ela, e tirei deixando a mostra seus seios fartos, que me deixou louca, que parei de beija la, para mama naquele seio lindos, Carla gemia alto jogando a cabeça para trás, quando deixei aquele seios para beija lá, Carla me levanta me deixando de pé, e me vira de costas, e vai descendo o zip do meu vestindo, deixando cair nos meus pés, me deixando apenas de lingerie.
CarlaDepois de jantamos, Ester ficou me provocando, mas fiquei me controlando para não agarrar lá ali mesmo na minha cozinha, mais assim que minha menina falou que me queria, levei ela para o meu quarto, queria que esse momento fosse especial para mim e para ela. 
No meu quarto Éster um pouco tímida ficou me explorado, reconhecendo meu corpo me tocando me beijando, e quando ela tirou minha blusa e minha lingerie, chupando meus seios, ai pude ver que de menina Éster tinha só a cara, e me mostrou como ela pode ser os dois, já não aguentando assim que ela parou o beijo pus Éster de pé em minha frente, e virei ela de costas para tirar aquele vestido, e assim que caiu em seus pés fiquei admirar lá, e fiz um sorriso safado por ela ser só minha, puxei Éster contra mim e fiquei a beija lá, nos guiando até deita ela na cama, Éster tirou minha saia ficando assim nos duas de lingerie, no meio dos beijos, tirei a parte de cima de sua lingerie, e passei minha língua por seu mamilo rosado, fazendo assim Ester arquear a cabeça para trás gemendo, e fui beijando e chupando seu pescoço, indo descendo para seu outro mamilo colocando aquele Leitinho que dava certinho na minha boca, e chupei com força.
Éster gemia de prazer, puxando meu cabelo, ai como e bom ouvi seus gemidos que só me deixava ainda mais louca, enquanto mamava nela, fui descendo minha mão, colocando por dentro de calcinha e como ela estava molhada, apartei sua intimidade com força, e voltei a beija lá, para tirar a parte de baixo da lingerie, e jogando ele para longe, e voltei a olha minha menina que estava em seu olhar com um desejo enorme.
 - Me faça sua!
Éster falou com a voz rouca 
- você já e minha 
Falei colocando minha boca, na sua bucetinha, chupando puxando para mim, senti lá entregue a mim, me deixa ainda mais molhada, e seus gemidos de prazer são como músicas para mim, suguei ponto mais sensível de Éster fazendo ela goza na minha boca, e fiquei ali tomando daquele leite, e quando ela parou de se abater, subir para beija la , com minha mão na sua bucetinha massageando seu grelinho, e com a voz embargada, Éster me pediu 
- Me coma meu amor
- o que você quer?
- Quero você!
- acho que não ouvi minha pequena
- quero esse dedo gostoso dentro de mim.
Não precisou ela pedi de novo, coloquei dois dedo dentro dela fazendo movimentos de vai e vem bem de vaga. Enquanto a sugava e lambia, ate que Éster explodiu num gozo violento, que soltou um grito abafado pela minha boca na sua.







Notas finais:

E ai o que acharam? B-) 

13 Dia Seguinte por Heli

13 Dia seguinte

Éster
Assim que cessou meu minha tremedeira, continuei com os beijos em Carla, tirando sua lingerie, e fiquei em cima dela rebolando, bem de vaga, esfregando nossa bucetas uma na outra toda meladinha, ai como Carla e gostosa
- vai mais Rápido...hummm
Carla falava batendo na minha bunda, e apertando contra sua intimidade, e chupado meus seios estávamos indo ao delírio
- Goza pra mim, vai meu amor.. Haaa
Carla falava gemendo no meu seios, enquanto eu rebola e aprofundava mais o ritmo das nossa intimidades.
- Vamos goza juntas meu amor
Falei já cause chegando no clímax, e Carla puxou meu cabelo para um beijo, e chegamos juntas em um orgasmos gostoso. E ficamos fazendo amor cause a noite toda, e dormimos depois nuas e abraçadinhas.
No dia seguinte, quando acordei não vir Carla deitada do meu lado e me levantei assustada, pensando que tinha sido um sonho, mas logo percebi que não estava em meu quarto e fiz um sorriso me lembrando da noite passada, olhei para o lado e vi um bilhete de Carla
_______________________________________________

Tome um banho, deixei uma toalha para você no 

banheiro, e uma roupa. Lhe espero lá embaixo.   

De seu amor                                                                

--------------------------------------------------------------------------------

Depois de ler o bilhete, fui para o banheiro tomar um banho, quando eu acabei me arrumei com uma roupa da Carla, que ficou um pouco grande em mim, por ela se mais alta que eu, e desci para ir tomar café com Carla, assim que desci vir ela de costas fazendo alguma coisa no fogo, e fui andando em silêncio para abraça lá, cheguei perto e assim fiz.
- Bom dia, meu moh
Falei beijando seu pescoço
- Bom dia, minha Flor do dia
Carla falou se virando para me dar um beijo. 
E assim que ela acabou sentamos na mesa para tomar café, e fiquei surpresa por ter tanta coisas deliciosas 
- Assim você, vai me acostuma mal. Olha só quantas coisas tem aqui. 
- Tudo para você, meu bebê.
Carla falou sorrindo, e ficamos tomando o café da manhã, entre conversas, risos e beijos.. Mas como falam, nem tudo são Flores, a campainha toca.          ********          ***********            ************
Carla
Depois de fazemos amor, cause a noite toda, dormimos abraçadinhas, e como e bom senti Éster aqui nos meus braços, quando acordei, Éster dormia tão tranquila que fiquei ali admira lá, dormia tão serena, ai como estou amando essa menina. 
E descidi me levanta, tomei um banho, e escrevi um bilhete para Éster, e desci para fazer um café de princesa para ela, e quando ela desceu me abraçou por traz, e confesso, nunca pensei que fosse amar esse tipo de carinho, meu relacionamento com Luciano era diferente, nos trata vamos, mas como amigos do que casal, quando me virei desejando bom dia a ela, lhe dei um beijo e olhei bem, me segurei para não rir de Éster, por que ela estava uma graça com minha roupa, durante a café, falei isso a ela, e rimos disso juntas, e ficamos entre tomar café, conversa, rir, e dar carinho uma para outra, até que a campainha toca, e Éster me olha com uma cara de interrogação, a olhei fazendo o mesmo.
- Quem sera? Você espera alguém ?
Éster me perguntou
- Não, minha linda. Não, espero ninguém, mas vou atender, antes seja quem for quebre a campainha de tanto toca.
Falei me levantando para atende, e quando abro a porta fico surpresa em ver Luciano.
- Precisarmos conversa.
Ele falou passando por mim, e para em frente ao sofá, que dar para a mesa onde Éster encontra sé sentada.
- O que você faz aqui Luciano? Por que não me ligou antes de vim?
Luciano se virou para mim falando:
- eu liguei, mas você não atende, mas não importa já estou aqui, e precisamos conversar
Ele falou se virando para mim, já que eu ainda continuava parada na porta segurando.
- bom acho melhor eu ir então.
Éster falou seca, me olhando seria. Bati a porta, fazendo barulho, passando por Luciano, indo até a Éster
- por favor não vá fica, e com você que quero está.
Falei segurando a mão de Éster, e falando baixo só para ela escuta, e na hora que ela ia fala algo, Luciano se pronunciou primeiro.
- Fica menina, o que tenho que fala, quero que você também ouça.
Luciano falou olhando serio para nós duas. Éster se sentou de volta na cadeira e fui para perto de Luciano também seria e já falando
- Luciano sei, o que ei fiz não foi certo, mas não eu não podia perder Éster, e Eu amo ela.
Essa parte falei olhando para Éster, que me deu um sorriso 
- Eu não vi fala disso, mas já que tocou no assunto, aquele dia eu ia termina com você, eu já estava percebendo seu interesse por essa menina, e como crescemos juntos, e antes de namoramos, nos eramos amigos, então e melhor ter sua amizade de volta do que não ter, certo?
Luciano falou, e eu com lágrimas nos olhos chorando por percebe como ele realmente e um grande amigo, abracei ele falando com a voz de choro
- Me desculpe Luciano, e sim.  ter sua amizade e melhor, era isso que eu também ia lhe dizer ontem.
Luciano me afastou de seu abraço, e enxugou minhas lagrimas, e naquela nossa papo de amigos ouvimos Éster torci, chamando nossa atenção, eu dou um sorriso bobo ao perceber que minha menina estava com ciúmes, Luciano também percebendo falou:
- sem ciúmes senhorita, agora somos, só amigos, e o jeito que essa bobona estar lhe olhando, dar para vê o quanto ela te ama.
Luciano falou
- Eiii.. Não sou boba 
Falei empurrando Luciano, e nos três caímos na risada.

Notas finais:

No próximo capitulo vou colocar só na visão de Éster e depois só no da Carla

 

14 Éster por Heli
Notas do autor:

No começo falo um pouco dos pais de Éster

14 Éster
Bom por onde começo, bom não sei, mas vou fazer um resumo da minha vida até chegar aqui onde estou.Antes de eu vim morar aqui no Maine, eu morava em Nova York, com meus pais, eu não sei se falei a vocês, mas acho que não, bom na verdade eu fui criada por dois homens maravilhosos, que tenho orgulho de chama los de Pai.
E um dos meus pais que era amigo de minha tia Fabiola, era um dos melhores médicos de Nova York, e por admirar a sua profissão de salva a vida das pessoas mesmo não tendo cause tempo para mim e meu outro pai, eu quis seguir seus passos, tudo que se relacionava a mim, eles sempre fizeram o que podia por mim, e sou grata a eles por isso.
No dia que eu perdi eles, a gente estava comemorado por mim ter passado para o segundo ano de faculdade, e quando saiamos do restaurante, entramos no carro os dois estavam na frente e, eu na parte de trás, bom não lembro bem como foi, só lembro que foi bem rápido, a luz de um farol na minha direção ao lado, e o carro girando  sendo batido de frente, deste esse dia, eu fiquei imensa na minha solidão, chorava todos os dias com saudades deles, por eles preferirem me salva, ao invés deles mesmo, nesse ato me fez ver o quanto eles me amavam, e amam onde eles tiverem.
Quando minha tia me convidou para morar com ela, decide ir, eu tinha que viver, foi por isso que eles me salvaram, mas eu não seria mas a mesma Éster, que fui. 
E chegando no Maine, conheci ela, que roubo meu coração no primeiro dia, no primeiro olhar que lhe dei, ali a Éster, feliz, guerreira, brincalhona estava voltando, e bom aqui estou eu em sua casa, com ela e seu ex namorado e antigo, atual amigo.
Me levantei indo na direção dos dois, e me sentei no sofá ao lado de Carla que também, tinha se sentado. Luciano, se sentou mas a frente, e lhe fiz a pergunta
- você disse que queria fala com nos duas, quando chegou, e sobre?
Luciano respirou e se pós a fala pensativo
- bom por onde começo?
- pelo começo, então fala logo que esse seu jeito ta me deixando nervosa, e te conheço, quando você faz isso e porquê vem bomba ai.
Carla falou ficando de pé, e já eu só observava Luciano
- não tem melhor maneira de fala, então vou solta de uma vez
- então fala
Carla falou cause gritando com ele
- O Lucas, ontem no restaurante, veio em minha mesa fala que se você, não se afasta de Éster, ele vai acaba com você.
Luciano falou nos olhando sério.
- Quem esse moleque pensa que é, só porque ele, é irmão de Carlos, ele pensa que pode fala assim!
Carla falou com raiva na voz
- Eu não estou entendendo, por que ele faria isso com ela?
Falei para Luciano, mas que respondeu foi meu amor
- Hora por que Éster, não está na cara, você não ver que e por você.
Carla falou com raiva, mas eu não tinha culpa
- hooow.. Por minha causa não, não tenho nada com ele amor
Falei indo em sua direção, tentando a calma lá.
Carla que estava um pouco nervosa, começou a se acalma
- Desculpa amor, por fala assim com você, só fiquei chateada por um moleque querer me afronta.
Passei minha mão por seu braço, fazendo carinho nela falando:
- Ele não vai fazer nada meu amor, eu vou fala com ele
Carla passou a mão pelo rosto, e por seu cabelo em sinal de nervoso. Carlos que estava calado se pronunciou de novo.
- Não sei, se e boa ideia Éster,  você não conhecer o Lucas, como nos conhecermos.
- Realmente não conheço muito, mas ele é, irmão de Carlos, então ele não fara nada.
Falei
- Mas eu não quero, Éster. Esse menino já bateu nas namoradas dele, e não quero nem pensa nele encostando a mão em você!
- Mas eu não sou a namorada dele, então isso não acontecerá!
- Você não entender Éster.
Carla saiu de perto de mim, indo se senta no sofá, e abaixando a cabeça colocando sua mão no rosto.
- Não, Não entendo, como ele pode se tudo isso que vocês falam, e não acontece nada com ele
-‘por que os pais deles acoberta, tudo que ele faz Éster.
Falou Luciano
- Mas ele não fara nada comigo.
Carla levantou a cabeça e ficou me olhando com lágrimas nos olhos, meu coração se apertou vendo meu amor assim, fui até ela me agachado em sua frente, limpei suas lágrimas e falei
- prometo que ele não vai me machucar
- Só não quero te perder, não me importo com o que ele faça comigo, mas se algo acontecer com você... 
Carla respirou fundo e voltou a fala
- Não vou me perdoa nunca.
- Meu amor, eu sei mim cuida, deixa eu fazer isso por você, eu também não vou me perdoar, se acontecer algo com você, eu podendo com certa tudo, tenho que fala com ele, e dizer que ontem só sair com ele por amizade, que ele não pode confundi as coisas, então deixa eu fazer isso.
Carla me puxou para um abraço e fiquei ali naquele abraço sentindo seu cheiro gostoso.
- OK! Você pode ir, para esclarecer tudo. Mas vou leva você até lá, e fico lhe esperando.
Balancei a cabeça em sinal de sim, deixando meu amor mas calma
- então meninas, eu vou indo que estou sobrando aqui.
Luciano falou
Ai me lembrei que ele estava ainda alí, me afastei dos braços de Carla, enquanto a ela, bom foi se despedi de Luciano levando ele até a porta, e assim que ela voltou foi logo falando
- Vamos logo amor, quero acaba logo com isso.
- vamos sim
Carla foi pega sua bolça e as chave do carro dela e fomos, para a garagem. Quando entramos no carro, estava um silêncio horrível que estava me incomodando me pronuncie
- Para o carro!
- ainda não chegamos.
Carla falou distante, respirei fundo e falei agora mas firme
- Carla, pare esse carro agora! Ou vou andando sozinha!
Ela encostou o carro, e foi parando o carro, mas sem olhar para mim.
- Me olhe amor
Ela se virou para mim, e pode ver como ela estava abalada, e tudo era culpa minha, e tinha que resolve para vê meu amor bem
- vai fica tudo bem, eu prometo a você
Falei o mais doce possível me soltando do sinto e lhe abraçando
- Só estou com medo, não que eu possa perder meu trabalho na faculdade, não. Mas estou com medo de perder você. Sei que estamos a um dia..
Carla deu um sorriso lindo me fazendo sorrir também, é ela continuou
- Mas lhe amo tanto, deste que vir esses olhos lindos que parecia que me dizia muitas coisas, mas ao mesmo tempo nada.
Carla ficou falando me fazendo carinho no rosto
- quando lhe vir ali pela primeira vez, também senti algo por você que eu não sabia dizer o que era, mas aqui posso lhe dizer, que aquele dia senti amor, eu te amo Carla, e você não vai me perder.
Carla soltou o sinto, me puxando para um beijo gostoso que só ela sabe dar, quando estava faltando ar nos separamos, e voltamos a colocar o sinto e continuamos para o nosso destino, conversado. 
Enquanto conversamos, percebi que com Carla eu não tinha medo de anda de carro, ela me passa tanta segurança, que até esqueço do meu trauma dos meses atrás passado, fazendo eu volta ser a velha, nova Éster.

Notas finais:

O próximo capitulo vai ser a continuação dessa, ainda na visão de Éster

15 Éster parte ll por Heli

15 Éster parte ll
Carla encostou o seu carro, um pouco a frente da casa onde Lucas morar, me desperdício dela dando um beijinho nela, enquanto eu descia ela falava para mim ter cuidado, e balancei a cabeça em sinal de sim, e fui andado em direção ao contrario do carro, com o coração na mão, se o que Luciano falou fosse verdade, o que eu senti sobre Lucas me trazer confusão seria real, mas eu estava torcendo para que não, assim que eu cheguei a porta, toquei a campainha, e não demorou muito veio uma senhora de meia idade abri a porta.
- O que desejá? Senhorita
A senhorinha falou
- Gostaria de fala com o Lucas, diga que e Éster.
-Claro, pode entra e espera na sala
Entrei acompanhada da senhora e fiquei a espera de Lucas, assim que ele apareceu veio logo falando:
- O que faz aqui? 
Ele falou com raiva na voz
- Lucas..
Respirei e voltei a fala
- Preciso conversa com você, quero pedi des...
Lucas me interromper falando:
- Pedi desculpas por me deixa sozinho naquele restaurante, Éster? Quer minhas desculpas pra quer? Pra volta correndo para aquelazinha da Carla?
Ele falou com raiva na voz se sentando.
 Já eu bom, jamais permitiria que Lucas referisse de Carla dessa forma, me aproximei dele com raiva no sangue que acho que meu rosto estava até vermelho, e minha mão voou em um tapa violento no rosto de Lucas, que se levantou e pude senti sua respiração forte de raiva que ele devia senti de mim, e falei bem na cara dele ja gritando.
- NUNCA TIVE NADA COM VOCÊ LUCAS, NUNCA LHE DEI ESPERANÇA NENHUMA COMIGO, ENTÃO ANTES DE FALA DA CARLA, LAVE A SUA BOCA PARA FALA DELA!
- Vai se arrepende por isso Éster! 
Ele falou me empurrando, e se afastando com os punhos fechado, cause me desiquilíbrio e caio no sofá, mas não aconteceu.
Fui andando na direção da porta, e antes de sair falei
- Nunca mais chegue perto de mim, e quero que saiba que não tenho medo de suas ameaças.
Abrir a porta e sair daquela casa, e voltei para o carro de Carla chorando
- O que foi meu anjo?
Ela me perguntou tentando me acalma, mas eu não conseguia para de chorar, será que ate aqui teria alguem para impedi minha felicidade, eu estava chorando de raiva que eu estou desse Lucas.
Quando Me acalmei contei tudo a Carla 
- não se preocupe meu amor, ele não poderá fazer nada com a gente, e também estou aqui para protege você.
Lhe dei um sorriso, e não tinha como fica triste com essa mulher por perto, cada palavra, cada gesto me deixava feliz por ela ser minha.
- esse estresse todo me deixou com fome, vamos comer?
Falei fazendo bico 
- hoo, meu deus, meu bebê ta com fome.
Carla falou toda carinhosa apertando minhas bochechas, e rir do modo fofo que ela falava comigo.
E assim seguirmos nosso destino, formos almoça em um restaurante, e nosso almoço foi tranquilo, havia sido maravilhoso, e pela primeira vez pude ver Carla sendo afetuosa, e pelo que pude ver Carla não tinha medo, de demostra seus sentimentos por mim.Mas tinha hora que mesmo estando com Carla eu tive uma sensação de perigo, como se alguém nos vigiasse, mas também podia ser coisa da minha cabeça por ter discutido com Lucas, e lembrasse de sua ameaça e tentei deixa isso de lado.

16 Carla por Heli
Notas do autor:

Queria conta aqui um resumo da historia de carla

16 Carla
Olha eu aqui de novo falando de mim, mas fazer o que se a minha primeira impressão não deve ter sido visto com bons olhos, mas bom eu me encantei, me apaixonei e a amo tanto uma pessoa, vocês sabe de quem estou falando, sim dela mesma o meu anjo Éster, ela que deve ter visto muito mas em mim do que muitos possam ter visto, e vou fala mas um pouco de mim para vocês verem o que ela ver, e como me tornei essa mulher que sou hoje.
Tudo começou quando eu era adolescente, eu me apaixonei por uma moça de minha sala, o nome dela era Fernanda. Não quero que pensem que ainda gosto dela, não isso e passado, mas como falam, a gente se torna o que somos hoje em dia e pelo que vivermos no passado, mas voltando para o meu passado, eu fazia o segundo ano do médio quando conheci Fernanda, nos tornamos amigas, e com o tempo a gente se apaixonou, o que era amizade se tornou amor, mas tina um detalhe Fernanda era assumida já eu, bom não era, e tinha medo da reação de minha família.
Quando estávamos no terceiro ano, Fernanda não queria mas namorar escondida comigo, queria me assumir para todos, eu estava morrendo de medo de minha família, o que eles poderiam fala, mas mesmo assim cheguei com minha mãe e meu pai e contei de Fernanda, eles queriam me proibi de vê lá, e falaram que ou eu parava de fala com Fernanda ou eles me colocariam em uma escola interna durante um ano, já que faltava pouco para a Faculdade, Falei para eles que me afastaria dela, só para não ir embora da cidade, mais eu não imaginava que eles me mudariam de escola, mas isso não me impediria de vê Fernanda, como vocês já sabem, Luciano e Carlos são meus amigos deste minha infância, e com a ajuda deles eu consegui me comunicar com Fernanda, por que até meu celular eles tinham tomado de mim. 
Assim que consegui contata Fernanda, ela não quis entende meu lado, para ela eu não estava lutando pelo nosso amor, ou talvez só eu a amava por que ela destruiu meu coração, terminando comigo, por qual motivo, não ter força suficiente para lutar por ela, com o coração partido prometi a mim mesma que não me entregaria a mas ninguém, que não me machucaria mas.
Depois que entrei na faculdade não ouvi fala mas de Fernanda, eu soube que ela tinha indo embora do Maine, não vou fala que na época a partida dela não mexeu comigo, por que mexeu, mas eu não tinha forças para lutar por Fernanda. E já na faculdade conheci a Bruna que hoje em dia também trabalha no hospital, nos tornamos grandes amigas, na faculdade, quando ela me contou que ela e lésbica, fiquei surpresa mas mesmo assim não deixei de ser sua amiga, não tinha mas medo de o que meus pais poderiam fala, eu já estava trabalhando e fazendo faculdade, então eles não poderiam, me dizer o que fazer, eu já estava tomando conta de minha vida, e só faltava uma coisa sair de casa para ser independente.
Quando estávamos no quinto ano da faculdade, Bruna quis me apresentar umas mulheres mas lhe falei que não tinha interesse, que não queria me envolver com ninguém, que meu coração estava fechado para o amor, mas ela falou que não estava querendo me casar, só queria tirar meu atraso rsrsrsrrsr, estou rindo por que Bruna sempre foi hilária, mas fiz o que ela pediu conheci umas mulheres, mas nenhuma era serio.E o tempo foi passado, quando foi nossa formatura Luciano me chamou para conversa, ele sabendo que eu queria sair da casa dos meus pais me convidou para morar com ele, como sempre fomos amigos, aceitei sua proposta.
Sair de casa, fui morar com Luciano, começamos, a trabalhar no melhor hospital do Maine, e fui fazendo minha carreira sendo uma das melhoras medicas que sou hoje, nesse meio tempo eu coração foi ficando cada vez mas vazio, depois que me mudei da casa de Luciano para minha própria casa, Luciano que antes nunca tinha falado nada chegou comigo, falando que gostava de mim deste que eramos pequenos, e aceitei namora com ele para ver se o vazio sumia de meu coração, mas sempre fui sincera com ele em relação ao meus sentimentos por ele, e com o tempo fui gostando dele do meu jeito, e o tempo passou e conheci Éster, e nosso primeiro olhar fez meu coração disparar, no começo tive medo.
Medo desse sentimento que eu estava sentindo por Éster, o vazio foi sumido de meu coração, toda vez que chegava perto dela, e quando assumir para mim mesma, esse amor que eu estou sentido por Éster prometi a mim mesma que eu lutaria por toda as formas para ter o amor de Éster, que dessa vez não deixaria o amor fugir de minha mão.
Bom essa e minha historia antes de conhecer Éster, sou durona, mas também, sou uma mulher sensível. E aprendi a proteger as pessoas que amo, aprendi a confiar apenas em quem meu coração mandar.

Notas finais:

No próximo ainda na visão de carla

Esta história está arquivada em http://www.projetolettera.com.br/viewstory.php?sid=1648